terça-feira, 6 de outubro de 2015

Desafio aos leitores: Encontrar a equipa com "as ideias" do Blogue

Será que com todo o futebol que se vê por este mundo inteiro, são capazes de encontrar uma equipa com as ideias de jogo do Lateral Esquerdo?

Quem se aproxima do que se defende por aqui?

Atenção que não estamos a procura de quem gostam mais de ver, ou do clube que defendem. Esqueçam as cores das camisolas, os nomes dos jogadores e dos treinadores, e a liga onde jogam.

Queremos ver comportamentos de acordo com o que se fala aqui.

É comum pensar "adorava juntar a pressão do VP no Porto, com a construção do Bayern do Pep, a Organização defensiva do Benfica de Jesus, a transição defensiva do Barcelona de Pep, a fase de criação do Arsenal de Wenger, e a transição ofensiva do Dortmund de Klopp"..

Ok, mas isso é o "fácil" e ainda assim muito discutível.

Será que nos conseguem ajudar a encontrar essas equipas?

Sejam criativos.

46 comentários:

RS disse...

Nápoles.

cobra2 disse...

Do pouco que tenho visto o Tottenham do Pochettino.

Duarte Fonseca disse...

Fiorentina.

Dennis Bergkamp disse...

O que é que identificam nessas equipas que mostra ter as mesmas ideias que defendemos?

RS disse...

Queria fazer aqui um mea culpa porque precipitei-me com a excitação de mencionar uma equipa, e nem pensei bem no que estava a dizer. O Nápoles tem excitado ultimamente, mas...

... Claramente a equipa que está a tentar implementar as vossas ideias é o Atlético Povoense, da AF Lisboa Divisão de Honra Jun.A S19 2015/16. :)

Patrick Pereira disse...

O Napoli de Sarri ! Estou a preparar uma analisa. Muito bom !

Sandro Barbosa disse...

Quando há dias se falou no que Jesus deixa à mercê da qualidade individual no seu modelo fiquei a pensar precisamente nisto. Neste caso obviamente é só um exercício, mas em termos reais na vossa opinião seria de facto possível implementar a construção do Pep e a organização defensiva de JJ?

Isto é, em termos de operacionalização, é exequível trabalhar o momento defensivo como JJ trabalha, e ainda ter tempo para trabalhar a construção ao nível de Pep? Ou a transição como Klopp? Eu sou leigo e posso estar a dizer disparates, mas não será por "falta de tempo" no treino, que JJ (ou outro qualquer) se dedica mais tempo a trabalhar o momento defensivo, e menos para outros momentos, deixando que a qualidade individual resolva esses problemas? Sendo que me parece, a mim que sou leigo, que será mais provável que a qualidade individual resolva problemas num modelo onde há menos organização ofensiva, do que fazê-lo onde falta organização defensiva. Faz sentido? No fundo o que digo é que em termos práticos vai ser sempre necessário descurar alguma coisa no modelo, para que outras estejam permanentemente afinadas ao máximo.

Na fiorentina vejo proximidade entre os sectores e jogadores, oferta de várias opções de passe ao portador, saída com a bola controlada, exploração dos três corredores. Mas ainda não vi nenhum jogo completo.

bio disse...

Eu diria o Nápoles.

Campujo Campos disse...

A transição defensiva do Leverkusen!

Gonçalo Matos disse...

Boavista do Petit! Mas tudo ao contrário. :)
Povoense não deveria contar.. Nesse caso digo Fófó feminino!

Antonio disse...

Pelo que tenho visto, Nápoles. Apoios frontais, várias linhas de passe, pausa no jogo a proporcionar boas decisões, equipa com sectores sempre muito próximos. Espero não ter dito muitas barbaridades!

Nelson Lopes disse...

Borussia Dortmund

Leão de Alvalade disse...

O Barça de Guardiola e o seu sucedâneo Espanha

O FCP de AVB e depois de Vítor Pereira

O SLB do primeiro ano de JJ

Dennis Bergkamp disse...

