segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

Post para o ano novo com a vossa participação

Da conversa entre os cinco elementos do blog decidiu-se preparar um post diferente do habitual, mas já antes lançado em anos anteriores. Os autores responderão às vossas questões num post que pretendemos publicado na véspera de ano novo! O formato (audio ou escrito) ainda está a ser pensado!

Servirá também para ficarem a conhecer um pouco as ideias / ideais dos mais recentes autores. O Van Basten que já publicou, e o Arrigo Sachi, que já se juntou ao blog há uns tempos mas que ainda não publicou nada!

Ficamos à espera das vossas questões na caixa de comentários!

P.S. - Serão escolhidas naturalmente, as questões que considerarmos mais pertinentes!

49 comentários:

Coiso disse...

Boa tarde,

Primeiro bom trabalho pelo blog. Segundo, o que acham do Renato Sanches no momento defensivo, e se será fácil melhorar a agressividade ao espaço. E ainda se acham que o Rui Vitória será capaz de criar um modelo de jogo que faça o Benfica lutar por títulos e se não quem acham que seria uma boa aposta para o Benfica, Preud Homme, Bielsa? Alguém que fosse fácil de contratar, sendo que o Vitor Pereira acho díficil, assim como Marco Silva ou Laudrup.

Desculpem se foi muito =P

Obrigado =D

Filipe disse...

Boa tarde,

A minha pergunta tem a ver com o Leicester. Ainda não vi nenhum jogo dele por isso, e se já tiverem alguma opinião minimamente formada, a minha pergunta é a seguinte: a prestação do Leicester tem na sua base um bom modelo de jogo? Ou é mais um caso que vai sobrevivendo devido às outras variáveis dificilmente controláveis do futebol (confiança dos jogadores pelo resultado, má prestação por parte da maioria dos grandes da Premier League, sorte)?

Obrigado

Rodrigo disse...

Excelente iniciativa!

Com a visibilidade toda que este blog ganhou, gostava de saber se já apareceu alguém em representação de algum clube a pedir textos em determinado sentido...? p controlar opiniões...? Como lidam com isso? E se já tiveram chatices por causa do blog?

keep up the good work

DF disse...

Viva!

1) que momento do jogo mais valorizam / treinam? porque?

2) Opinião sobre as contratações dos 3 grandes?

3) Como explicar a época de Mourinho e Van Gaal? Podem não ser perfeitos, mas não são o que os resultados ditam!

m1950 disse...

"Ter um meio campo com Matic , Enzo , Salvio e Gaitan , não é a mesma coisa que ter William , Adrien , João Mário e Bryan Ruiz , pois os primeiros teem uma velocidade e verticalidade que os médios do Sporting não vão ter nunca.
Tendo em conta os jogadores que tem , Jesus não deveria optar por uma forma de jogar mais paciente para chegar à baliza ?"

Nuno disse...

Portugal parece ter na forna uma bela geracao.

Acham que isso se deve a melhorias na formacao ou mais a uma questao de acaso geracional?

Nuno disse...

Treinadores a seguir com atencao nos proximos tempos?

Deixo 2 nomes Eddie Howe e Sarri

Nuno disse...

Pep no Barca = Espanha Campea do Mundo

Pep no Bayern = Alemanha Campea do Mundo

Pep no Man City = Inglaterra??

Pedro Gama disse...

Qual a melhor contratação da liga portuguesa?

Manuel Nascimento disse...

Se bem trabalhado e com um plantel "normal" (nem incrível nem super fraco), quantos treinos são mais ou menos necessários para uma equipa adquirir as bases do seu jogo (considerando algo parecido, em linhas gerais, ao que aqui se defende a nível de princípios)?
Ex: X treinos org def, Y trans def, etc.

Abraço

Benfiquista Primário disse...

Para suceder a Rui Derrota no Benfica (espero que seja amanhã, o mais tardar), achariam melhor opção um treinador português ou um estrangeiro? Ou seja, são valor àquela teoria de que, para ser campeão em Portugal, é importante que o treinador seja português por conhecer as especificidades do campeonato português, incluindo a necessidade invulgar de ter uma proporção de pontos perdidos baixíssima?

