quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

"Lopetegui não sabe motivar" José Aguiar.

A frase é de um cronista e retrata a ideia geral que todos têm das competências dos treinadores, quando não percebem um pouco sequer do que é o seu trabalho.

Qualquer coisa não está bem, mas não se sabe o quê? É o treinador que não sabe motivar.

Quando no clube um pai aparece a contestar algum treinador, já se sabe. Esse treinador não sabe motivar...

É difícil perceber exactamente o que é o "motivar".

Alguém acredita que treinadores como Jorge Jesus sejam capazes de motivar da forma como o público em geral idealiza o "motivar"? O que é motivar? Dizer a Sicrano ou Beltrano que é muito bom jogador e que vai resolver o jogo? E como que por magia o atleta passa automaticamente a ficar "motivado" e resolve mesmo o jogo?

A confiança num atleta é algo absolutamente determinante. O mesmo jogador é um quando confiante e confortável no jogo e no modelo, e outro totalmente diferente para pior quando duvida de si e do modelo.

Todavia, a confiança não advém das palavras. A confiança aparece quando há sucesso. Quando as acções realizadas pelo jogador são bem sucedidas! A equipa torna-se confiante quando o modelo a aproxima da vitória. No fundo, é muito mais o modelo a levar à confiança pelo sucesso que possibilita do que o contrário. Inserir o jogador num modelo que ofensivamente lhe garanta muitas linhas de passe, muitas e diferentes opções ao portador, sejam em apoio, ruptura ou cobertura e todo e qualquer instante, ajudará a que as suas acções tenham maiores probabilidades de sucesso, do que obrigá-lo a definir sozinho. E é deste sucesso que depois chega a confiança e a motivação. E não o contrário! Passar a tal confiança via oral tem um impacto reduzidíssimo quando não estão criadas condições para que o sucesso seja contínuo.

Lopetegui até poderá ser fantástico a motivar, ao contrário do que é sugerido. Porém, tal é absolutamente irrelevante se o que realmente faz aumentar a confiança e a motivação não estiver presente.


15 comentários:

Ricardo Perna disse...

A verdade é que não saber motivar pode também ser por causa do modelo que apresenta. Ao deixar de fora 1 avançado por troca com um central, o treinador desmotiva automaticamente a equipa e incute-lhe uma mensagem de inferioridade e de falta de confiança no seu modelo e nos seus próprios jogadores. Como se para se defender bem fosse preciso ter 11 centrais em campo... :S

Artur Semedo disse...

touché!

Ronaldinho disse...

Top top

m1950 disse...

Discordo.

Segundo o Lopetegui ninguém sabe quem é o marcador de penaltys do Porto , agora já sabemos , não sabemos é qual é o 11 titular do Porto , nem o público nem os jogadores.

Quando temos um jogador que erra e no jogo a seguir sai da convocatória , levando assim implicitamente com as culpas. O treinador está a matá-lo , como fez por exemplo ao Fabiano depois de Munique , entre outros "sem paradeiro" . A sua metodologia é esta , e vamos ver se o Marcano não "desaparece".

Ou então temos o mesmo jogador que aparece 3 jogos depois de ir para a bancada no 11 titular.

Numa equipa há jogadores chave que teem de ter a mínima segurança que vão jogar , nem falo do André André com o Dinamo de Kiev por exemplo. Aquilo foi algo que lhe veio a cabeça e ele escalou o 11 sem o André.

Isto é não saber motivar um plantel , muito pelo contrário até.

Como você diz e bem , os jogadores teem de acreditar no que estão a fazer , mas de facto o Lopetegui não ajuda muito.

Num jogo em que precisava de ganhar , ele tira o Aboubakar e joga com 5 médios , mas que sinal dá ele à equipa ?? Porque abdicou da forma de jogar do FCP ? Para travar as transições do CHelsea , diz ele , o Chelsea fez mais transições de qualidade que nos últimos jogos todos somados.

Parece-me que é a este "motivar" que o José Guilherme Aguiar se refere, e a ser assim tem toda a razão.

Pese embora eu simpatize com Lopetegui , parece-me que não aprendeu nada com os erros do passado.

Filipe Vieira disse...

Não precisas de "Avançados" para fazer golos. Assim como não precisas de "defesas" para defender bem. A prova disso é o Bayern de Munique que já várias vezes jogou com o Alaba a defesa central e com o muller ou o gotze a avançado centro. O que precisas é de ter um modelo que coloca os jogadores(sejam eles qual forem) em posições privilegiadas e portanto mais próximos de marcar um golo. Eu não estou a dizer que entrar com ou sem o Aboubakar envia sinais ou não aos jogadores. Estou a dizer que isso não é uma desculpa para não criar situações de perigo e fazer golos enquanto equipa. Á claramente falta de um modelo de jogo bem definido e ideias concretas, na minha opinião.
Saudaçoes

Rui Lança disse...