Sandro,

É esse tipo de discussão que se procura.

Tal como um post anterior referiu, é possivel trabalhar todos os momentos, desde que se valorize a ligação entre eles no treino.

Imagina uma tarefa de treino para treinar a construção a partir do GR como faz o Pep.

Podes fazer isso contra cones, com os 4 ou 5 jogadores a ultrapassarem a linha do meio campo, ou podes fazer isso contra oponentes reais.

Agora imagina que fazes isso contra oponentes reais (já que é isso que vai acontecer nos jogos, mesmo que algumas equipas tenham por lá alguns pinos) e assim que os oponentes ganham a bola param o exercício para começar de novo. Nesse caso poderão estar apenas a trabalhar a construção, e talvez alguma organização na pressão. Mas se quando os oponentes ganham a bola procuram marcar golo já duas coisas entram na conversa: Transição ataque/defesa e Transição defesa/ataque.

Depois, dentro das ideias do treinador as coisas podem evoluir para outras coisas.

É então possivel viver em treino as ideias globais do que se quer fazer em jogo. Mas é necessário que se veja o treino dessa forma, coisa muito rara de acontecer, mesmo a TOP (sendo que TOP se entende por primeiras ligas e não necessáriamente 4 ou 5 equipas no mundo).

De resto, o desafio permanece, já que ninguém foi capaz de aprofundar.

Dizer "Dortmund" é fácil, mas o que é que no Dortmund acontece que faz lembrar tudo o que se defende por aqui? E no Napoles?

E acontece tudo como defendemos, ou só alguns dos momentos?

Gustavo De Large disse...

Nápoles do mágico Sarri. Aliás, é com alguma "desilusão" que denoto a sua ausência do blogue. O seu espectacular Empoli dava recitais de bola aos matulões. Agora, com outros meios, vê-se a obra a nascer.

Ele e Paulo Sousa iluminam neste momento a Série A.

DC disse...

Depende muito dos posts e dos autores.
Por vezes, muitas vezes, o modelo é o Barça do Pep. Noutra defende-se uma organização defensiva excelente e o pormenor de ter bola já não é tão valorizado. Daí, a dúvida.
Pep não é muito bom em organização defensiva como se viu contra o Barça no ano passado. No entanto é o melhor do mundo em organização ofensiva e reacção à perda.

Portanto se é para fazer uma média, digamos, da opinião dos posts, a equipa do blog está mais perto do Porto de VP do que do Barça do Pep, na minha opinião.

cobra2 disse...

Justificando a resposta Tottenham do Pochettino, diria que por privilegiar a posse de bola, assim como a utilização do centro do terreno para tabelarem e criarem espaços entre linhas. Para além disso acho que a 1ª preocupação da equipa a recuperar defensivamente é evitar que linhas de passe de ruptura existam.

Sendo amador na análise de futebol e apenas aprendendo com o que aqui se escreve, perdoem-me as minhas potenciais bacoradas.

Artur Semedo disse...

eu, só para chatear, diria: o blogue existe pela lavra de três indivíduos que, não obstante a similitude geral de pensamento, divergem necessariamente num ou outro pormenor; logo, por que podemos pensar que existirá algures uma equipa que siga tal qual o que aqui se predica, seja no global, seja no específico? :P

Dipeca disse...

O Nápoles de Sarri é mto próximo daquilo que vocês defendem. É uma equipa competente nos 4 momentos.

O.Of : Sectores próximos, muitas linhas de passe ao portador, o que facilitará a transição defensiva em caso de perda (ainda por cima a reação já é mto forte). Se portador não tem apoios, então temporiza.
Aproveitamento dos 3 corredores, procura avançar sempre por onde têm vantagem (numérica ou posicional).
O.Def: Sectores próximos, zonas de pressão definidas...

Ah, e acho que é proibido cruzar :).

