terça-feira, 1 de dezembro de 2015

O "banho táctico" de Rui Vitória.

É o habitual. Sempre que uma equipa vence de forma mais ou menos inesperada o seu adversário, mesmo que tenha os melhores jogadores, ouve-se sempre falar em banho táctico por parte de uma larga franja de adeptos, que naturalmente têm imensas dificuldades em perceber sequer o que é um jogo de futebol.

Não estando definido em qualquer espaço o que é um "banho táctico", arrisco afirmar, que se tal existe, não pode nunca ser apelido de uma equipa que joga apenas um momento do jogo. Seja ele qual for. 

No caso do SL Benfica em Braga, há que destacar a imensa categoria apresentada na hora de defender a sua própria baliza. Em organização defensiva as duas linhas (defensiva e meio campo) sempre muito próximas em largura e em profundidade, impediram completamente o Braga de em Organização Ofensiva entrar no bloco do SL Benfica. Obrigaram a equipa arsenalista a jogar sempre por fora (foi mérito da organização do Benfica), e consequentemente e ter situações de jogo cujas probabilidades de sucesso seriam menores do que se conseguissem entrar no bloco e ficar com apenas a linha defensiva atrás da linha da bola, estando o portador enquadrado no corredor central.

Em tudo o mais, zero o Benfica. Transição ofensiva, zero. Nem sequer houve vontade de a fazer. Provavelmente porque hoje é uma equipa que percebe não ter qualidade táctica para jogar o que o jogo pede, mesmo contra um Braga. Provavelmente porque Rui Vitória e os seus jogadores anteviram que não têm qualidade para defender atacando. Com bola, portanto. Abrindo a equipa nos momentos ofensivos, como fazem todas as boas equipas do mundo.

Marcando dois golos de forma mais ou menos fortuíta, estando a vencer por dois a zero, não se pode condenar a estratégia. Sobretudo porque mostrou competência na estratégia que definiu (jogar apenas em organização defensiva) estando a vencer por dois a zero. Seria a mesma, mesmo com o jogo empatado ou vitória apenas por um? Nunca se saberá.

Mas, será o caminho de quem está a ganhar, tendo qualidade para defender, limitar-se a um momento do jogo, toda a partida? Não de forma alguma. Apenas para as más equipas. Uma equipa que dá banhos tácticos, joga em todos os momentos. Sai para transição com objectividade e quando percebe que não chega rápido à baliza adversária, sobe e guarda a bola. Quando a perde, está organizada para a perda e assegura uma transição defensiva eficiente, até chegar toda a gente atrás da linha da bola e voltar a ficar em organização defensiva. Uma boa equipa tacticamente, refira-se. Uma má equipa tácticamente, escolhe um ou outro momento mais seguro, porque não tem argumentos nos outros, joga-o e reza. 

Mas porque esta questão de fé, se afinal até houve / há competência na organização defensiva, quando se abdica de jogar? Sobretudo porque é muito complicado mesmo para quem defende bem, estar quase noventa minutos apenas a defender sem sofrer calafrios / golos. 

Ontem, o Benfica mostrou muita competência no momento do jogo que jogou. Ainda assim, só em bolas ao poste daria para virar o resultado. Não foi demérito do Benfica em organização defensiva. Foi sim, porque estar a defender o tempo todo, obriga sempre a que os lances apareçam. E esse é um risco que quem não demonstra competência táctica para o que o jogo pede corre.

Em 2008, o Benfica deslocou-se ao Minho com Quique Sanchez Flores ao leme. O espanhol defrontava alguém que em surdina já se dizia estar a caminho de Lisboa. O jogo foi em tudo idêntico ao desta época. Aos quinze minutos de forma meio furtuíta estava dois zero. Até final uma equipa jogou e foi falhando bolas de golo atrás de bolas de golo, e outra defendeu como pôde e como sabia. Um banho táctico, também afirmaram na altura. Um banho que todavia não levou os responsáveis do Benfica a mudar a agulhas. Um ano depois o SL Benfica sagrar-se-ia campeão nacional pela segunda vez em quase duas décadas. 

46 comentários:

DC disse...

