segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Atacar a zona de finalização. Suarez e Munir. E defender ao homem e não à zona.

Curiosa a comunicação entre os jogadores "culé". Suarez a pedir a Munir para atacar o primeiro poste, para arrastar marcação e poder ele próprio receber e finalizar ao segundo. 
Troca / movimento tão característico de tempos passados. E eficiente! 

Eficiente porque perante equipas que marcam individual e não espaços, acaba por ser muito fácil atrair os defensores para a zona do campo que quem tem bola quer. Quem tem bola não só controla o jogo como controla o posicionamento adversário. Movimentos de aclaramento de espaços para posteriormente colocar lá a bola para alguém que aparece é uma forma bastante fácil de se chegar onde se idealiza. Quem ainda defende homem a homem é caçador que vira presa, conforme em tempos afirmou Jorge Valdano. 

O lance não demonstra apenas uma comunicação positiva entre os avançados do Barcelona. Demonstra sobretudo como está ultrupassado e como é nocivo aquele tipo de comportamento a defender. Defesas a perder a noção de onde está a bola porque olham para o adversário directo, movimentos exclusivamente centrados em defender adversário e nunca a sua própria baliza. Pior só se tivessem chocado um com o outro. E poderia ter acontecido...

O Rayo que é uma equipa bastante agradável de seguir pelas suas ideias extremamente atrativas e futebol bem positivo, é também a defesa mais batida da Liga Espanhola. Já na temporada passada, ficando a meio da tabela terminou como a defesa mais batida de toda a Liga. Jogar bem e ser atrativo não tem de estar ligado a consentir mais perigo. E não estará no caso concreto da equipa de Paco Jémez.


27 comentários:

Benfiquista Primário disse...

Lamentável incompreensão do Paradigma...;)

Não são os homens que marcam golos - se não forem o Éder? Ou acaso a bola ou a zona marcam golos?

Aprendiz disse...

Boas
Com o já foi referido mês de blog o Rayo de Jiménez é capaz de apresentar um futebol bastante atrativo no que toca a momentos ofensivos ( OO e TO) no entanto como podemos comprovar neste post é a incapacidade de definir uma estratégia mais correta e apropriada à evolução do futebol. A minha questão concerne na ideia que se um treinador se foca demasiado em processos ofensivos acabam por descurar processos defensivos, ou vice versa. Temos o exemplo de JJ em que as suas equipas têm excelentes comportamentos defensivos e de grau mundial mas os ofensivos não acompanham o mesmo grau de desenvolvimento. Outro exemplo que podemos ter em atenção é o caso do Dortmund de Tuchel que o que ganhou em momentos ofensivos perdeu em defensivo, ou ainda o exemplo do Empoli de Darei que se assemelha às características enunciadas no caso do JJ. Ou seja e para concluir, será que é possível desenvolver em pleno processos ofensivos e defensivos de qualidade elevada?
Obrigado

R.B. NorTør disse...

O Dortmund do Tuchel é um caso de bipolaridade. Na pré-época mostraram bons argumentos defensivos e tinham alguma dificuldades à medida que se aproximavam da área adversária. Isso é ainda patente na primeira jornada da Taça da Alemanha e nas primeiras jornadas, apesar de uma goleada pelo meio. Com a evolução da época tornaram-se uma máquina sedenta de sangue, mas sem cuidados atrás. Vamos ver as cenas dos próximos capítulos.

bio disse...

O Tuchel é doido.
Conceitos ofensivos de topo, mas aquilo é sempre prego na chapa.
Não vi os primeiros jogos deles, actualmente é a carregar pela boca, o Hummels quase joga 8(exagero ok) , depois, defensivamente, estão super expostos.

Claro está que hoje em dia não perco um jogo deles, é do melhor ;)
Mesmo que não seja o que eu idealizo.

David Cardoso disse...

"Quem tem bola não só controla o jogo como controla o posicionamento adverssario" confesso q nunca tinha pensado nisso ; sobre o posicionamento homem a homem realmente è coisa do passado; antes achava q vcs exageravam qando lia aqui posts que falavam sobre o jose Mota mas desde o ano passado qando vi o gil vicente fazer marcação homem a homem no meio campo contra o slb vi realmente tenho muito q aprender neste blog.

Blessing disse...

Ai Paquito...

Blessing disse...

Ai Paquito...

PP disse...

Não concordo com a vossa crítica (sobre defesa ao homem vs zona) feita neste artigo.