Numa segunda questão relacionada, como hierarquizariam os seguintes treinadores, para suceder a Rui Derrota:

- Vítor Pereira, Paulo Sousa, Marco Silva, José Peseiro, Preud'Homme, Bielsa, Lucien Favre?

Obrigado.

Benfiquista Primário disse...

* dão valor

Gonçalo Duarte disse...

Fala-se muito da diferença entre este Sporting de Jesus e o Benfica do mesmo,muitas das vezes negativamente,a minha questão é,até que ponto é que Jesus conseguirá montar um Sporting mais forte baseado na inteligência dos jogadores em detrimento da capacidade física,isto é,se o agora treinador do Sporting não pode tirar partido duma muito maior capacidade cognitiva dos jogadores,apenas Jonas tinha essa capacidade no Benfica enquanto no Sporting há William,João Mário,Ruiz,Aquilani e Montero, face á capacidade física de Samaris,Enzo,Gaitán,Salvio e Lima que não são jogadores tão fortes na decisão e a meu ver menos inteligentes.

João Bernardo disse...

Boas.

1ª - A pergunta serve para todos. Quando acham que irão dar o salto para uma Liga profissional como, por exemplo, a Segunda Liga ? E se já surgiu essa oportunidade e o porquê de a terem rejeitado ou de não terem chegado a um acordo.

2ª - Quem vai ser o campeão ? Porto ou Sporting ?

Guilherme Silva disse...

Boas,

Ficam aqui umas questões que sempre quis colocar mas nunca tive "oportunidade". Quem acham que, se é que há alguém, nas camadas jovens/equipa B do FC Porto tem qualidade para chegar aos A? E mais concretamente, qual a opinião sobre o Lichnovsky, André Silva, Rui Pedro e Rafa?

Noutro âmbito, o que recomendariam ao Liverpool de Klopp? O quê e que posições há a melhorar além dos defesas centrais? E para vocês, quem é o melhor treinador em Portugal (sem contar com JJ, pq a resposta é óbvia)?

Cumprimentos.

Manuel Nascimento disse...

Adenda ao comentário anterior:
*sabendo que num único treino poderei treinar mais que um momento... o meu exemplo foi mais para facilitar as contas individualmente :)

Inteligência disse...

Sendo que são defensores da periodização tática como é que conjugam os dias de treinar cada capacidade condicional com o momento de jogo que pretendem potenciar?
Por exemplo, é sexta e querem treinar velocidade e como tal focam-se em transições ou tentam criar exercícios independentemente do momento/principio que querem potenciar ?
Conseguem dar um exemplo de um exercício para treinar velocidade consoante a periodização tática ?

zatarra disse...

Há muitas ideias e filosofias de futebol. Muito do encanto antigo nos jogos internacionais era o confronto ente diferentes escolas e ideias e que muitas vezes uma dominava, não pela ideia em cima mas pelo quanto mais evoluída estava em relação às demais. Hoje com a globalização, apesar de ainda se notarem algumas características culturais, elas no entanto estão mais diluídas, quase numa dicotomia de futebol de transições e futebol de passe. Parece actualmente que a ideia de posse ganha mais adeptos. É óbvio que balizas há duas e bola só uma.E quem tiver a bola é que manda. Nem todas as equipas podem fazer um jogo de posse, ora por carências técnicas ora por carências de compreensão táctica do jogo. Mas num mundo em que essas duas vertentes fossem dominadas facilmente por todas as equipas, deixo aqui duas questões:
- Seria porventura necessário alterações às regras do futebol para tornar o jogo mais vertical, à semelhança do andebol ou do basket?
- Qual seria a maneira de desafiar equipas tacticamente perfeitas: o individual ou uma alteração do paradigma do jogo pensada a partir do banco?

Aza Delta disse...

Que mudanças/diferenças encontram no futebol comparando o ano em que começaram o blog(2008)e o ano actual?

abraços, e bom ano!

Gonçalo Matos disse...