Dois pontos:
1- Não me parece ser total mérito do Benfica. Paulo Fonseca é isto e sempre foi isto no Porto. Sempre por fora, sempre a tentar criar superioridade nas linhas para centrar. E este ano se não é isto, foi isto com o Arouca, Benfica e Porto, os jogos que eu vi.
2- Sobre o "banho táctico", a boa organização defensiva seguida de transição ofensiva inexistente, refiro apenas que me parece estar a ler a crónico do Benfica-Porto do ano passado. Concordo em absoluto com esta crónica mas também foi esta a minha visão sobre o 2-0 dessa altura.

Reinaldo Gonçalves disse...

"O jogo foi em tudo idêntico ao desta época." (...) "Até final uma equipa jogou e foi falhando bolas de golo atrás de bolas de golo, e outra defendeu como pôde e como sabia."

Um autêntico exagero. O Braga não falhou bolas de golo atrás de bolas de golo. O Braga teve um única oportunidade de golo flagrante em bola corrida, logo depois do 0-2, num lance em que envia a bola ao poste e em seguida Júlio César defende. A outra bola na barra foi na sequência de uma bola parada. A terceira bola ao ferro que referem surge numa jogada infrutífera que o Júlio César tinha perfeitamente controlada. Conta-se, portanto, uma única e solitária situação de golo eminente favorável ao Braga em bola corrida.

Concordo com todo o resto da análise. Este modelo com aquela consistência defensiva era capaz de resultar em jogos de maior dificuldade caso o Benfica fosse capaz de efectivar transições ofensivas de qualidade. ( Em que tipo de jogada é que surge o penalty não assinalado sobre o Pizzi que poderia ter dado o 0-3?)

O 4-4-2 atabalhoado também vai dando frutos no Estádio da Luz contra equipas que são esmagadoramente inferiores.

Já contra equipas medianas que joguem no seu reduto o problema adensa-se: o 4-4-2 do Benfica será super-vulnerável nessas situações. Por outro lado, neste contexto, também não se espera a filosofia de jogo com um ponta de lança, que o Benfica apresentou, por exemplo, neste jogo com o Braga.

Cordialmente,

Reinaldo

Gonçalo Sousa disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Bernardo Ferrão disse...

Gostei do Braga até à fase de criação. Ai achei que tentaram ir invariavelmente para fora para cruzar na área e não para atrair e voltar dentro. Muito pelos dois avançados. Nenhum deles baixava em apoio, nenhum dele dava apoio frontal para tabelar, apenas pediam na profundidade. Repito, ambos! Assim torna-se difícil, mesmo para um equipa que ataca com quase todos, pois ter dois elementos que participam zero na construção e criação é quase absurdo. Principalmente por não oferecerem na fase de finalização um contributo assim tão brilhante para que isso seja benéfico.

Fico contente por haver mais um craque no LE. Se for o primeiro de muitos artigos bem-vindo e espero aprender mt contigo! Se não for o primeiro as minhas desculpas por não ter visto nenhum ;)

Bernardo Ferrão disse...

DC tu deves ser uma das pessoas que sabe que se puder estar sempre em Organização Ofensiva assinava por baixo. Que se pudesse limitar o meu jogo à Organização Ofensiva e Transição Defensiva era top. Sendo também essa a minha visão sobre o jogo em questão (Porto 0-2 Benfica), reside aí o principal facto para não considerar o treinador em questão o melhor português, nem um dos meus preferidos. Apesar de num momento do jogo eu me guiar por ele... aquele que menos gosto de trabalhar, aquele que menos aprecio: organização defensiva.

Rui Lança disse...

Estás a sugerir ir buscar o Paulo Fonseca? ;)

Tomás disse...

Salvas as diferenças óbvias entre os plantéis do Braga e do Porto, qualquer semelhança com um jogo do Benfica no ano passado no Dragão será pura coincidência.

Tiago disse...

Irrita-me também dizerem que RV foi corajoso em deixar Jonas no banco... Para mim ele é que não tem conhecimento para tirar partido das características de um dos melhores jogadores do campeonato. As pessoas adoram meter rótulos em jogadores (avançados, médios, ...) e pensam que os modelos de jogo definem todo o comportamento da equipa. Que o 442 deixa o meio-campo mais desprovido que o 433. É sempre a mesma conversa da treta em todo o lado.

O Braga ontem com sorte, e se não estivesse Julio Cesar na baliza, tinha marcado 3 ou 4 golos.

Edson Arantes do Nascimento disse...

(O resultado com os postes seria 3-3 :-) )

Claro. Só acho injusto não mencionar uma palavra: Renato. É preciso ver mais, mas ontem fez um bom jogo. Gostei muito.

