segunda-feira, 24 de agosto de 2015

Curtas à segunda jornada



a) Ainda que seja impossível prever como crescerão os três grandes , campeonato a prometer um dos piores campeões em termos de percentagem pontual dos últimos anos. Depois de seis anos loucos, com recordes pontuais a serem aproximados e batidos por FC Porto e SL Benfica, a hora de abrandar parece ter chegado. O FC Porto está demasiado longe da qualidade individual do passado recente e perdeu esta época os quatro / cinco super talentos que teriam lugar em praticamente qualquer plantel do mundo. Danilo, Casemiro (Real), Alex Sandro (Juventus), Jackson e Óliver (Atletico). O SL Benfica que já havia perdido os extras na época transacta. Sobraram Gaitán e Jonas. Para a presente época parte também sem o cérebro. O Sporting que durante seis anos não era tido sequer como candidato ao título, por quem percebesse um mínimo da realidade futebolística nacional, tem agora uma oportunidade real de voltar a intrometer-se numa luta que no passado recente já não parecia sua (Sim, o segundo lugar de Leonardo Jardim, foi apenas uma época atípica. Como havia sido o segundo lugar de Domingos no Braga);

b) FC Porto na Madeira com sectores muito distantes. A permitir mais bola ao adversário do que o que seria expectável e sem capacidade para criar assertivamente. Os médios centro apenas a receberem fora do bloco e sem nunca procurarem soluções criativas. Se recebiam dentro devolviam sempre no central ou no trinco que ficava mais recuado fora do bloco. Os laterais não têm a qualidade do passado e também ofensivamente, apesar da muita vontade não são capazes de criar os desequilíbrios que Lopetegui pretende nos corredores laterais. Porque o central, já se percebeu apenas serve para construir. E não criar. Para já, apenas Brahimi a titulo individual mostra ser diferente dos demais. Incrível a facilidade com que desequilibra. E incrível também como não há nada pensado para aproveitar os seus rasgos. Uma movimentação de ruptura do outro extremo com uma de apoio do ponta?! Qualquer dinâmica que aproveite a facilidade com que o extremo portista quebra a contenção seria uma forma fácil de aproximar o FC Porto do golo.

c) Sporting com movimentos e posicionamentos já bem definidos. Faltará algum tempo até que os timings (sei onde está o meu colega, mas falta ambos sabermos o tempo e o espaço para onde e quando lhe vou endossar a bola) e rotinas surjam com qualidade. Só com a repetição (treino e jogo) chegarão. É a equipa com maior potencial para crescer no momento, em virtude do binómio qualidade dos jogadores – qualidade do treinador. Carrillo vai finalmente cumprindo o que promete há tantos anos. João Mário a aparecer com muita qualidade como segundo médio, mais de transporte como Jesus gosta nas suas equipas. Qualidade com bola e intenso nas transições. De negativo João Pereira e Naldo. Individualmente muito abaixo do desejável. Será preciso tempo para acertar ideias. Mas esse é um trabalho já visto com outros defesas, com lacunas individuais também graves.

d) Benfica indeciso entre aproveitar as ideias ofensivas do 442 ou mudar para algo original. A transição defensiva está lastimável, e cada perda parece dar gente na cara de Júlio César ou de Luisão. A equipa vai deixando de funcionar como um colectivo e até a qualidade (idade) do capitão já vai sendo questionada. É um fardo demasiado pesado para qualquer treinador, o de suceder a seis anos com a maior percentagem de vitórias nos jogos nacionais desde a década de sessenta. E se Rui Vitória tem a vantagem de ter mantido quase noventa porcento da equipa campeã, não é menos verdade que essa equipa havia sido totalmente espremida do ponto de vista colectivo, e que falta qualidade individual em alguns sectores. Isto, mesmo após mais de uma dezena de contratações a parecerem praticamente todas condenadas ao fracasso. O treinador do Benfica não é garantidamente um mau treinador. Mas o contexto é altamente desfavorável. E o caminho está minado.