Para cada um de vocês,
Melhor 11 de sempre (do que tenham visto),
Melhor modelo de jogo de sempre,
Melhor 11 da actualidade,
Treinador que mais revolucionou o jogo,
Jogador que mais revolucionou o jogo

Um abraço, bom ano e espero que tenham tido um bom natal! continuem o bom trabalho!

Duarte Palha disse...

Para vocês, qual o melhor treinador do mundo a seguir ao Guardiola?

Para a vossa idealização de jogo, qual o 11 ideal que escolheriam, dos jogadores que actuam em Portugal?

fpereira disse...

Boas.

Já existem artigos no blog com esse conteúdo mas que tal um resumo sobre os pontos fortes e fracos, situações fortes e situaçoes de risco durante a partida, dos principais candidatos ao título nas principais ligas europeias?
Cumps

Blog de Portugal disse...

Uish, tanta pergunta que gostaria de fazer... Vou tentar ser algo breve.

1 - Reforço a pergunta do Aza Delta. Diferenças no futebol (sobretudo a nível TOP) entre 2008 e 2015? E como é que acham que o futebol vai evoluir? Como vai ser jogador em 2023, por exemplo?

2 - Que achariam se o futebol começasse a permitir 8/9 substituições num jogo? Penso que mudaria completamente o jogo, com as equipas a poderem ter 3/4 estratégias bem diferentes entre si num só jogo, aumentando imenso a imprevisibilidade dos acontecimentos.

3 - O JJ falou recentemente nas adaptações de jogadores a uma nova posição (http://www.record.xl.pt/futebol/futebol-nacional/liga-nos/sporting/detalhe/david-luiz-deu-luta-a-jorge-jesus.html). Poderiam aprofundar o que ele falou, dando como exemplo a adaptação que fez com o Enzo Pérez?
Se fossem vocês JJ, o que teriam feito (com o vosso staff) para o adaptar a médio?

4 - O que é que acham que William Carvalho deve melhorar para ser ainda melhor como jogador?

5 - Se estivessem numa situação em que teriam que tirar um jogador com grande influência e peso no grupo (e que o poderia colocar contra vocês) logo pelos 25/30min, colocando um outro de qualidade razoável mas com as caraterísticas certas para o que o jogo estivesse a pedir, o que fariam?

6 - Assumindo que teriam em boa parte as condições que vocês gostariam a nível de jogadores - a jogar num sistema com 2 AVs, o que vocês gostariam de privilegiar? Os AVs a abrir nas laterais, um em apoio e outro em rutura, um possante e o outro na 2ª bola, etc etc??? O que seriam as vossas opções, e porquê?

7 - O que é que vocês consideram mais difícil de implementar numa equipa, a nível de organização coletiva?

8 - Quando é que marcam uma conversa informal no Norte?

Estudante disse...

Boas,
Tenho seguido o vosso blogue com muita atenção e interesse. parabéns por uma lufada de ar fresco no panorama do futebol nacional. Sem interesses e de forma isenta, os vossos comentários são sempre (ou quase hehe) muito pertinentes.
Tenho duas questões:
O que falta, na vossa opinião, para termos na televisão um programa semanal de efectiva discussão futebolística e não um teatro de 2 horas em que tudo se discute, menos futebol?
Se eu tiver um filho a jogar num clube amador e, não querendo que o puto se torne profissional, o que posso fazer com ele (em casa ou num parque qualquer) para ele ganhar umas noções de jogo interessantes que os nabos que o treinam não façam já ? (já varias vezes me chega a casa a dizer que o treino foi correr 2 horas)

B Cool disse...

Boas,

Assumindo que o melhor treinador do mundo é o Guardiola, gostaria que comparassem o Barcelona dele com o Bayern dele. Gostaria de saber se notam alguma evolução no sistema de jogo ou se as diferenças apenas são ditadas pelos jogadores em cada uma das equipas e pelas diferenças culturais em que se tem que inserir. Daqui resulta uma dúvida, inserindo-se numa nova realidade, como a do Manchester City (ou qualquer outra equipa inglesa) será que o modelo da futura equipa evoluirá novamente em função da nova realidade em que se insere, o futebol inglês?

