quarta-feira, 6 de maio de 2015

Duas das quatro Semi-finalistas da melhor prova europeia

Sobre um comentário anterior - "Estes comportamentos da linha defensiva parecem tão lógicos que é difícil (para quem desconhece) imaginar que se defenda bem de outra forma." - é perguntar aos homens do saber táctico infinito qual é a forma que adoptam para defender.  Em Itália é que se defende bem, dizem. Defendia-se bem, sim, quando era Sacchi a comandar a equipa. Treinadores que, estão constantemente no top e são considerados a nata do treino, do jogo, por marcarem presença constante nos momentos de decisão. Mas olha-se para as suas equipas colectivamente e percebe-se que só lá andam pela qualidade individual que têm ao seu dispor. Treinadores que têm nas suas equipas jogadores que lutam pelos prémios individuais mais notáveis, torna-se difícil é não aparecer nesses momentos tão poucos são os grandes com treinadores com ideias à sua medida. Este Ancelotti, que andou com Sacchi, foi treinado por ele, cresceu como treinador perto dele, faz lembrar a velha história que o Nuno do Entre10 conta sempre - "As empregadas do Louvre também por lá andam todos os dias, mas não é por isso que percebem alguma coisa de arte"




Não há qualidade de jogo ofensivo, não há qualidade de jogo defensivo. Ao que eu pergunto, qual foi o critério que levou a que fossem estes os escolhidos para liderar dois gigantes europeus? A resposta é fácil e o público não gosta. Não acham possível que no alto rendimento se escolham treinadores como na mais baixa divisão distrital em Portugal, pelo estatuto.

18 comentários:

pitons na boca disse...

Não sendo expert nestas coisas, parece-me que, mais uma vez, Marcelo está a ver a caravana passar. Tal como fez durante praticamente todo o mundial passado. Era arranjar-lhe uma cadeirinha de praia, dar-lhe uma geladinha para a mão e não o chatearem muito com essa coisa do "defender".
Cada vez mais o acho um lateral banalíssimo.

Mário Felício disse...

O que custa entender é que eu conheço pessoas que acham o Ancelloti um treinador do caraças porque por onde passou ganhou o que tinha de ganhar. Champions, Taças, Liga dos Campeões (no Milan, no Chelsea, agora no Real).

E que eu vejo é um treinador que vive de equipas com grandes individualidades, mas muito muito fraco em termos tácticos, e em termos de mexer na equipa para que compense maus comportamentos ou maus posicionamentos de jogadores que ao longo do jogo cometem n erros.

Só não percebo como é que uma equipa assim, desconectada, consegue ganhar jogos com tanta facilidade como o ano passado com o Bayern colectivo.

JON disse...

Cheguei a casa ontem às 9h. Liguei a TV e vi que o Ramos estava a jogar a 6. Desliguei no instante seguinte e fui fazer o jantar.

Gito Bastos disse...

O problema destes treinadores é que têm estes princípios de jogo e depois não o sabem operacionalizar.
Eu no lugar deles colocava, todos os treinos, os jogadores a brincar à caçadinha... a ver se isto nos jogos não resultava. Não sabem contextualizar, estes gajos lol

Laurentino Piçarra disse...

Também acho que o Ancelotti não é treinador com perfil (não estou a falar de qualidade, porque reconheço-lhe um majestoso currículo) para assumir a liderança duma grande equipa espanhola. Vejo que o técnico italiano insiste em cometer os mesmos erros.
O futuro treinador do Real Madrid precisa dum central de qualidade (vão buscar o Hummels)e dum GR (até pode ser o Petr Cech). Já terão o Danilo no lado direito da defesa, e manterão o Marcelo/Coentrão no lado esquerdo.
O Casillas e o Sérgio Ramos estão bastante sobrevalorizados, e na minha opinião, a sua titularidade no Real é bastante discutível. O estatuto não deveria jogar, mas sim o mérito.
E precisam dum treinador que adopte uma maior dinâmica ofensiva. E aqui confesso que será um grande problema. Não sei se Klopp poderia ser uma mais-valia porque vem dum campeonato com estilo de futebol distinto.

PS1 - Quanto à Juventus, não censuro o estilo de jogo que imprimiram. Parabéns ao Massimo Alegri. Muita gente duvidava que ele poderia manter a linha vencedora de Antonio Conte, mas no campeonato, a Juve vai ganhar o campeonato facilmente e está numas meias finais da Champions. É certo que teve sorte com o Mónaco e até com o Dortmund, mas é inegável que também teve mérito.

PS2 - Buffon merece tudo isto. É um jogador que nunca abandonou o clube nos maus momentos. Jogou na série B, e agora está a ser compensado com um excelente final de carreira. Nesta Juventus, é de destacar a visão de jogo de Pirlo que ainda parece um jovem dentro de campo.

David Cardoso disse...

O Alegri é mau que se farta...

Colinho Boy disse...

Tás a falar mal do Ancelotti? É um dos melhores treinadores do mundo de todos os tempos. Já ganhou em Itália, Inglaterra e Espanha, que como toda a gente sabe, é o requisito principal para se avaliar a qualidade do trabalho de um treinador. A qualidade do jogo apresentado, é apenas um "peru menor" sem qualquer relevância.

Gonçalo Matos disse...

Atenção, isto que se vê aqui não é culpa dos jogadores.
Quando o padrão é este, a responsabilidade não é do Marcelo, mas sim do Ancelotti.

É uma tristeza, o nivel destas duas equipas... Pensar que existem treinadores que andam a defender zona nas distritais, com comportamentos de excelencia, e depois ver gajos destes na champions deixa-me triste.

são as linhas do milagre da multiplicação. a "linha defensiva" tem 4 linhas, uma para cada jogador

Gonçalo Matos disse...