Há jogadores que se motivam por não haver modelo...não se esqueçam!

Tantos Lixos disse...

Não é só Lopetegui a derrapar.

A derrapar anda o blogue quando até já considera opinião o que sai da boca de JGA.

Pior ainda é ler o que agora se diz e o que se dizia nos tempos da torre mágica no centro do relvado.

Mudaram de opinião? Concordo. Só não mudam os burros.
Mas onde tinham formado a opinião "maravilhosa" nesses tempos de maravilha? Por empatia?

Gonçalo Matos disse...

Faz me confusão que o FCP, constantemente, não jogue com o melhor 11 possível.
Que pensas disto van Basten?
E obrigado pelo texto, com o qual concordo!

Pep disse...

Tantos Lixos, acho que a empatia se tornou nas boas coisas que ele trouxe. Como essa novidade no treino, aposta em jovens(ruben neves) e o facto de, pelo menos, querer ter bola e descansar com ela. O resto, todas as deficiências no modelo e não só, também foram alvo de críticas pelo menos segundo o que tenho vindo a ler no blog.

David Cardoso disse...

Excelente post ... E tem quem se inspire na ordem divina , que è o caso do Sa Pinto que depois da derrota de hj contra a Fiorentima disse "que Deus nos ajude que a liga comece a nos correr melhor"...

ricnog disse...

José Mota, Jaime Pacheco e etc motivavam muito bem...:

- "vamos la caralho"
- "ou fazes golos, ou vais embora"
- "e por minha causa que aqui estas, se me foderes vais para lixeiro"

a isto chamam motivação 99% das pessoas

PedroC disse...

Se o "motivar" quiser dizer, que o lopetegui nao tem maos para conseguir manter o foco no maximo a tanta "estrela" ao mesmo tempo, entao aí concordo.

Principalmente quando no Porto, e à excepçao de Mourinho, a estrutura (pinto da costa), foi sempre a principal fonte de manutençao de foco nos jogadores. E quanto a ele...a idade ja nao perdoa...

E quando nao havia estrutura, haviam simbolos em campo, lideres que berravam se fosse preciso, "caes raivosos" que sentiam o peso da camisola...e o ultimo deles foi bruno alves.

Mas o lopetegui provavelmente nao gosta disto, ate porque correu com o quaresma, e tapou o helton, que sao os unicos que poderiam ocupar mais ou menos esse lugar.

A parte disto tudo, o lopetegui tenta aplicar certas ideias que ate poderao nao estar erradas de todo...mas se calhar falta lhe é kit de unhas para conseguir que as coisas funcionem.

Se este plantel do porto tivesse o foco no maximo, pelo menos no campeonato, acho que os outros podiam ja pedir para sairem para ir a casa de banho, porque nao tinham hipoteses.

De qualquer forma...estou curioso para ver o que o meu Sporting vai fazer no dragao. O ano passado na correu muito bem.

Blog de Portugal disse...

Muito bem explicado.

Concordo com quem diz que as palavras motivam, e a própria escolha do 11 e as substituições levam mensagens aos jogadores que podem inspirar confiança, mas isto é o menos relevante.

O mais relevante é sem dúvida o modelo proporcionar elevadas hipóteses de sucesso aos intervenientes.

E isso só tem acontecido a espaços muito distantes no Porto, e apenas a nível interno. Difícil seria nem acontecer a espaços, pela diferença de qualidade individual que existe na grande maioria dos jogos.

Basta ver o que se tem passado no Sporting, e a moral com que já anda a jogar o Adrien, por exemplo.

Gabriel disse...

Motivação vs modelo de jogo por Tony Kroos:
https://pbs.twimg.com/media/CV8mvCmVEAAwipg.png:large

Joni Boy disse...

Não existe (ainda) na nossa "cultura futebolística" uma definição concreta que clarifique diferença entre ativação e motivação. Motivar é muito mais do que um "vai, vai, vai".... Nem sempre o melhor motivador é aquele que nos incentiva, no caso concreto do futebol, aquele treinador que passa o jogo/treino a .... ativar!

“"O estudo da motivação é a investigação das influências sobre a ATIVAÇÃO, força e direção do comportamento”" (Arkes & Garske, 1977).

Cumprimentos,
João Duarte