Cá em Portugal, poderá Rui Vitória aperfeiçoar o modelo dele para melhorar o desempenho da equipa, ou apenas temos que esperar a recuperação de jogadores mais tecnicamente mais evoluídos/desequilibradores - Gaitán, Salvio, Semedo (como me admira aqui incluí-lo, mas tendo em conta que as alternativas são Almeida ou Sílvio) - para que com um sistema que se baseia no individual se torne mais eficaz? Será possível que a estrutura chegue à conclusão que Rui Vitória está aquém das necessidades do Benfica, ou teremos mais uma época de tortura? E no Porto, este sistema de Lopetegui tem algum espaço para crescer ou continuará na mediania habitual, mostrando em relação ao ano passado que a quebra de qualidade individual implica uma significativa quebra de qualidade da equipa.

Já sabemos que Jesus é, para vocês, o melhor treinador em Portugal. Resultados à parte, pois o que interessa é o processo, estará Jesus a aproveitar na plenitude todos os recursos que o Sporting dispõe, ou deveria ele pensar em adaptar o sistema dele aos jogadores que o plantel dispõe? Jesus evoluíu no Benfica, necessitará de não cumprir objectivos para evoluir no Sporting? Será que a barreira linguística é o único obstáculo a que mude para o estrangeiro, ou estando o Jesus tão adaptado ao Campeonato Nacional, terá ele receio de não ter um desempenho tão positivo fora de Portugal?

Depois de ver o boxing-day, chego à conclusão que a Liga Inglesa será facilmente vencida por um treinador que tacticamente seja competente. a ir Guardiola para lá, com quantos pontos de avanço acham que acabará? 10, 15 ou 20?

TheZ disse...

Cumprimentos e parabéns pelo trabalho desenvolvido no LE.

Pergunta:

Tendo em conta a inegável qualidade técnico-táctica de Jorge Jesus é razoável pensar que, depois de 6 anos a treinar o Benfica e conhecendo os seus jogadores, o jogo contra o agora seu adversário seria um desafio relativamente fácil de contornar?
(Isto até independentemente dos possíveis treinadores para o Benfica)


Pergunta:

Não me choca a possibilidade de o Benfica não ser campeão nesta época de transição, ainda que vestidos com praticamente um plantel bi-campeão, logo não o 'exijo' ao Rui Vitória mas.. tendo em conta a estrutura de um clube como o Benfica e a forte presença e impacto da personalidade Jorge Jesus especialmente no balneário, para quando é que seria esperado que Rui Vitória conseguisse implementar (mal ou bem) a sua ideia de jogo?

Obrigado

bio disse...

Oi,
Gostava de perceber melhor os conceitos de treino.
Vocês têm alguma livros que aconselhem a leitura?
Até para acompanhar melhor os vossos raciocínios.
Um abraço,
Gonçalo Mano

Unknown disse...

Qual a melhor postura defensiva que uma equipa devia assumir quando um avançado da equipa contrária, se coloca em linha entre o central e lateral da equipa adversária?

LGS disse...

Boas!

1- Têm alguma opinião sobre se as limitações, já aqui e no PdB discutidas, no jogar do Porto e do Benfica se devem a falhas no modelo ou a falhas na operacionalização?

2 - Porque é que têm sido tão "meiguinhos" com o Rui Vitória? (Rasguem-no lá de alto a baixo sff!)

3 - Se tivessem de apostar neste momento quem diriam que vai ganhar o campeonato?

4 - Reforçando uma pergunta já feita, como acham que o futebol vai evoluir nos próximos anos?

5 - O que mudariam, se é que mudariam alguma coisa, no futebol do Pep?

6 - Maldini, daqui a 5 anos onde vais/queres estar a trabalhar? Ou dito doutra maneira, quais as tuas ambições profissionais no curto/médio prazo?

Carlos Paixão disse...

http://www.record.xl.pt/multimedia/videos/detalhe/xavis-e-iniestas-em-potencia-mostram-a-marca-barcelona-em-17-segundos.html


Qual o vosso emprego de sonho? Onde querem chegar?