Mesmo que os defesas tivessem tentado defender apenas a suas zonas seriam facilmente batidos em antecipação nesta jogada, pelo simples facto dos avançados irem anteciparem-se ao momento defensivo dos defesas. Quantas vezes não vemos isso acontecer ao lateral que até está próximo do central e deixa-se surpreender pela entrada rompante do avançado?

Este video para mim é mais um hino de saber atacar do que de não saber defender.

O video retrata uma situação de 3 para 3 (sendo que o 4º homem do Rayo Vallecano só chega já quando o extremo esquerdo do Barcelona toma a decisão de centrar ao 2º poste), ou seja de igualdade numérica numa zona proibitiva do terreno: a defesa. A criticar, e penso que o devemos, será na origem dessa igualdade numérica... uma mais que provável perda de bola a meio-campo e a ineficácia deste em matar logo o contra-ataque para dar tempo à equipa recompor-se.

R.B. NorTør disse...

David, eu aprendi que a marcação HxH é coisa do passado no recreio da escola, apesar de ser o tipo que ia sempre à baliza (ou por isso mesmo).

Na lógica de impedir o golo adversário, é muito mais "fácil" para o GR ter não um defesa que anda a corer atrás de alguém obrigando-te a sucessivos reajustes de posição e a seres apanhado em contra-movimento num deles do que teres um tipo que simplesmente faz metade do teu trabalho ao tapar os caminhos para a baliza. Isto é simplesmente física (a bola não vai dar um salto quântico através do defesa, o avançado muito menos, e o avançado com bola não mesmo).

Mesmo numa lógica de desgaste, vais-te cansar muito mais depressa a correr atrás do brinca-na-areia de serviço do que se o deixares fazer os malabarismos sem ver a baliza. É lembrares-te que o objectivo é marcar golo. Sem a bola (não o jogador, a bola) chegar à baliza não se marcam golos.

Paolo Maldini disse...

LOL PP

DM disse...

O Paco possivelmente ouviu o Futre dizer que a melhor forma de parar os craques é meter um homem em cima deles o jogo todo, como lhe ensinou o Berlusconi :D

João Fernandes disse...

PP diz: "Não concordo com a vossa crítica (sobre defesa ao homem vs zona) feita neste artigo.

Mesmo que os defesas tivessem tentado defender apenas a suas zonas seriam facilmente batidos em antecipação nesta jogada, pelo simples facto dos avançados irem anteciparem-se ao momento defensivo dos defesas. Quantas vezes não vemos isso acontecer ao lateral que até está próximo do central e deixa-se surpreender pela entrada rompante do avançado?".

http://4.bp.blogspot.com/-7eqfynIz-iU/VigXQzTDZII/AAAAAAAAAGE/slJ3e9UUX88/s1600/1.png

Ou seja, situações como essa são muito complicadas de anular, "pelo simples facto dos avançados irem anteciparem-se ao momento defensivo dos defesas". E também podemos considerar-la como "um hino de saber atacar", porque não?

PP disse...

Paolo Maldini,

Espero que não tenhas interpretado o meu comentário como um ataque pessoal. Pensava que isto era um blogue para debater futebol. Foi nesse sentido que escrevi a minha opinião que argumentei-a e não escrevi apenas LOL Maldini.



João Fernandes,

O meu comentário foi relativo ao lance colocado neste artigo. Convém não misturar alhos com bugalhos.

Paolo Maldini disse...

epa, oh PP nada a ver com ataques. Apenas uma idiotice completa e falta de conhecimento total. Até poderias dizer q defendendo zona pq está 3x3 era sp complicado p a defesa... agora falar em antecipar... mas tu sabes sequer onde estariam os defesas se tivessem em zona, para falar em antecipar...

n leves tu a mal, mas tipo...um gajo fala de alhos e tu vens com bogalhos... escasseia a paciencia nesses casos!

PP disse...

Maldini,

Até agora o único que expressou uma opinião e fundamentou-a fui eu. Tu partes para o insulto gratuito com expressões como "idiotice completa e falta de conhecimento total". Mas, o blogue é teu e faz o que tu bem entenderes.

Pensava que por aqui poderia-se debater futebol e outras visões sobre alguns temas que vocês fazem muito bem em trazer à baila. Mas, se calhar estou errado.

Termino só com (mais) um reparo se não te importares: escreve-se bugalhos e não bogalhos.

MOS disse...

Aprendi bastante no blog a respeito da importancia da defesa a zona mas ainda tinha a impressão de que a regra comportava exceções, como no caso das zonas de finalização, especificamente a grande área. Algo que, tempos depois, um dia li num texto do Enric Soriano. Mas com essa demonstração vi que é uma impressão incorrecta a respeito da forma individual de defender

Falando nisso, Maldini. O que pensas dessa ideia?

http://www.martiperarnau.com/tactica/la-sobrevaloracion-de-la-zona-en-el-futbol/

Paolo Maldini disse...