O Braga também fez um bom jogo mas notou-se bastante a diferença individual. A jogada do primeiro golo do Benfica é criatividade pura do Mitroglou. O Pizzi também esteve fixe.

Num modelo de jogo com qualidade e bem treinado o plantel do Benfica teria uma imagem percebida muito mais favorável. Há qualidade para jogar muito melhor.

Blessing disse...

Estreia em grande Van Basten! Grande artigo. Concordo também totalmente com o Edson

DC disse...

Bernardo, de acordo. Eu também gosto mais de treinadores fortes em organização ofensiva e transição defensiva mas não estou de forma alguma a comparar JJ com RV. Apenas, porque o jogo do ano passado deu origem a muita polémica na caixa de comentários, achei curiosa esta análise.

E quanto à construção do Braga achei o mesmo. Só o Alan mudava um bocadinho a rotina de orientar para a ala. Fez-me lembrar o Atlético de Madrid, até. E o PF no Porto fazia um pouco isso embora pedisse ao Lucho que fizesse o papel de avançado e de médio mas em organização o que se via era uma linha de 4 na frente. Leio sempre muitos elogios ao PF mas continuo a não gostar do trabalho dele.

Guilherme disse...

Eu posso estar enganado, mas aos 5 minutos de jogo jà o Braga tinha um 1x1 contra o Julio César.

Subscrevo tudo o resto, e acrescento que um treinador que mete o melhor jogador do campeonato no banco por razoes de "estratégia tactica", merece ir treinar para a décima divisao do Girabola (com todo o respeito que o futebol angolano merece).

Blessing disse...

DC e Bernardo. Concordo que o jogo do Dragão foi parecido a este, no resultado. No campo não teve nada a ver. Aliás, escrevi sobre esse jogo o que pensei. Não teve nada a ver na medida em que o Porto não enfiou o Benfica no seu meio campo defensivo. Deu de barato a bola, é certo. Mas há uma diferença grande entre as formas organizadas e transitórias de defender.

Bernardo Ferrão disse...

Eu também acho JJ top dos tops em organização defensiva, no entanto não consigo gostar de equipas que apenas joguem esse momento por opção. Mais, que não tentem jogar outros momentos do jogo. Porque foi mais ou menos o que aconteceu no Dragão a época passada. Ainda que perceba o que levou os 2 treinadores (RV e JJ) a fazê-lo ...

Pedro disse...

Dentro do que tem sido o trabalho de Vitória no Benfica (ou a falta dele), tb é justo que se fale que infelizmente o homem tb tem tido uma malapata desgraçada, nunca repetiu o mesmo 11, talvez 2 vez o pode-se ter feito e não o fez, mas nas restantes vezes por ter jogadores impedidos quer por lesões de médio ou longo termo ou por situações de castigos...

Tb é justo que se diga que finalmente Vitória adoptou aquele que é por norma o seu esquema predilecto, o tal 4-2-3-1 em detrimento do 4-4-2 que para alem de não ser a sua "casa" tb não percebe as condições em que como ele estava enraizado na equipa...
Não digo que Vitória agora é o melhor do mundo nem nada parecido, porque não o é nem nunca foi a minha escolha para o Benfica (a minha escolha passaria por Paco Jemez).
Ontem Vitória teve tudo do seu lado, o miudo Sanches entrou muito bem, Fejsa esteve mais ao seu nivel (pecou um pouco no passe)...em suma a equipa funcionou naquele que era o plano traçado desde inicio entrar forte e tentar fechar espaços...conseguiu, sim com alguma felicidade, chegar ao golo, pouco depois chega ao 2º pelo meio salvo erro Mitroglou na sequencia de uma boa jogada obriga ao Kritsiuk a uma defesa de recurso, ou seja, a meu ver o Benfica, apesar de ter apanhado um susto logo de inicio de jogo, recompôs-se e empurrou o Braga para a sua defesa consegue o 1º golo fruto de uma boa jogada que nasce de um roubo de bola a meio campo, e marca o 2º fruto de um canto onde a bola parecia perdida não fosse o Jardel lá buscá-la, a partir dai com o resultado em 0-2 pareceu-me que o Benfica tentou jogar no erro, só que com um meio campo que fez ontem os primeiros 90 minutos juntos sem contar que até mesmo a defesa foi mexida desde o jogo em Astana, acho que é complicado estar a pedir que a equipa reagisse sempre corretamente, até mesmo tendo em conta o que foi a pré época (que não existiu), tendo em conta o clima de nervos que foi logo no arranque da época (logo com um Derbi na supertaça contra o treinador que mais sabe sobre esta equipa), mais as diversas confusões que foram acontecendo em campo e fora dele, já para não falar nas lesões que têem acontecido....por isso é que digo fruto de tudo o que se tem passado e depois de ver um Braga que esta época ainda não tinha perdido em casa para nenhuma competição, e um Benfica que apesar de ter um grupo de Champions meio manhoso mesmo assim arrisca-se a ficar em 1º lugar do grupo e ainda perto do topo da liga, acho que nem tudo tem sido péssimo ou até mesmo mau, nota-se que Vitória é curto, sim é verdade, mas atenção mesmo JJ quando chega ao Benfica a equipa não era perfeita, era atacar tipo rolo compressor mas no entanto de vez em quando eram dadas "casas d'outro mundo" a defender....repito o Vitória não é o meu treinador, mas deixa lá ver o que ele consegue fazer a partir de agora em que parece que finalmente se sentiu realmente confortável com aquilo que foi a equipa em campo, não tanto pelo que jogou ou não jogou, mas por aquilo que foi o comportamento da equipa no momento que estava a ser mais problemático.....o momento defensivo.....