De momento onde trabalham?

Qual o melhor percurso que um aspirante a treinador pode fazer até chegar ao topo? Por onde começar?

Livros que vos tenham ajudado a formar o conhecimento que tem hoje?

Referencias a nível pessoal (pessoas que tenham mudado a vossa opinião sobre futebol)?

Qual o percurso que realizaram ate chegar aqui?

fui disse...

Antes de mais parabéns pelo blog!
Talvez por desconhecimento, sinto que o futebol teve uma grande evolução nos últimos 10/15 anos, e não só a nível táctico onde o grande expoente é naturalmente o Guardiola. Querem arriscar uma previsão das evoluções daqui a 20 anos?
Outra pergunta: pelo que entendo os níveis de forma física de um atleta são muito difíceis de gerir. Em algumas modalidades, por exemplo individuais olímpicas ou o ciclismo, todo o planeamento está feito para o pico de forma coincidir com a prova mais importante. Mas no futebol (e outras modalidades colectivas com competições longas) esse gênero de planeamento é impossível, como se planeia nesse caso?
Obrigado!

joaoc disse...

não conseguir ler todas as perguntas, portanto se calhar vou-me repetir... mas a minha questão pende-se com a luta do campeonato português. Lopetegui vs Jesus.
Se o JJ começou melhor o Lopetegui não "desistiu" e conseguiu ultrapassa-lo uma semana antes de ir a alvalade.
Por muito incompleta que seja a ideia de jogo de Lopetegui, comparativamente à do Jesus, a verdade é que o ano passado num ano de estreia ficou a 3 pontos do 1º lugar (mesmo que perdesse em confronto directo). E além de ter ficado em 3 pontos ainda desperdiçou 2 ou 3 oportunidades (que o JJ lhe deu) de os recuperar.
No ínicio da época "antevi" o claro favoritismo do FCPorto, mas será mesmo assim? Acham que o Sporting, mesmo sendo o 1º ano do Jesus, tem sequer 40% de hipótese de levar o caneco?

Bobe disse...

Imaginando que teriam de jogar contra uma equipa de JJ, seja o antigo Benfica ou este Sporting, qual a estratégia que adotariam? (Não, não sou o Rui Vitória :P )

Nelito disse...

Quem é o treinador que vai mais contra a vossa ideia de jogo, e tem mais sucesso? O vosso "Némesis"?

No ultimo mundial vimos o guarda-redes líbero (Alemanha/Bayern), a qual considero a mais recente evolução do futebol (guarda-redes mais jogador de campo). Qual a evolução seguinte que perspectivam?

Consideram possível uma repetição do FCP vencedor da Champions com o mesmo FCP ou outro qualquer clube português? E quais os fatores necessários para que tal aconteça?

O Brasil de 82 é considerada a melhor seleção de sempre, não tendo ganho nada. Qual a melhor equipa que consideram que merecia ter atingido a glória, e não a teve?

7tacuara7 disse...

Boas!

Antes de fazer a minha pergunta gostava de dizer que comecei a seguir o blogue há cerca de 3/4 meses, e já o revirei quase todo à procura de aprender cada vez mais.

Pergunta(s):

Djuricic, Cristante e Talisca. Todos eles jogadores chegaram com cotação de mercado elevada e com estatuto de jovens com enorme potencial, sobretudo Djuricic.
Serão todos fruto de um mau aproveitamento das equipas técnicas (atual e anterior) ou clara falta de adaptação ao futebol nacional?

Talisca desde que começou a jogar a médio nunca mais pegou destaque na equipa, como no início da época passada quando jogava na frente com Lima e já agoracom Jesus - que disse na altura estar a ensinar tudo ao brasileiro.
E Djuricic que era um craque na liga holandesa, nesta altura poderia ser o natural substituto de Jonas. No entanto não é aposta, tal como Cristante, que conta com uns meros 14 minutos de jogo. O que é que pode justificar tudo isto?

Obrigado, continuem com o excelente trabalho.