e) Paulo Sousa. Destacado aqui ainda nos tempos do Basel mesmo sendo copiosamente derrotado no Dragão. Porque não são os treinadores que jogam. São os jogadores. Naquilo que o treinador controla, ideias de equipa grande as de Paulo Sousa. Pressing no meio campo ofensivo. Transições rápidas e pensadas. Posicionamentos bem definidos e ousados em organização. Não são surpresa os seus sucessos recentes.

f) Lito já tinha dado muito trabalho ao Benfica na 1ª volta da época passada, quando na Luz retardou ao máximo o golo do Benfica. Na altura Jorge Jesus revelou as dificuldades sentidas perante a boa estratégia do ex treinador do Belenenses, bem como a forma como preparou o ataque posicional de forma diferente para a segunda parte (laterais foram interiores, e extremos… extremos. Quando habitualmente é o inverso). Desta vez Lito conseguiu mesmo que o seu plano de jogo se traduzisse em pontos perante um adversário com armas muito superiores.

30 comentários:

José Lopes disse...

Casemiro super talento?Não concordo nada, de resto aprendo muito sempre leio os vossos posts.
Continuação de um bom trabalho.

Paolo Maldini disse...

eu tb naõ José, daí o quatro / cinco. Como quem diz... o Casemiro é mt bom, foi para o Real Madrid... mas os outros 4 é que são de topo mundial...

Red disse...

Qual a vossa opiniao dos miudos do benfica? Vitor andrade com bola nos pes parece craque, contudo sem bola ontem no estadio senti-o perdido varias vezes, pois pareceu-me n saber muito bem onde se posicionar.

Henrique disse...

Maldini "O treinador do Benfica não é garantidamente um mau treinador. Mas o contexto é altamente desfavorável. E o caminho está minado." Concordo com a segunda parte, é difícil herdar uma equipa do JJ, especialmente após 6 anos. Daquilo que se tem visto, mesmo não sendo um mau treinador, não me parece que o RV seja bom. Ainda estamos no inicio e pode ser que o Benfica melhore, mas custa-me um bocado a acreditar nisso. É esperar que o Markovic e o Coentrão sejam contratados.

Mike Portugal disse...

Por acaso gostei bastante do Naldo a nível individual, bastante rápido, com bom passe, não inventa, não entrega mal a bola. Não vi a nivel de posionamento defensivo. Se puderes meter aí umas imagens a justificar a tua nota negativa, agradecia.

PM disse...

Maldini porque é que consideras negativas as prestações de Naldo?

João Pereira completamente de acordo, parece-me o elemento mais fraco do 11 mas confesso que o Naldo me está a surpreender pela positiva. Parece-me ter inteligência e bom posicionamento. Sou um leigo nestes temas mas gostaria de perceber o que falha nele na tua opinião.

Esgaio é jogador para agarrar a oportunidade de jogar em Coimbra? Gostava que sim!

B Cool disse...

Se a qualidade individual ganhasse campeonatos, o Lopes teria sido o campeão no ano passado... O principal problema do Benfica é qualidade colectiva, ou antes, falta dela

David Bento disse...

O Lito Vidigal é um excelente treinador. As equipas dele têm muito rigor tático. Para mim têm muito futuro é exceptional sem duvida.

rui disse...

E a teoria aqui expressa de que o SCP ía deixar de perder pontos em casa como na época passada...??

rui disse...

E a teoria aqui expressa de que o SCP ía deixar de perder pontos em casa como na época passada...??

R.B. NorTør disse...

Não é um mau treinador se assumirmos que o mau treinador é o incompetente. Nesse sentido concordo, o que não acho é que a competência de RV dê para o carrinho que lhe puseram nas mãos.

Joaquim Rato disse...