Marcelo Castro e Silva disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
DM disse...

Só vi a 1ª parte. Subscrevo completamente. Este jogo foi completamente atípico como são todos os jogos em que o adversário marca 2 golos nas 2 primeiras oportunidades de golo que cria. O 2º golo, por exemplo, foi caído do céu. Não foi o Benfica a procurar a vitória, foi a vitória que sorriu ao Benfica. Nas equipas grandes vive-se de resultados e esta vitória supostamente "categórica" permite afastar alguns fantasmas. Esperemos pelo futuro para ver o caminho que Vitória vai escolher - para já, parece-me que começa a aceitar aquela "vaga de fundo" que lhe pede para tirar um dos melhores jogadores (Jonas) para poder jogar no seu "confortável" 433. Uma pena para o futebol.

Marcelo Castro e Silva disse...

Caros especialistas,

O que acham do Luís Carlos? Tem qualidade para voos mais altos? Por exemplo, jogar neste benfica ao lado de Samaris?

E o Fejsa? Tem qualidade para um Benfica? Isto porque, na minha opinião, é dos piores médios a sair a jogar que já vi...

Teconfil Limitada disse...

Quando li o título pensei que era um post de elogio ao SLB e à vitória conseguida num campo difícil, mas claro que estava enganado...
"Em tudo o mais, zero o Benfica." - surreal dizer isto, mas vamos ver quantas equipas vão ganhar ali. Esta época acho que o SLB foi a 1ª!
Sim, os golos do Benfica foram fortuitos, mas quem ganha aos 92 minutos com um penalty vergonhosamente oferecido por um ex-jogador tem todo o mérito do mundo na vitória.
Se as bolas ao poste e barra (se bem que numa delas a bola bateu na parte de cima da barra, já exterior à baliza do Julio César) entrassem o jogo tinha ficado 3-3, mas compreendo a intenção...
Parece que é a primeira publicação deste escriba neste blogue, e só posso dizer que está perfeitamente identificado com a linha editorial...

Edson Arantes do Nascimento disse...

Marcelo, não me leves a mal.

Achas o Fejsa mau e sugeres o... Luiz Carlos!? MEDO kkkkkk

as101345207 disse...

A "Teconfil Limitada";

Por favor abstenha-se de comentar sobre uma suposta "linha editorial" do blog quando parece não ter ainda decifrado bem a mesma.

Atenciosamente,

Pedro Costa

Carlos Rodrigues disse...

Que o Sr. não gosta de Rui Vitoria já se percebeu.... Que eu como Benfiquista também não gosto de Rui Vitoria, asseguro-lhe já que também não....

Daí a em bolas ao poste dava para virar o resultado..... Seja parcial! Sl Benfica também mandou uma bola ao ferro, que pelas suas contas daria um 3-3 final....

Benfica é curto, joga mal é certo.... mas há que louvar que se de momento não dá para mais que isto.... jogue-se com o que se tem....

Aguarda-se análise ao fantasticos jogos que tem feito o fcp esta época....

Miguel Pinto disse...