Pedro disse...

Caros, tenho uma pergunta muito simples:

Quando fazemos um exercício de ataque, por exemplo um 3x2 3x3, que instruções damos à defesa? Explicamos o que o ataque vai tentar fazer? Explicamos como defender, posicionando os jogadores como devem defender?

Abraço,

Pedro

Rui Pedro disse...

Durante a passagem de JJ na Luz, falou-se muito das suas opções para a posição de lateral esquerdo, e como tinha pedido jogadores tão maus para essa posição. Mas qual é realmente o grau de influência de um treinador na escolha dos atletas cujo passe é comprado? O treinador tem sempre a palavra final, ou o presidente? Pode acontecer ser comprado um jogador a quem o treinador, ou o prospector de talentos, se opõe (como parece ter sido o caso de Taraabt)? E por essa lógica, pode o presidente, ou director desportivo, ou outro agente, "forçar" que determinado jogador seja utilizado (o caso do Roberto parece ter sido um desses, em que outro tipo de interesses motivou a transferência, e depois a venda do mesmo)

Filipe Rocha disse...

Boas,

para quem queira seguir a carreira de treinador, uma primeira experiência com equipas de miúdos é o caminho recomendável ou iniciar numa equipa sénior é que é o caminho certo?

Cumprimentos e continuem o excelente trabalho que têm feito neste blog!

Guilherme disse...

Antes de mais um abraço a todos e desejos de um feliz 2016!

1. Como vêem vêem a evolução (em termos de organição ofensiva) do Paulo Fonseca desde o Porto? Vendo o Braga, em org. ofensiva nota-se uma preocupação em povoar o espaço entre-linhas no corredor central, ainda que por vezes os passes a rasgar linhas nao saiam e a equipa vai construindo mais pelas alas. Isto é imaginação minha, tem a ver com a qualidade individual dos jogadores que o Paulo tem, ou trata-se de um traço que o PF esta a maturar?
O contexto da minha pergunta é a messiânica possibilidade que ele mais tarde ou mais cedo acabe a treinar o Benfica, e provavelmente contra um Sporting ou um Porto treinados pelo Jorge Jesus.

2. Acabo não com uma pergunta mas com um pedido: escrevam um livro onde sintetizem e desenvolvam a forma como entendem o jogo, com especial enfoque no treino! Até pode ser por edição digital para poupar custos, ja podem contar com pelo menos um comprador :)

Lateral de Banco disse...

Como têm vindo dizer ao longo do blog (talvez não exatamente com estas palavras): uma boa organização ofensiva é aquela em que em todos os momentos o portador da bola tem (varias) linhas de passe que aproximam a equipa da baliza e/ou aumentam a probabilidade de sucesso de cada lance.
Uma vez que na organização ofensiva há inumeras situaçoes, ou seja, o portador da bola pode estar ou na linha, no meio, mais à frente, mais atras, etc., os jogadores adversarios tbm podem estar mais ou menos pressionantes, a marcaçao pode ser mais ou menos cerrada, a ultima linha pode estar mais subida ou mais descida... O que pretendo perguntar é com estas inumeras situaçoes que pode ter a organização ofensiva: qual o método a utilizar para que os jogadores percebam onde devem estar e o que devem fazer em cada situação para que o portador da bola tenha mais opçoes de escolha que levem ao sucesso do lance?

Barbosa disse...

O que é que há no modelo de ancelotti para ter ganho 3 vezes a champions, mesmo jogando (pelo menos no real) com sectores/jogadores afastados, predominantemente por fora, construçao/criaçao entregue às individualidades?

Inversamente, o que é que falta ao modelo de wenger (se é esse o problema) para que ganhe mais vezes, apesar de ter sempre um jogo de qualidade, bastante mais evoluído que a maioria dos rivais?

Finalmente repito uma questao que ja alguem fez: que leituras aconselham a quem quiser, de forma descomprometida, aprender um bocadinho mais sobre o jogo?

Boa iniciativa

GV disse...