Medíocre é de certeza. E não sei mesmo se não é mau. Tu próprio concordas que as substituições que fez não lembram ao diabo. Como não entra Talisca, que foi o elemento fundamental na transformação do Benfica na semana anterior. Ainda para mais com o Pizzi em nítido défice físico, na 2º parte. E quem torna irreconhecível uma das equipas que praticava melhor futebol, e que apenas perdeu dois titulares, e que já gastou mais que o suficiente para suprir as perdas. Se calhar, tem que ser considerado mau!!!

Blog de Portugal disse...

Campeão menos dominador e com mais escorregadelas, certamente. Porque o Benfica e FCP não estão ao mesmo nível, e o SCP não tem o tempo (e talvez outras coisas) para fazer uma época estrondosa, mesmo que seja campeão.

Convém não esquecer que joga um adversário e a grande maioria das equipas será mais complicada que no ano passado:

- Braga com excelente treinador

- Rio Ave, Boavista, Nacional, Marítimo, Moreirense (apesar do mau início) com bons plantéis e treinadores a manterem-se

- Um Tondela com um grande treinador que fará certamente melhor figura que um Penafiel ou G. Vicente

- Arouca, P. Ferreira também com bons treinadores, que farão vida difícil a todos

De resto, um V. Guimarães que será mais fraco que na época passada, mas sempre equipa difícil; Setúbal e U. Madeira ainda são incógnitas para mim; Estoril também com alguns argumentos.

Será complicado para os 3 grandes esta época.

R.B. NorTør disse...

Não percebo o fetiche com o Talisca. Talisca não virou jogo nenhum e, para cada bola que passou a mais de 2 metros com sucesso perdeu duas, definiu mal jogadas, enfim, um sem número de Taliscadas... Se quiserem assumir que houve um jogador esse jogador foi Vitor Andrade que, mais inclinado para a frente, manteve as boas combinações com o Nélson Semedo na ala, batendo sistematicamente a defesa.

A única coisa de jeito que o Talisca fez foi conquistar o pénalti, e apenas digo que foi boa porque foi das raras vezes em dois jogos que um jogador do Benfica ganhou uma segunda bola. Mesmo assim, com uma floresta de jogadores e com mais hipóteses de ganhar o euromilhões do que de ter sucesso, atirou para a baliza!

Mais uma vez, isso é válido se se quiser assumir que foi um jogador quem virou o jogo e não a felicidade de finalmente um dos cruzamentos ter encontrado um avançado e entrado... duas vezes!

DM disse...

É preciso ver que o potencial de crescimento do Sporting ainda está minado pela ausência de 2 pedras basilares: William Carvalho e Ewerton (apesar do Naldo não me parecer mau, ainda está bem longe daquilo que o Ewerton dá ao jogo). Porto muito mais fraco em relação ao ano passado, ter laterais de topo mundial ajudava bastante numa liga onde os laterais estão em processo ofensivo 80% do tempo. Além disso, deixar de jogar com Oliver para passar a ter Danilo, Imbula e Herrera é uma ode ao futebol! Vamos ver como vai evoluir este Porto. O Benfica é que está muito pior do que alguma vez imaginei ser possivel. Rui Vitória conseguiu em tão pouco tempo de trabalho fazer o mesmo que Jesus no Sporting mas em sentido inverso. Enquanto no Sporting se implementa ideias coletivas de nível mundial, no Benfica os jogadores até já perderam a noção do que é uma linha defensiva e aqueles que durante estes anos eram resguardados pela qualidade do modelo agora viram expostas todas as suas fragilidades (Luisão, por exemplo). Caso venham Coentrão, Markovic e um Defesa Direito de qualidade, ainda se podem tornar no candidato favoritissimo. Sendo assim, não acho que o Rui aguente muito tempo. Vai ser um campeonato muito interessante, que se vai começar a decidir já na quarta feira com a passagem (ou não) do Sporting à Champions. Se o Sporting não conseguir passar o CSKA, muito dificilmente aguentará este plantel que tem condições para ombrear com os rivais.

Blessing disse...

Todas as equipas são boas :)

disse...