O slb jogou (mais uma vez) como o vitória de guimaraes jogava quando o rui lá estava. A diferença que noto é na qualidade individual dos jogadores que dispõe agora. De resto quando é obrigado a assumir o jogo põe a nú as dificuldades e as fragilidades que o seu modelo de jogo possui. Se tivesse sido o braga a marcar 2 golos daquela maneira imagino qual seria o discurso do rv caso perdesse... Já dizia o outro, o golo manda.
Teconfil limitada, como não foi o teu irmão que esteve em campo ousaste proferir essa afirmação ignóbil. Se não gostas de falar de futebol o que é que vens cá fazer?

B Cool disse...

Ao rever o jogo verifiquei que apesar de alguns erros, o Benfica mostrou virtudes que até agora não tinha mostrado em organização defensiva, linhas juntas, equipa estreita, muitos jogadores na zona da bola.

No entanto continua o problema das referências zonais criarem espaço quer entre os centrais, quer entre os laterais e os centrais. Ontem com a presença do Fejsa, mesmo quando os centrais se afastaram, houve sempre menos espaço, mas para mim foi a opção do PF de jogar por fora que contribuíu muito para que o Braga objectivamente criasse pouco jogo. O Braga tem uma oportunidade num cruzamento em que o Hassan acerta no poste. As outras bolas no poste resultam de bolas paradas, como também resulta a outra grande oportunidade do Braga que é um canto no início da segunda parte.

O maior problema é o controlo da profundidade que o Lisandro desconhece perfeitamente, o que facilitava as movimentações em diagonal do avançado do Braga passando pela frente do Lisandro para as costas do Jardel.

Quanto a abdicar de jogar os momentos de jogo é algo que caracterizava o Guimarães do RV e será sempre assim que o Benfica jogará sempre que o adversário for difícil e o resultado favorável. Portanto nada de novo, os resultados estão acima do bom futebol. Não é só com o RV, também vimos o Benfica na época passada fazer isso várias vezes. A menor qualidade táctica e a maior exigência física derivado do posicionamento defensivo do Guedes e do Pizzi a isso o obrigaram, porque no início de jogo via-se tanto o Pizzi como o Guedes em movimentos interiores.

Outro motivo é a inconcebível ausência do Jonas. O Benfica jogou em 4-4-2 com o Gaitán a fazer de Jonas, mas há uma diferença de qualidade em termos de criação entre os dois jogadores, o Jonas é bastante superior, apesar da criatividade do Gaitán que tem o contra de muitas vezes decidir mal (esta época então está a aproximar-se do Salvio). Há quem diga que o Jonas tem uma pubalgia e como tal tem que ser protegido. Se assim for, compreendo a gestão de esforço. Se assim não for, é simplesmente inconcebível.

Samuel Rodrigues disse...

Concordo plenamente. Também na época passada, quando o Benfica dominava todos os momentos do jogo, foi a alvalade empatar com um chouriço do Jardel no último minuto. Jogo em que fez um remate e se não fosse esse chouriço arrisco a dizer que o Benfica perderia o campeonato (á imagem de como perdeu para o Porto de VP).
Gosto muito do blog e sabem muito de futebol, mas neste espaço é facil endeusar JJ e diminuir RV.

Samu

Samuel Rodrigues disse...

Concordo plenamente. Também na época passada, quando o Benfica dominava todos os momentos do jogo, foi a alvalade empatar com um chouriço do Jardel no último minuto. Jogo em que fez um remate e se não fosse esse chouriço arrisco a dizer que o Benfica perderia o campeonato (á imagem de como perdeu para o Porto de VP).
Gosto muito do blog e sabem muito de futebol, mas neste espaço é facil endeusar JJ e diminuir RV.

Samu

Paulo Silva disse...

Na minha piniao, o benfica teve o jogo sempre controlado, marcou o primeiro golo numa jogada genial, chamar fortuito... comparar o jogo do ano da equipa do quique versus jesus, desculpem nao concordo., nao teve nada em comum, lembro-me desse jogo que o ruben amorim jogou na ala esquerda para tapar o joao pereira. Em resumo ontem o triunfo do benfica foi meritorio e o que eu vi foi uma a equipa a crescer e muito organizada, com o jogo mais bem conseguido em 2015/2016. Nao consigo ver essa equipa relatada no post.

Alexandre Martins disse...