De que forma pode a sistematização da organização defensiva e da transição ofensiva do JJ inspirar/influenciar a forma como os treinadores dos grandes clubes europeus abordam estes momentos de jogo?
As abordagens diferem de modelo para modelo e há compromissos por esse motivo, mas, em todo o caso e assumindo que se trata de um especialista com aspetos diferenciadores na sistematização destes momentos, será esse trabalho do JJ visível e notado no meio e estará o mesmo enquadrado com a realidade e necessidades que se colocam ao mais alto nível?

Bernardo Ferrão disse...

Em primeiro lugar mais uma grande iniciativa. Quanto às perguntas:

1- Que estratégias usam/como fazem para convencer os jogadores de que o jogar que vocês escolheram para eles são o melhor e para que confiem tanto no modelo de jogo como no método de treino.

2- E para existir confiança entre jogadores, para que não tenham método que algum jogador tenha a bola porque este é mais fraco.

3- Esta para o Blessing, o que achas da Fiorentina de Paulo Sousa. Especialmente da sua fase de criação.

4- Mais para o Bergkamp, quando se trabalha com miúdos, em futebol de 7, como geres a fase defensiva. O que ensinas. Como ensinas. Quando ensinas. Se dás muito foco.

DM disse...

O que é para vocês, intensidade? Quer intensidade individual, quer coletiva.

PicaretaLeonina disse...

O Jorge Jesus deu recentemente uma entrevista a um jornal macaense, da qual pretendo destacar uma passagem.

(entrevista aqui): http://www.xicapenico.org/2015/12/22/jorge-jesus-entrevista-exclusiva-e-completa-ao-jornal-ponto-final-de-macau/

"-Explique lá a sua fixação pelo 4-4-2. É o melhor figurino para uma equipa entrar em campo?

J.J. – O melhor figurino, não há. Cada equipa, cada treinador, acredita no seu sistema. O 4-3-3, o 4-4-2, o 3-5-2, não há “o” melhor sistema. O que importa é saber desenvolver o sistema – e há muitos treinadores que se agarram ao sistema e não sabem desenvolvê-lo. Os sistemas de jogo, como é óbvio, têm dinâmicas e é preciso dar-lhes uma ideia. Tudo parte do sistema, a primeira abordagem a ter é em relação ao sistema. É a partir dele que defines tudo: a forma como defendes, a forma como atacas, a forma como pensas o jogo. E isso é uma criação do treinador. As jogadas das minhas equipas são criadas pela minha cabeça e executadas pelos jogadores. Sou eu que as crio, em função dos posicionamentos dos jogadores. Para mim, o futebol é arte. Arte de quem joga e arte de quem treina. O treino e o jogo são isso: a junção da arte de quem treina com a arte de quem joga. O treinador é um pouco como o jogador, tem de nascer para o ser. Depois desenvolve-se. Com treino. O treinador só perceber de treino não chega, há muitas coisas que o envolvem e que ele tem de perceber."

A pergunta é: não acham que a frase destacada a bold resume bastante bem os problemas das equipas do Jesus?

Diogo Santos disse...

Se ainda for a tempo, aqui vai a minha pergunta, mais direcionada para o Blessing, não obstante, pode responder qualquer um dos autores:

Quem é/são para ti os melhores treinadores(neste momento) nas 5 fases do jogo? E que treinador/es achas que os vão suceder, ou chegar mais perto deles? E se não for pedir muito, uma breve explicação da tua escolha. Mas se responderes às 2 primeiras perguntas já fico agradecido.

Continuação do vosso excelente trabalho, e um bom ano 2016 a todos!

PS: escrevam um livro ;)

João disse...

Boas!

Faço da pergunta do DF a minha, como analisar a epoca de Mourinho e Van gaal? Que, Como e quando aconteceu e acontece ainda?

Cumps e um bom 2016!

Rodrigo Morais disse...