Piçarra,
O mérito do alegri é incontestável? Os gajos são horríveis colectivamente! Mas piores que equipas portuguesas que não competem por nada! É assombroso o quão mau é a linha defensiva deles

Roberto Baggio disse...

Colinho Boy, "Já ganhou em Itália, Inglaterra e Espanha, que como toda a gente sabe, é o requisito principal para se avaliar a qualidade do trabalho de um treinador. A qualidade do jogo apresentado, é apenas um "peru menor" sem qualquer relevância."

E em França!!!!!!

Roberto Baggio disse...

"Atenção, isto que se vê aqui não é culpa dos jogadores"

Exacto!

José Moreira disse...

E a Juve? Que coisa! Durante o jogo só pensava: "Como é possivel defender-se tão mal numa meia-final da LC?

E ainda diziam os narradores que estava a ser um jogo fantástico.

A diferença no resultado fez-se pela diferença do nr jogadores que a Juve coloca no processo defensivo face ao Real. Mas ambas são horríveis a defender.

A juntar a isto, o Real insiste em ser uma nulidade colectiva também no ataque.

Unknown disse...

"Atenção, isto que se vê aqui não é culpa dos jogadores"

Óh pa, no caso do Ramos é culpa dele. :D

BB disse...

confesso que sou um nabo, mas o Pepe nesse lance não devia ter ficado na linha do Varane em vez de recuar para a linha da pequena área? é que acaba por ser ele a colocar o Morata em jogo

Aprendiz disse...

Eu ainda sou novato por estas andanças, joguei futebol até a idade de sénior e agora recentemente juntei-me ao comando técnico de um equipa de formação. O que mais intriga nestes casos: como é que é possível continuar-se a alimentar esta forma de jogar, sem propósito defensivo, sem um minimo de organização defensiva e quanto ao processo ofensivo tambem se podia falar e fazer mil e uns post's, sobre como nao têm e/ou respeitam uma ideia de jogo. Este caso do Ancelotti, do Allegri, até mesmo o Mourinho e muitos outros (claro) vêm reforçar uma opinião que eu tenho vindo a desenvolver e que me assusta, face ao futuro do futebol, que é o facto de estes treinadores priorizarem o RESULTADO, o ESTATUTO em vez de impulsionarem bom futebol pelas equipas que passam. A questão é: será que tantos títulos e conquistas criaram um tão grande sentimento de grandeza que hoje acham que sabem tudo e que nao precisam de aprender nada? O Futebol está em constantemente em mudança (é só pensar, por exemplo, na evolução da defesa em linha, do modelo de jogo, das tácticas que começou no 1-1-8 ou em 2-2-6 e mais recentemente a utilização esmagadora do 4-3-3). Com isto quero apenas dizer que tanto as pessoas como o Futebol, mudam e como tal se queremos continuar a dar o verdadeiro espetáculo que há muito nos encanta temos que evoluir e, em bom português, "nao encostar à sombra da bananeira", porque se se contínua assim, até eu tenho medo do caminho que isto leva. Evoluir, aprender, reiventar são atitudes que tenho aprendido nestes ultimos tempos, também graças a este Blog um espaço de aprendizagem, partilha e discusão.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Duas equipas horríveis.

O Real safou-se o ano passado com as transições ofensivas (a sua especialidade, principalmente com o tipo de jogadores que tem). Só que a Juventus não lhes vai dar mais do que cinco transições ofensivas no conjunto dos dois jogos.

Todos bateram palmas a este jogo - pelo menos foi divertido, valha-nos isso - e malharam no Benfica-FCP. Que foi muito mais bem jogado, na minha opinião, e mesmo apesar das 100 execuções falhadas (recepções e passes, principalmente).

O único elogio aos treinadores é o facto de utilizarem os melhores atletas disponíveis para o onze inicial.

Por outro lado, fico sempre espantado quando leio comentários de leitores assíduos a pegar na suposta fraca exibição de um atleta (em 11 ou 14 possíveis), arranjando desde logo um bode expiatório fácil - e toca a aviar no rapaz: no outro dia era o Talisca, agora o Sérgio Ramos, ou o Marcelo e por aí adiante.

Julgo que o mais importante é a dinâmica colectiva. Tanto no Benfica-FCP como no Juve-RM não tivemos muitos erros individuais. Vimos alguns em Itália, especialmente do lado do Real (não foram decisivos), mas quase nenhuns no Estádio da Luz. O Marcelo, por exemplo, tem um potencial (físico, técnico) incrível. No contexto certo e com um pouco mais de conhecimento táctico é do melhor que há.

Na maior parte dos casos, e tirando exemplos óbvios (tipo os dois primeiros golos do FCP contra o Bayern ou as asneiras com bola do Jardel, contra o Zenit) os problemas surgem da fraca organização e dinâmica colectiva.

Como é possível o Real, com os jogadores que tem, ser tão fraco no ataque? Bola lateralizada constantemente e quase nenhuns apoios ao portador. James a jogar a um toque quando é o príncipe da temporização. Não me venham dizer que os jogadores são fracos...

Bernardo Ferrão disse...

O ponto alto da carreira de Ancelotti é a redefinição de Pirlo ...

Blog de Portugal disse...

Bela análise.

Hei-de ler o livro do Ancelotti sobre o árbol de navidad, porque parece que esse livro está bem bom.

Pode não ser uma questão de saber, mas de operacionalizar.

Além disso, e não querendo de forma alguma questionar os excelentes artigos que se vão colocando aqui, penso que ninguém aqui sabe verdadeiramente como será gerir tamanhos egos no Real Madrid. Deve mexer com tudo, deve ser algo impressionante.