Qual a diferença entre este jogo e o 0-2 contra o FCPorto na época passada? O Lima marca também em 2 lances (ainda mais) fortuitos. Nem tanto ao mar nem tanto à terra. Ontem o Benfica fez um bom jogo onde na época passada perdeu com o JJ. Ponto final. E a época do JJ contra o Vilas Boas? O Benfica perdeu na Liga Europa com o Domingos (!!!) e com o Porto 5-0.
É verdade que o RV tem processos mais limitados mas embelezar o JJ é ter memória (muito) curta

B Cool disse...

Quando disse referências zonais, queria dizer referências individuais

David Cardoso disse...

Eu atè gosto muito do L Carlos Marcelo mas esse è claramente jogador de equipa pequena , se jogasse no Benfica seria uma espècie de Beto , aquele que saiu do Beira mar pro SLB , como sempre em relação ao plantel concordo com o Edson e nao jogou Luisao , Samaris , Jonas ,salvio e N Semedo, pena ver este plantel tão mal aproveitado e com processos de jogo tão pobres,mas fico contente q em tão pouco tempo ver q vamos normalmente ter 3 jovens a titular neste SLB , (Ns Gg e RS )

Marcelo Castro e Silva disse...

Não digo que o Luiz Carlos seja superior ao Fejsa nnuma comparação "tête-à-tête"... Mas o que é um meio campo com Samaris - Fejsa no miolo? Onde está o médio criativo? Quem faz os passes longos e certeiros? O Samaris sabe passar para um colega que está a dois metros de si, o Fejsa nem isso...

A defender são os dois muito bons, recuperam muitas bolas! Mas na minha opinião, são valores muito parecidos, onde apenas um encaixa num futebol de equipa grande!

O que acham?

Diogo Santos disse...

Na minha opinião, e digam-me se estiver errado, o que o autor do post e autores do blog querem realçar, é que com os jogadores que o Benfica tem, apesar de não serem top mundial, tem mais qualidade que os jogadores do Braga, e como tal deviam ser superiores na maior parte do encontro,e não foi isso que se viu. Ate porque tenho dúvidas que se o Benfica não marca 2 golos quase sem saber como, não sei até que ponto o resultado não teria sido diferente.
E depois as pessoas compararem este jogo, com o jogo da época passada entre Benfica e porto, estão-se a esquecer dos jogadores que o porto tinha, que são superiores ao que o Braga tem! E se nesse jogo, o Benfica defendeu, e bem, e quando podia saía para o ataque, no jogo com o braga nem isso o Benfica fez. Nem os contra ataques sequer se aproveitavam.
Independentemente de se endeusar quem os autores quiserem, eles estão aqui para nos ensinar a ver o futebol de uma melhor maneira, e só quer não quer ver, é que ainda pode defender o Rui Vitória. Mas é como disseram no posse de bola, se o Rui Vitória se limitar a jogar como sabe, como equipa pequena, talvez tenha mais sucesso,do que tentar jogar como equipa grande e falhar.
Eu sou benfiquista, não tenho problema em assumir, e para mim um clube como o Benfica, tem pelo menos de tentar ser dominante todos os jogos do nosso campeonato, e lutar dentro dos possíveis de igual para igual com Sporting e porto. E se isso com Jesus era visível, com o Rui Vítoria nunca será, porque ele não é treinador para equipa grande, e como eu gosto de ver a minha equipa a jogar como um grande, Rui vitória nunca terá o meu apoio.
Cumprimentos a todos, e continuação do excelente trabalho

DM disse...

Paulo Silva, o chouriço do Jardel foi fortuito, e o golo que o Sporting marcou aos 87 minutos foi o quê :D

O Sporting o ano passado jogou aquilo que o Benfica quis que o Sporting jogasse. Os 2 golos foram, literalmente, caídos do céu.

Pedro disse...

Marcelo
Samaris e Fejsa são muito diferentes quer no estilo quer na forma como ocupam a sua posição em campo, Samaris é mais móvel e mais rotativo, Fejsa é mais compenetrado no plano defensivo e mais fixo...
Não te deixes enganar pelos passes falhados no ultimo jogo pelo Fejsa, porque se existe jogador com uma excelente relação com o passe quer longo quer curto é ele, apesar de não te ter sido muito feliz nesse capitulo no ultimo jogo...
Uma equipa grande precisa de muitas opções para cada lugar (muitas quer dizer....duas no minimo) e se o Benfica tem Samris e Fejsa diretamente para a posição de trinco se ambos estiverem sempre bem fisicamente (Fejsa tem uma péssima relação com as lesões) é uma felicidade para quem treina porque tens duas opções com bastante experiência e com conhecimento especifico do lugar para uma posição apenas, e o melhor é que não sendo bem compativeis um ao lado do outro não deixam tb de ser jogadores com formas muito diferentes de jogar se Fejsa tem cultura e formação de lugar já o Samaris é um 8 com muita disponibilidade fisica mas que foi adaptado a 6 por ser um jogador bastante reativo aquilo que é "pedido" no jogo..