Rui Vitória parece não ter mãos para o carro que lhe deram, mas se o fizeram e iniciaram esse caminho, acho que merece algum tempo (e tranquilidade) para o fazer.
É que apesar do carro ser melhor do que o que tinha, deram-lhe o pior caminho e cheio de buracos a percorrer. E se o condutor já não é o melhor...

Escarameia J disse...

Nem podemos entrar em euforias quando damos 4 ao Estoril, nem em depressão profunda quando perdemos com o Arouca.

A nível ofensivo eu gostei do jogo e das triangulações entre laterais e extremos, coisa que ainda não tinha visto. Tivemos cerca de uma dezena de oportunidades de golo (com ou sem bola controlada na área). Mitroglou de cabeça, Jonas de cabeça, Pizzi teve 2, Nélson Semedo teve outra. Vitor Andrade teve um pontapé (embora desviado) que passou rente ao poste. Ola John no fim da primeira parte. O penalty que ficou por assinalar. O golo "anulado" ao Jonas. O próprio pontapé do Jimenez.

Mas a nível defensivo....

DC disse...

Do que vi do Lito, parece-me que defende muito mal. A largura da defesa parece-me mesmo muito má, várias referências ao homem e profundidade provavelmente não se notam erros por baixar as linhas.
Foram inúmeras as vezes em que se em vez dum centro à sorte do RV tem saído um passe para a zona entre o lateral e o central, havia mais do que espaço para criar situações de golo.
Positivo, ou mais do que no caso do Pedro Emanuel, parece-me a transição ofensiva, pelo menos no que toca às unidades envolvidas. E a escolha dos melhores jogadores para o 11, os mais criativos.

Ainda assim, tenho bastantes dúvidas que ele seja acima da média. Até porque pelo que me dizem, nos treinos dele mal se via a bola.

Rui Cesar disse...

Concordo com a questão da herança pesada e o caminho não é fácil, mas RV não dá sinais de ser capaz de o ultrapassar. Os sinais que vaticinavam aqui no blog estão a acontecer ainda mais rápido do que se esperava.

Ainda na apresentação RV disse querer manter o que de bom se tinha feito e depois dar o seu cunho pessoal à organização da equipa. Ora praticamente a única coisa que se mantém é o esquema de 4-4-2.

Porque a transição defensiva piorou imenso, como dizem aqui no blog, e a agressividade perante a perda de bola… enfim basta ver o número de faltas/amarelos que o Benfica deixou de fazer/receber.

Na organização ofensiva para mim as diferenças ainda são mais óbvias, porque a saída de bola quer-se agora muito segura, mas com isso tornou-se inconsequente; todos os ataques saem pelas linhas, em combinações entre o lateral e o extremo; e a ordem é para cruzar. Os adversários nem precisam de forçar muito a pressão para que o ataque saia pelos corredores para depois criarem superioridade numérica nessa zona, porque o Benfica faz questão de entrar nessa “armadilha” em 99% dos ataques.

Desapareceram as várias opções de passe para o portador da bola, os avançados a cair para linha desapareceram com a saída do Lima, extremos a jogar por dentro é uma miragem, criação de zonas de superioridade numérica no ataque são ainda menos dos que as oportunidades criadas com bola controlada em zona de finalização.

Agora cada jogador está “muito bem” colocado na sua posição: extremo no lado oposto e nem sequer entra para o 2º poste nos cruzamentos, ponta entre os centrais e Jonas à entrada da área. Mesmo o Pizzi nem sempre apoia dando linhas de passe quando a bola está no extremo ou lateral. Hoje a imagem são jogadores espalhados pelo campo de mãos nos bolsos à espera que 1 ou 2 saquem o coelho da cartola, ou melhor, o cruzamento que vai parar à cabeça do avançado.

Na gestão do plantel... Victor Andrade nem sequer foi a estágio, mas agora aparece à frente de outros 20 jogadores para resolver todos os problemas, Mitroglou e Jimenez são lançados a jogo com apenas 2 ou 3 treinos feitos.
O tempo do feeling e da cagança voltaram ao banco do Benfica.