PP, o que tu estás errado é em pensar que estás a falar de futebol... Quando na verdade falas de algo que não sei bem o que é.

Aqui debate-se futebol sim. Como numa frutaria se vende fruta. Se alguém entrar numa frutaria e pedir um mil folhas... não sei se assm dá para perceber...

PP disse...

Maldini,

Continuas no deboche. Continuas a atacar-me mas, o mais engraçado é que argumentos para aquilo que escrevi não tens.

Pelo que tenho visto por aqui não se debate futebol. Se tal fosse assim, então estaríamos a comentar o lance e não estaria aqui a responder a ataques pessoais. O que eu vejo é muito elogio fácil e pouco debate.

Sinceramente, acho que não sabes lá muito bem o que é a defesa à zona e sobretudo, em que situações a consegues aplicar de forma eficiente. Mais, nem questionas se o movimento dos avançados do Barcelona não seriam igualmente eficazes perante uma defesa à zona. E é aí que todo o teu artigo falha.

Paolo Maldini disse...

ai, pa, q atacar... pára com isso. É isso, eu não sei o que é defesa à zona. E tu é que achas que este movimento dos avançados seria igualmente eficaz numa defesa à zona. Sim, pq estando os defesas bem colocados numa zona, os avançados iam a correr para cima deles. Ai pa, não te estou a atacar, mas guardo-me o direito de não falar de futebol contigo! Repito isto é com entrares numa frutaria e pedires um milfolhas! Vires aqui comentar ou eu ir comentar a um blog de fisica quântica é exactamente o mesmo! E o mais divertido nisto é que tu nem sequer o percebes...

m1950 disse...

Boa noite ,

PP

Se a referência deles fosse a bola nesse lance , o jogador não se desposicionava.

Penso que o que você quer referir , é que não é preciso marcação HxH para se ser atraído pelo movimento dos avançados.

https://www.youtube.com/watch?v=4-JNTVFy92Y

Este é o golo do Nani contra o Schalke , na transição os avançados do Sporting atacam o primeiro poste e arrastam todos os defesas do Schalke para lá , e Nani aparece sozinho para concretizar , note para o movimento de Slimani.

Em relação ao texto concordo.

Paolo Maldini disse...

1950, o lance que mostras é um excelente exemplo de quem defendeu nessa situação homem tb. O jogador que devia estar na zona do 2o poste, foi atraido pela marcação individual ao Slimani. Um erro crasso! Isso não é zona! há ali um central em cobertura e esse lateral marca homem... na zona. o defesa já está no 2o poste (dependendo do nº de jogadores envolvidos na situação de jogo)

PP disse...

Realmente tens toda a razão Maldini, isto aqui parece mesmo uma frutaria...

Última tentativa:

«estando os defesas bem colocados numa zona, os avançados iam a correr para cima deles»

Bastava os avançados do Barcelona fazerem o mesmo movimento que fizeram que destruía a tua "zona". Mais graficamente, um dos avançados aparecer de rompante ao primeiro poste vindo de trás do defesa que estivesse a cobrir essa zona, pois este estaria virado para o lado da bola e não tendo olhos na nuca, nunca saberia onde, como e quando o jogador do Barça iria aparecer. O mesmo aconteceria com o outro defesa e avançado ao 2º poste.

Neste lance, qualquer que fosse o estilo que quisesses implementar, o resultado seria o mesmo dada a excelente qualidade dos avançados do Barcelona.

Para falar de erros defensivos neste golo sofrido pelo Rayo terias que falar no erro que aconteceu segundos antes no meio-campo e que originou essa transição cuja fase de finalização vemos neste gif.

Paolo Maldini disse...

Em zona estaria assim

http://imagizer.imageshack.us/a/img903/3323/qP0ARa.png

e é por isso que nem dá para responder qd vêm gajos a falar de que os movimentos av em zona iriam fazer isto ou aquilo, pq essa n é uma referencia para quem defende zona... O antecipar então é de loucos... e revela como não se percebe absolutamente nada do que se está a dizer. Estando a defender zona, os avançados alguma vez iriam para cima dos defesas (q estariam precisamente onde os av do barça vao aparecer, mas de frente p a bola e para o lance) para se anteciparem quando com passos atrás recebiam no pé... Uma coisa é querer debater outra é vir falar de legumes e querer ter uma resposta de futebol.

segismundo brotafrontes disse...

umas perguntas obre o lance do eliseu, que eu tb n percebo nada disto e gosto mt de ir à frutaria comprar chapéus.