Um jogador que se diferencia-se daquilo que é dado quer pelo Samaris quer pelo Fejsa....talvez William Carvalho, porque faz um pouco de tudo no meio campo, mas lá está cada contexto é um contexto e varia muito de equipa para equipa, portanto estar a dizer qual é o jogador que encaixa bem naquele meio campo é dificil porque não temos a posse daquilo qu é pedido ao meio campo do Benfica para fazer.

Por exemplo, muitos duvidavam de que Sanches pega-se de estaca no 11 de Astana para Braga, e a verdade é que não só pegou de estaca como corre o risco de ter agarrado o lugar definitivamente, pois se a equipa do Benfica conseguia subir ou descer (enquanto isso foi necessário) de forma mais harmoniosa muito pode agradecer ao posicionamento de Sanches, que não tendo sido o homem do jogo, foi definitivamente ele o homem que carregou o piano às costas.


Gaitan a 10......é sensaborão, parece que o seu jogo fica sem amplitude e sem nexo.

Jonas sai da equipa por controlo de desgaste fisico, mais gostava de o ver no próximo jogo na luz na costas de Mitroglou com Gaitan e Pizzi nas laterais e Sanches e Samaris no meio...Guedes tem de ir a banco pelo menos 1 ou 2 jogos....o puto anda completamente rebentado e isso nota-se no seu jogo....nem todos os jogadores nascem para ser com Aimar que mesmo roto e sem ritmo jogava e fazia jogar com uma qualidade assinável...

Ricardo Cunha disse...

A malta que aqui fala esquece-se de uma coisa muito importante, ter conhecimentos e perceber o jogo é uma coisa, ser treinador do Benfica é outra.
Ou vocês que pensam que sabem mais do jogo e percebem melhor o jogo que o Rui Vitória?
Se o Rui Vitória tivesse um blogue e falasse das equipas que vocês treinam ou em que vocês joguem havia de ser bonito.
Assumindo que vocês alguma vez jogaram ou treinaram alguém...
Por isso, mais respeito, e lembrem-se que o Rui sabe mais de bola a dormir que vocês acordados.
Abraço

facepalmjpg disse...

Sim senhor, Ricardo Cunha! Respeitinho é muito bonito e eu também gosto. Isto de dizer o que apetece em blogues e feicebuques e o camandro tem de acabar! Onde já se viu, esta pouca vergonha? Falar mal do ilustre mestre da gastronomia futebolística, o Rui Vitória! PQP, quem o vê a bolsar merda até pensa que voltamos aos tempos da velha senhora.

David Cardoso disse...

Marcelo e achas que este médio criativo seria o Luis Carlos??? mais vale o Renato ou metermos o João Teixeira , quanto ao Fedja acho ele um médio de boa qualidade , o Javi Garcia tem as mesmas características deste e jogava muito bem no SLB , quanto ao Samaris caso o JJ continuasse na luz acredito que este ano ele já estaria top na posição , ele é titular porque é um jogador mais completo , mas o Fedja claramente é bom médio.

Ricaro Cunha eu não tenho dúvidas que o RV percebe mais de futebol do que eu , dei-lhe 5 meses para trabalhar antes de começar a critica-lo , mas infelizmente a realidade é que o SLB não joga nada,e pior que não jogar nada é aparentar que não vai melhorar, mas como benfiquista esperançoso que sou , tenho esperanças que ele possa melhorar e evoluir como treinador tal como o JJ que ao meu ver saiu do SLB muito mais treinador do que quando entrou ( embora quando entrou era já muito superior a RV mesmo admitindo que entrou num cenário de investimentos e de plantel melhor do que o RV) , fica pelo menos 1 elogio ao facto de ele já ter consseguido em tão pouco tempo de forma brilhante lançar com sucesso 3 jovens que irão jogar regularmente a titular no SLB ( RS ; NM e GG).