O discurso ainda dá menos espaço à esperança, porque afinal de contas fizemos X remates e Y cruzamentos, o que devia ser mais do que suficiente para meter 2 ou 3 batatas lá dentro, por isso está tudo bem.
O que interessa é conhecer o homem que estar por detrás do jogador e saber entrar no jogador.

Vieira claramente não sabe quais são os critérios certos para escolher um treinador. E agora até assumir o erro, infelizmente, acho que ainda vai demorar.

R.B. NorTør disse...

Muito bonito. Então quando é que acaba o período experimental? Quando é que os mais acérrimos defensores de RV vão dizer já chega? A evolução (ou falta dela) resultante de 8 jogos ainda não permite tirar conclusões? Onde estão os sinais de esperança que o Benfica neste momento e ao fim de 8 (por extenso: oito; soletrado: o-i-t-o) jogos tem capacidade de ser um clube que joga futebol de grande? Porque se os resultados fossem maus, mas a equipe estivesse com azar eu ainda compreendia essa conversa. Acham que é mesmo isso que se está a passar?

Paolo Maldini disse...

rui, a média está mt má (perder 2 pts por cada jogo em casa), mas ainda falta perder outros 8 para igualar o melhor antecessor.

disse...

8 jogos onde fica sem um dos pontas-de-lança (com características e capacidade de jogar com equipa únicas) e tem de integrar outros 2 que chegam. 8 jogos a jogar com extremos que pelos vistos não ficam (Gaitan e Ola John). 1 jogo contra o sucessor com tudo o que esteve e está por detrás. 8 jogos onde 5 são noutro continente disputado em condições difíceis. E convenhamos, depois de Jesus, o que viesse depois teria sempre caminho difícil.

Pessoalmente, Rui Vitória não figuraria no meu top 3 de sucessores a Jesus (Vitor Pereira; Paulo Sousa; José Peseiro), e eu, do pouco que vi, nunca vi futebol que justificasse a contratação (apesar de ter conseguido em circunstâncias difíceis construir uma equipa com miudos). Mas foi o escolhido para carregar uma herança pesada (os adeptos do SLB são fantásticos nisto: odiavam Jesus, mas adoravam-lhe as vitórias), que se tornou ainda mais pesada com todo o temos visto ultimamente. Porra, até 1,5 kg de um jogador é conversa de pré-época e não foi Vitória que o pediu.
Para o bem e para o mal, merece tempo.

Ps: E merece tempo até porque, agora, não vejo alternativa válida para treinar o SLB. E entrar um outro qualquer agora é só mais um para queimar.
Ps2: Há uma alternativa sem emprego: Paulo Bento! Se calhar é melhor ficar o Vitória...

da Costa disse...

Acho verdadeiramente incrível fazerem-se autos-de-fé à 2ª jornada do campeonato. É claro que Rui Vitória é pior que JJ (nem os dirigentes do Benfica acreditam no contrário) mas arruinar o homem tão cedo é desonesto.

É desonesto porque os inícios de temporada do JJ no Benfica também nunca foram grande coisa. O ano passado foi a excepção à regra. Por isso, é preciso dar tempo ao Vitória. Ofensivamente, vi coisas interessantes contra o Arouca. Na primeira parte, em condições normais, o Benfica tinha feito 3 golos, pelo menos. E não foi em remates de fora de área, foi em situações reais de golo. Defensivamente, sim, a equipa já perdeu muito e acho que ele vai resguardar-se e colocar mais gente atrás da bola, o que pode ser, ou não, mau. Vamos ver.

E se o crucifixo ao Vitória já vai assim, então que dizer de Lopetegui?Inacreditável o tão pouco que o Porto joga, no 2º ano do treinador. Para alguns era uma vantagem a manutenção do basco, para mim é não ver o claro: o Porto é bola no Brahimi e ele que resolva. Não há, ao contrário do que vi nalguns momentos do jogo do Benfica, uma movimentação ofensiva interessante. E mesmo defensivamente, quando a outra equipa tem alguma qualidade, aquilo treme por todos os lados. E não venham com desculpas de jogadores. É ele que tem Quintero, Evandro, Ruben Neves, Bueno e prefere Herrera, Danilo e Tello.