Meus caros, parabéns pela iniciativa e, como é óbvio, pelo blogue. De facto, aqui, pensa-se o jogo e o treino com a profundidade mínima que lhe é merecida. E o mérito é de quem por aqui vai refletindo. Assim sendo, falava com alguém, uma vez, sobre esse grande mérito vosso, contundo, dizendo que qualquer um de vós, dificilmente me ensinaria, verdadeiramente, alguma coisa sobre isto. Mas que, ainda assim, ajudavam-me a pensar. E que, provavelmente, eu não vos ensinaria nada, mas, ajudar-vos-ia a pensar. Bom, é nesse sentido que sai esta questão para vocês:

No início da época, ainda em fase intermédia do período preparatório, mas numa fase em que já alguns conteúdos para a organização defensiva tinham sido introduzidos, nomeadamente o controlo da profundidade para o setor defensivo, e tal como para com qualquer conteúdo de aprendizagem numa fase precoce da sua introdução e fundamentalmente em contexto competitivo, verificavam-se oscilações entre um bom comportamento de acordo com o exigido e algumas situações que contrariavam o que tinha sido efetivamente solicitado pela equipa técnica para o controlo de profundidade. Concretamente, quando a bola surgia descoberta, o setor defensivo encurtava, retirando profundidade, em vez de afundar e garanti-la. E não obstante esse reconhecimento da inerente instabilidade do processo ensino-aprendizagem, a situação intrigou-me porque os jogadores conheciam a resposta ao estímulo, e em treino, ao longo da semana, a aprendizagem parecia muito mais estável.

O que acontecia era que o facto de se comportarem coordenadamente sem pôr em causa o alinhamento fazia com que garantissem constantemente foras-de-jogo, o que se fazia entender, para os jogadores, como sucesso, reforçando positivamente essa ação setorial. E como nós sabemos, o fora-de-jogo não é uma consequência última de um bom controlo de profundidade, na exata medida em que um encurtamento do espaço com a bola a poder entrar na profundidade defende os jogadores que estão fixados pela linha defensiva e não os que entram em de trás para a frente. Isto é, em rutura. E, portanto, não defende o espaço e, consequentemente, a baliza.

O miúdo, central, que, sob ponto de vista cognitivo, estava acima dos outros, perguntou-me a certa altura: “mister, e quando acontece como há bocado em que a bola ficou descoberta e eles (restantes jogadores do setor defensivo) não afundaram? Eu sei que tenho que afundar, mas assim meti os jogadores em jogo.” E eu disse: “ A bola não estava coberta. Devemos afundar. Porquê?” E ele disse-me: “Porque pode haver jogadores a entrar de trás para a frente e recebem nas costas”; -“ Pronto, és tu que tens razão. Continua a afundar, mesmo nessa situação”.

Hoje daria uma resposta exatamente igual. Mas até hoje ainda pensei: “ Então, mas naquela situação o miúdo tem que tomar uma decisão, ora se alinha para ajustar com os colegas, ora se afunda e põe o adversário em jogo, favorecendo-o. O que é que o jogo pede nesta situação exata? Caso alinhasse com os colegas, mesmo não fazendo o que eu lhe ensinei e que eu sei que trará maiores probabilidades de sucesso tendo em conta a lógica interna do jogo, ele não tomou a melhor decisão naquele momento? Ele não se adaptou ao contexto?” - "Fazer o que o jogo pede."?

Como disse, qualquer jogador meu, hoje, teria uma resposta igual a que dei a priori, nesse caso. E justifico-o facilmente e com alguma segurança. O que faço é questão em saber o que vos parece. Por favor, exponham sobre isto em convergência ou divergência.

Um abraço.

Bernardo Ferrão disse...

Tenho aqui mais duas perguntas.

1- Para o Maldini. De uma forma geral como trabalhas a fase de criação das tuas equipas?

2- Optam por primeiro consolidar o básico e só depois ir evoluindo certo?! A minha pergunta vai no sentido de quando libertam os jogadores. Principalmente a nível posicional. O Blessing, por exemplo, tem videos no Posse onde o central aparece a lateral, extremo a interior, etc. Aquilo que pretendo saber é se desde o inicio dão liberdade aos jogadores para executar o "não interessa quem onde, desde que estejam lá" ou primeiro consolidam e depois dão liberdade?