Guilherme disse...

aos meus olhos de leigo e dps de ter visto dois jogos deles o Tottenham do Pochettino tem um a org. ofensiva proxima do que aqui se defende, i.e., ideias claras de jogo com a bola no centro de tudo. Tenta jogar entre linhas, e sobretudo pelo corredor central, verticalizando sem correrias. Os jogadores tentam oferecer linhas de passe ao portador para facilitar as tabelas e criar desequilíbrios ofensivos. O que nao impede que por vezes hajam cruzamentos sem nexo e mas decisoes individuais (o Kane é mestre nisso).

O Tottenham nao consegue sempre ter a bola, talvez pela mais valia individual de alguns adversarios e também porque nao joga sozinho. E na minha ignorancia, parece-me que a organizacao defensiva peca por lentidao na pressao/contenção sobre o portador, com o espaço entre este e a baliza a nao ser imediatamente ocupado. Mesmo assim parece-me melhor organizado que o Arsenal, por exemplo, e com os jogadores deste ultimo o Pochettino provavelmente seria lider isolado da Premier.

Mas pode ser que esteja enganado, vou aproveitar esta pausa das selecoes para ver o jogo contra o Swansea :)

Hélder disse...

O Aves do prof. Neca com este jogador http://www.abola.pt/nnh/ver.aspx?id=575225

Pedro Ribeiro disse...

Villarreal do Marcelino Toral

Gonçalo Matos disse...

Para adicionar algo ja dito de outra forma pelo DC, a equipa que vi com melhor org of, era aquela com melhor trans def. Mas não consigo deixar de sentir que a qualidade individual que permitia aquela org of asfixiante é que levava a que a trans def fosse também asfixiante. Havia muita gente onde a bola era perdida e perdia-se sempre muito longe da baliza.

Cheira-me que o Santa Clara vai começar a mostrar muita coisa que se defende aqui.
E claro, Paco Jémez, é alguem que também defende muitas das ideias aqui defendidas ofensivamente.

Havia o Swansea do Laudrup também em org of, houve um ano bom do Martinez no Everton.

Havia o Porto de VP e de Mourinho.

Já agora Bergkamp, se pudesses só trabalhar dois momentos, quais seriam e porquê?

Dennis Bergkamp disse...

Bem lembrado o Swansea do Laudrup. Desperdicio o fantástico treinador que está escondido onde faz calor todo o ano.

Só de pensar que esteve quase quase para vir treinar para PT até faz sonhar alto.

É uma boa pergunta Gonçalo, mas não é de fácil resposta. Ia depender um bocado do contexto e dos objectivos do clube.

Em futebol jovem, Organização ofensiva e transição ataque/defesa. Em adultos.. não sei. É mais "fácil" trabalhar organização defensiva, e é também mais fácil organizar as coisas para atacar com poucos e velocidade (ser fácil organizar, não quer dizer que é fácil ter qualidade nisso). Acho que depende muito do contexto.

Imaginemos agora que "eramos nós" a pegar no Tondela... se calhar organização defensiva e transição defesa/ataque para começar... e assim que aquilo estivesse estável, pensar noutras coisas. Mas é preciso dar prioridade a algo.

Com crédito era mais cómodo começar pelo que se gosta, sem crédito o mais provável é tentar não ser corrido ao final de 1 mês. Organização ofensiva é bem mais complexo de trabalhar e demora mais tempo a ter resultados. Mais porque demora um tempão a que os jogadores acreditem que não precisam de bater nela para chegar "lá acima" do que outra coisa qualquer.

Bem jogado Gonçalo, a bola está do teu (ou do vosso) lado.

bio disse...

Não me tinha apercebido que era preciso justificar.

Opa os vossos conceitos são relativamente simples:

Org. Def bruno carvalho: defesa curta, linha bem definida, quem sai fora, um berro e dois calduços e começa de novo.

Org. Of. Reinaldo Teles: as duas laterais sempre bem abertas, mas o ataque é sempre pelo centro, onde se encontra a baliza sagrada para meter as bolas.