Bernardo Ferrão disse...

Ricardo Cunha, tão normal no português. Qualidade avaliada pelo nome ou posto de trabalho.

B Cool disse...

Não há um botão de like para comentários?
É que subscrevo a 100% o que disse o facepalmjpg

rafael marques disse...

Que saudades se tem na "Pedreira" do Benfica de Jesus e do seu medo cénico.

não disse...

Realmente, concordo com a tua opiniao, o golo do jardel no ano passado com o sporting foi fortuito, foi bem recordado e porque valeu o titulo. O benfica jogou claramente para o empate nesse jogo, com um jogo muito italiano do atual treinador do sporting. Eu queria destacar que sou a favor da ideia de que por vezes um candidato pode nao jogar ao ataque e que pode ganhar doutra forma, por exemplo em transicoes rapidas, explorando os erros dos adversarios. Mas em braga o benfica fez um bom jogo, o melhor fora de casa, destaco sobretudo o toque do mitroglou no primeiro golo, um bom gesto , de apreciar para quem gosta de futebol.

João Fernandes disse...

Ricardo, se você podia dizer algo com substância que a valesse a pena debater, se calhar podia, mas não era a mesma coisa.

Shield from Tyrrany disse...

E quando o JJ entregou o tricampeonato de bandeja ao FC Porto isso foi um "banho de tactica" ? Quando ele nunca consegue passar a fase de grupos na Champions, isso é que foi "banho de tactica" ? Quando ele perder duas finais da liga europa contra equipas claramente inferiores, aí sim foi um "banho de tactica" ? Ou quando ele perde a final da Taça para o Rui Vitoria - esse tambem foi a tal "banho de tactica" do mestre JJ ?

Blog de Portugal disse...

Se há alguma intenção de criticar RV neste jogo (repito: neste jogo), parece-me injusto. Estar a ganhar 2-0 aos 15min, num terreno difícil contra um adversário de qualidade, a opção foi muito boa.

Claro que um Bayern, na mesma situação, jogava para espetar 5 ou 6. Mas acredito que no nosso campeonato apenas o FCP continuaria a ter mais bola que o Braga perante as mesmas circunstâncias, mas seria certamente uma posse sem objetivo (ter bola por ter).

E se JJ arriscou e bem na época passada no Dragão e em Alvalade, também RV arriscou e bem em Braga, perante as circunstâncias.


Contudo, é fácil de ver que teve alguma sorte ao chegar ao 0-2. Não só pela forma como aconteceram os golos, mas porque aos 18min o resultado até podia estar 2-0 para o Braga, o que seria também injusto. Futebol é imprevisibilidade, e neste caso o Benfica aproveitou-a bem.


Além disso, penso que os autores deste blog respeitam RV. Aliás, já foi referido que RV nem é mau treinador, mas todas as circunstâncias à volta do Benfica desta época tornam muito difícil o seu trabalho. E claro, JJ deve ser o gajo que mais sabe de futebol em Portugal, por isso é natural que quem lhe suceda tenha muitas dificuldades.
Simplesmente tentam mostrar as diferenças de um ano para o outro. E até concordo com as opiniões de que JJ é endeusado por aqui, mas talvez porque o seu trabalho merece de facto ser endeusado. Estivesse ele num "simples" Sevilha ou Leverkusen e veriam até onde ele chegava.

João disse...

Shield from Tyrrany, e quando o JJ teve 75% de vitórias pelo Benfica em 6 anos? E quando nesses 6 anos marcou mais de 400 golos e sofreu pouco mais de 100, lembras-te? E quando ele "fez" jogadores que depois foram vendidos por milhões? Ou quando lhos venderam e ele teve que arranjar um Manel para jogar e mesmo assim ganhar?

Esses argumentos que reduzem o trabalho que ele fez a meia dúzia de jogos valem zero e mostram o teu (des)conhecimento do jogo, porque se focam no resultado e não na forma como ele acontece. Por exemplo, o jogo da taça com o Guimarães foi depois de umas semanas terríveis em que a equipa perdeu várias competições e estava de rastos. Para não falar nos golos que foram chouriços...

Bernardo Ferrão disse...

Blog de Portugal, acho que o baixar linhas e jogar na transição não se deve ao 2-0 aos 15 minutos. Apenas acho q o 2-0 fezcom q n necessitasse de se expor tanto no contra.