O gajo está claramente fora do sítio. Aliás, normalmente - e não sei porque carga de água, e também não é só por causa do vitória, já o ano passado cometia o mesmo erro - está um passo ou dois adiantado em relação à linha defensiva.

Ora, há aqui um primeiro problema: n deveria a linha compor-se a partir do posicionamento dele? É falha do eliseu - ao não cumprir a bola coberta/descoberta e subsequente controlo de profundidade - ou falha constante do jardel e o resto da linha tem q seguir o posicionamento do jardel?

Em todo o caso, e hipoteticamente, tb seria justificável que o defesa lateral do lado da bola estivesse sp um pouco à frente da restante linha para atacar mais depressa a bola - no caso de uma recepção falhada, um adiantamento excessivo da bola em corrida por parte do adversário, etc? Até numa situação de hipotético fora de jogo, quem conta são os defesas atrás dele, portanto esses sim têm que estar alinhados e fazer o controlo da profundidade, impedindo o defesa lateral do lado da bola o passe ou cruzamento do adversário. Pode ser isto?

De qq forma, se bem me lembro, naquela imagem não aparece um jogador q está junto à linha, do lado do eliseu.

Ora: se por um lado ele desfaz a linha para tentar aproximar-se do extremo - o q é estúpido se estiver a defender à zona - por outro não tem a reacção correcta ao passe que vai ser feito. Isto é, tendo presente a posição do podolski e havendo aquele espaço todo sem ninguém à frente dele (o pp gaitan deveria estar a fechar mais dentro), o eliseu teria que estar atento à possibilidade de aquele passe sair. Também é assim que a orientação dos apoios se faz, ou não? Prevendo as direcções de corrida, mediante a bola coberta ou descoberta (em colectivo) e escolhendo o lado que se oferece ao opositor no 1x1 em contenção. É isto?

Outra pergunta é: acham que é desconcentração do eliseu; demasiado tempo a jogar noutro tipo de organização defensiva; ou simplesmente não dá mais?

PP disse...

É o que eu digo... misturas alhos com bugalhos.

Então a situação que colocas aqui:

http://imagizer.imageshack.us/a/img903/3323/qP0ARa.png

É a mesma que expões no artigo?!

«Estando a defender zona, os avançados alguma vez iriam para cima dos defesas»
Olhando para o posicionamento de Neymar e de Suarez, se o central que estava a pressionar o Suarez descesse para a pequena área ou interior da grande área como aparentemente indicas pela tua comparação, então o Suarez ficava solta à entrada da área... realmente, nem precisaria de pedir ao Munir para fazer aquele movimento diagonal pois definiria logo dali.

Eu acho que há pessoal aqui que tem demasiado em sua conta e que deveria ser um pouco mais humilde nos comentários, pois ao quererem demonstrar a todo o custo que percebem disto, estão a demonstrar o contrário.

Fica aqui o conselho.
;)

Paolo Maldini disse...

LOL PP tu n tens emenda. Mas tens muita graça.

Cantinho de Todos disse...

um dos problemas da utilização da "zona" em situações cruzamento/finalização é precisamente o de defender o passe/cruzamento atrasado. Nesta situação concreta havia várias opções para aqueles dois defesas: fazer aquilo que fizeram (levar a marcação individual até ao fim); marcar individualmente mas trocar de jogador quando atacantes cruzam evitando a troca de posição entre centrais; defender zona colocando o segundo defesa central no alinhamento do primeiro). A melhor opção neste caso concreto parece-me a utilização de zona até porque entretanto já vinha um médio do rayo a chegar. A decisão é claramente do central mais próximo que em vez de baixar vai atrás do Suarez para o 2º poste, obrigando o outro central a fazer o mesmo...

mas em zonas de finalização se a única referência for a bola às vezes acontece um golo como este do lokomotiv ao sporting (aos 3' mais ou menos)( https://www.youtube.com/watch?v=JhsjjwUOvGo )em que a defesa até está minimamente alinhada e sofre golo no passe atrasado... e isso tb poderia ter acontecido no jogo do Rayo-Barça caso um atacante atacasse o espaço e outro ficasse para trás. Numa situação de igualdade numérica a vantagem vai ser sempre dos atacantes especialmente se tiverem qualidade como estes do barça.

De resto até no andebol que é a modalidade coletiva mais zonal em organização defensiva existem marcações individuais e preocupações individuais por isso fundamentalismos não me parece que façam muito sentido.