Reacção à perda Pedro guerra: carga máxima no portador da bola, com agressividade. Nunca larga o osso.

Transição Of. Toni: bola no corredor e 500 cruzamentos. 500? 400 ou 300 home!!!

Transição Def. Rui Oliveira e Costa: contenção e um VAT.


Ou então não é nada disto ;)

David Cardoso disse...

O FOFÒ ( equipa feminina) vi 1 jogo apenas para a supertaça (reparei que fizeram um post sobre eles) , mas a equipa parece jogar como vcs gostam , sem pontapé pra frente , sempre com linhas de passe , para além desses penso que o FCP de Vitor Pereira ( que tanto vcs gostam deste treinador ) , a União de leiria de José Mourinho , e o Porto campeão da Taça UEFA com este e o o Barça do Pep Guardiola ;)

Amável Tolo disse...

O benfica do Rui Vitória em org defensiva e transição defesa ataque. Senão não ganhava em Madrid como ganhou.
A jogar assim e com Jonas e Gaitan a render, acredito na Champions

Diogo Lopes disse...

Será possível encontrar uma equipa que se aproxime dessas equipas em todos os momentos?

Nuno Ferreira disse...

Um aparte
Fantástico blog
Parabéns a quem o criou.
Não perco um Post vosso.

Continuem assim

Pedro Correia disse...

Napoli, Fiorentina, Dortmund, Bayern, Rayo e Selecção Chilena.

Blog de Portugal disse...

Do que já vi escrito pelos autores no blog, acredito que seja o Nápoles ou a Fiorentina.

Das equipas que já vi uns jogos esta época, diria o Dortmund e Sporting.

O Dortmund, por procurar ter bola jogar de forma apoiada, mas mesmo com o Tuchel ainda se aproveita as boas ideias de verticalidade, com qualidade, que o Klopp trouxe.

Procuram jogo de apoios frontais e combinações rápidas para criar boas situações de finalização, procurando dar primazia ao corredor central, sobretudo ali mais na meia-esquerda. Nessa zona colocam muitos homens e conseguem várias situações de igualdade ou superioridade numérica, com gajos muito inteligentes, como o Weigl, Kagaw ou Mkhitaryan.

Vários jogadores (sobretudo os que atuam no meio-campo) têm grande qualidade técnica e boa tomada de decisão, sendo que até um dos DC (Hummels) com frequência destaca-se pelos seus passes verticais de muita qualidade.

Têm uma reação à perda forte, mas no instantes seguinte a essa perda e na organização defensiva, parece-me que ainda têm caminho para melhorar.


Por outro lado, a escolha do Sporting fica sempre afetada pelos muitos posts que já houveram sobre JJ.

Procura do corredor central, jogo também vertical, mas com qualidade e critério, laterais a dar largura, extremos por dentro, bom jogo posicional, uso de apoios frontais.

Grande organização e transição defensiva, com cobertura da profundidade, forte pressão na bola, impedir que o adversário encontre as soluções que pretende (i.e, rodar o jogo), proteção da baliza.

Contudo, talvez no Sporting esteja a cair em mais cruzamentos do que se pretende, caso fossem as vossas ideias. E há sempre a questão de apostar em gajos aguerridos (ou agressivos no sentido comum) em detrimento dos mais inteligentes. Por exemplo, Adrien em vez de A. Martins ou Teo em vez de Montero.

Nunca fiquei em Sétimo disse...

Atlético Clube Cucujães!
Hugo Gonçalves, treinador do Cucujães:"Carrillo? Joga muito colado à linha..." (in http://www.ojogo.pt/Futebol/interior.aspx?content_id=4820057)

Vasco disse...