Assim, perceba-se contextos e veja-se que é preciso algum tempo antes das clássicas conclusões precipitadas.

R.B. NorTør disse...

Quando não resulta há sempre uma desculpa. Olha e o antecessor no seu novo clube que até centrais que ele não queria lhe arranjaram? Com tudo o que antecedeu o jogo com o antecessor? Se ele não lida com isso e isso é desculpa para ir a uma final por-se a fazer experiências tácticas, então está mesmo no lugar errado...

Cinco jogos no estrangeiro? A Fiorentina do Paulo Sousa também não andou nessas andanças com um sexto a ir a Londres? E para que serviram esses jogos se não para ir afinando o esquema? Muito tempo em viagens? Olha, para alguma coisa devem ter servido os treinos, porque no caso do Benfica os defeitos da pré-época estiveram todinhos em campo frente a Estoril e Arouca.

Os extremos não ficam, tudo bonito. Mas qual a preocupação com isso? Tudo o que se tem visto desses extremos são uns pinos encostados à linha para tabelar e cruzar? E por cruzar aqui entenda-se «chutar a bola para o outro lado». «O outro lado» é usar o termo mais preciso para definir a técnica de cruzamento do Benfica. Se não acreditas vai ver os jogos em que conseguimos passar do meio campo. Nisto de extremos que não ficam, ainda se podem falar das situações, pelo menos três nos últimos dois jogos, em que o extremo arranja espaço e tem um buraco na defesa adversária à sua frente. Das três vezes o que sucede é que o extremo pára, olha e cruza ao segundo poste em vez de entrar na área. Isto começa a ser a regra, não a exepção; parece ser indicações do banco, não erros de definição. E quando algum deles ousa fazer algo diferente, como jogar à bola, sai ao intervalo que agora há uma substituição fetiche para fazer, e como resultou contra uns tipos de amarelo, de certeza que resulta contra outros.

E voltamos então à pergunta sem resposta: quanto tempo é o tempo que RV precisa? Digam-me um número, de jogos ou meses, para então se poder fazer uma avaliação ao futebol do Benfica que não seja interpretada como um atentado à pessoa do RV.

No meu caso, começo a cansar-me de explicar que nada me move contra RV, só mesmo contra o tipo de futebol que as equipas dele praticam. Pior, contra o futebol da treta que o meu clube está a jogar. Quanto tempo até não haver desculpas com lesões, com viagens, com selecções, com tufos de relva, com o treinador adversário que não lava os dentes?...

Blessing disse...

É preciso dar tempo ao homem para trabalhar!

Frigoliny disse...

Há um gajo de Coruche a ocupar o tempo a fazer uns comentários para a SporTv... José Peseiro!!

David Cardoso disse...

Talvez com a nova torre que foi instalada nos treinos no seixal as coisas melhorem :)

bareira disse...

Com a equipa unida e com muita vontade de vencer...

Helder Silva disse...

Enfim e tu ainda queres lhe dar mais tempo... Há 3a jornada habilita-se a ficar a 4 pontos dos rivais e eles já perderam 2 pontos que não era suposto perderem...

Percebo o dar-lhe mais tempo se é para tornar isto numa luta a 2 apenas.

Desculpa, mas desta vez não concordo contigo... O jogo dele é cruzar, cruzar e cruzar e rematar de longe... No fim diz que tiveram 30 remates e 60 cruzamentos, só não fez golo por azar, que podia bater todo o dia nisto. O que me incomoda mais é que ele parece acreditar nisso...

Eu consigo ver que a equipa tem pouca qualidade individual, mas ele consegue colocar jogadores aceitáveis a jogar mal e porcamente...