Sou um leigo nesta matéria, nunca estudei táctica, só em Xadrez. Isto para vos dar o meu parecer:
Vocês falaram em pressão e apontaram o FCP do VP, essa se bem me lembro era fincada no meio-campo. A pressão do Bielsa é campo inteiro, assim como a do Pep era no BCN.
Criação só existe Wenger e Bielsa.
Blessing aka Baggio, podes-me explicar pqeq a org defensiva do FCP é melhor q a do SCP? Lembro-me do BCN-SLB em camp nou em q estivemos fantásticos nesse aspecto.
Transição defensiva(reacção à perda) como é possível o Atl Madrid? É isso q defendes? porrada?! Sem dúvida Leverkusen, SCP e NAPOLI

R.B. NorTør disse...

Boa Blessing, mas é batota vires tu falar! =P

Malta que fala do Dortmund, tem visto os últimos jogos? É que o Dortmund está longe, muito longe, de ser uma aplicação de todas as ideias de que se fala aqui. Lembro-me de quando empataram em casa com o Darmstadt, o último jogo que vi deles, ter dito que se o Tuchel não afinasse a aquela defesa iam chover golos. Pensei que o ataque deles fizesse mais do que 1, mas os 5 sofridos não me surpreendem.

Denis, têm conseguido ver alguma coisa do Tondela? Como falaram aqui há uns meses largos do Paneira tenho tentado ver, mas até agora só 70 minutos do jogo com o Sporting.

TD disse...

Não querendo cair no erro de analisar uma equipa apenas por um lance bem sucedido, chamo a atenção para o segundo golo do Nápoles no 0-4 contra o Milan, em San Siro. Vejam as linhas de passe que cada jogador com bola tinha sempre disponíveis.

Dennis Bergkamp disse...

Nortor,

Tinha visto algumas coisas do Tondela, mas esperava que fosse diferente. Não vai dar para perceber a evolução porque mudaram de treinador e muito provavelmente a ideia nem sequer parecida é.

Concordo com o que dizes em relação ao Dortmund, se a atacar tem muito daquilo que se fala aqui, a defender não.

Quando a malta tiver tempo para isso, cusquem as coisas que se vão fazendo no méxico e no chile e por ai fora. Há equipas muito muito fortes a construir desde trás e a fazer coisas muito giras com bola.

DM disse...

A equipa ideal para os autores do Blog era Neuer na baliza e 10 Messis à frente dele :)

Helder Silva disse...

Acho que já posso fazer uma previsão para entrar nos vossos ideiais.

Liverpool de Klopp...

Pontapé Longo disse...

Bom dia!

Talvez não exista essa equipa.

Mas muito do que defendem começou, considero, com Rinus Michels.
´
Será então o Bayern? Ultima obra de Guardiola, o melhor de sempre a adaptar principios da laranja mecânica.

António Padeirinha

R.B. NorTør disse...

Eh pá Dennis que maneira de saber das notícias. Por causa do teu comentário é que fiquei a saber que o Paneira já era. Chile e México está comnplicado pá, se até a Fiorentina e o Nápoles já passam tarde (a essa hora só Benfica se jogar...) imagina os outros!

Hélder, vamos ver. A questão do Liverpool é que os jogadores têm andado um bocado afastados dos princípios do blog. DE tal forma, quanto tempo demorará o Klopp a meter o Liverpool a jogar? E qual o sector onde ele vai investir mais? O Klopp parece-me um bom treinador para defesas, mas em termos de ataque já flutua mais e depende mais do momento de forma das peças. Note-se o Aubameyang que desde que o Tüchel pegou na equipa parece outro.

Em determinados aspectos concordo com o comentário do Pontapé, que o Bayern é a equipa que mais equilibra os princípios, mas mesmo o Bayern no momento ofensivo aposta muito frequentemente na lateralização como forma de furar defesas, e nem sempre como uma fase transitória do jogo. Daí a ser mais difícil aranjar uma equipa que explore o jogo como um todo, da forma que ele é defendido aqui.

Tudo bem com o Blessing? Aquele post dele que deveria ser comentado desapareceu...

Vasco disse...

Vocês esquecem-se de outro ponto. Bolas paradas. O JJ gabava-se nos tempos do Belém de ser o único treinador a treinar esse momento de jogo e, diariamente.

fui disse...

Rayo!
Haveria outras onde esse paradigma é ainda mais óbvio e melhor. Mas o Rayo é a melhor das pequenas equipas, onde é sempre mais difícil implementar a posse e a decisão. Porque é mais difícil mudar habitos adquiridos, porque em metade dos jogos o adversário tem qualidade superior e porque não se consegue ter à disposição e manter os jogadores com qualidade na decisão e execução.
É fácil falar na mudança de paradigma olhando para algumas grandes equipas, mas é nas pequenas, que somam 95% das equipas em que a mudança se faz regra. E não obstante outros bons exemplos o Rayo foi a primeira e a melhor dos pequenos.

fui disse...

A confirmar o que disse o Rayo ontem foi a Camp Nou jogar olhos nos olhos com o Barcelona! Perdeu é verdade mas teve 55% de posse de bola!!!!! E mais remates!!!!!

Laranja disse...

Ontem vi o Barça-Rayo... meu deus, tinha vergonha de ser treinador do Barça e ser dominado daquela maneira maneira!

Sem duvida o Rayo é essa equipa! Dá um gosto do catano ve-los jogar!

B Cool disse...

O Nápoles que tanto elogiam, tem uma grande reacção à perda e uma grande pressão, mas em organização defensiva as linhas nunca estão próximas e como se viu no golo da Fiorentina o defesa sai e os outros não fecham no meio, além de usarem referências individuais em vez de zonais. Acho que nem Nápoles nem Fiorentina têm o momento da organização defensiva bem trabalhado, tendo privilegiado a organização ofensiva e a transição ataque/defesa (reacção à perda de bola muito forte e grande pressão sobre o adversário para rápida recuperação) um pouco à semelhança da Fiorentina.

Presumo que o Bayern e o Dortmund tenham alguma proximidade com o que é defendido, por aquilo que oiço, pois não tenho visto os jogos deles.

Acho Bergkamp que deve ser muito difícil trabalhar todos os momentos com qualidade, independentemente do crédito, pois verificamos que cada treinador pensa que dominando dois ou três momentos, a equipa será bastante competitiva - Guardiola, Tuchel, Sarri, Bielsa, VP, JJ, etc.

Quanto às equipas treinadas por vocês, considero que não deveriam ser consideradas. No outro dia, vi parte do Casaquistão-Holanda e a equipa casaque, apesar das deficiências técnicas, apresentava muitos comportamentos defendidos na maioria do tempo, mas por vezes batia na menina para a frente.

PicaretaLeonina disse...

Bcool, concordo que o Nápoles atualmente apresente alguns desses problemas, mas sei que não são exatamente essas as ideias do Sarri. Sei-o pelo que vai dizendo(que a equipa às vezes cai em referências individuais e não devia, que mudar de forma de defender para jogadores que defenderam de outra forma é complicado, etc etc) e, acima de tudo, pelo que conheço do Empoli dele, que foi a equipa com a linha defensiva mais perfeita que já vi(à frente do Benfica de JJ, incluisve). Acima de tudo, noto que a linha defensiva não se aproxima de forma agressiva e alinhada à linha média quando a bola está coberta, como acontecia, de forma quase maquinal, no Empoli. Mesmo lá havia alguns problemas na cobertura do espaço entre defesas e médios, mas com a ação da linha defensiva esse espaço era muito menor.

No entanto, também acho que o Nápoles ataca melhor que atacava o Empoli, e não sei ao certo se isso se deve apenas à maior qualidade individual. Por isso, é possível que o Sarri tenha aumentado o foco na organização ofensiva e diminuido na defensiva. E, caso o tenha feito, acho que fez bem, porque numa boa parte dos jogos vai levar com autocarros reforçados, e precisa muito mais de ter o momento ofensivo bem trabalhado que no Empoli, contra quem ninguém retrancava e que, por ser pior individualmente que quase toda a gente, precisava de se defender de forma excepcional. Como fazia, de resto.