domingo, 31 de janeiro de 2016

Equipa que joga bem e não ganha deixa de jogar bem

É essa a máxima que vai ditar o (in)sucesso de José Peseiro no Porto. Não é que a qualidade de jogo dos dragões seja admirável, longe disso. Mas nunca conseguirá tal objectivo se o caminho não foi feito de vitórias. As vitórias permitirão ao treinador incutir melhor e mais rapidamente o que quer nos jogadores, pela crença deles que é aquele o caminho que os vai levar ao sucesso. É fundamental para qualquer ideia de jogo, por melhor que seja, que o jogador tenha confiança e convicção naquilo que faz. Que não duvide. E para isso, só ganhando. E num clube como o Porto, só ganhando consecutivamente. O caso do Benfica é paradigmático. A equipa uniu-se finalmente em torno do treinador, e o resultado é uma maior coesão entre o que o treinador quer, e o que os jogadores conseguem fazer. Com isso, a melhoria da equipa, e o avolumar do resultado nos últimos jogos. A confiança dos adeptos. Tempo para trabalhar com tranquilidade sem que os jogadores se sintam pressionados a errar, ou mais pressionados quando erram. 

Foi assim o jogo na Amoreira. O Porto não fez uma boa primeira parte. Limitou-se a aproveitar os erros do Estoril (que entrou bem) e dessa forma conseguiu ir em vantagem para o intervalo. Depois, controlou com bola e no final percebeu-se uma maior confiança e conforto dos jogadores para jogar no último terço. Para não se precipitarem na decisão aí, e combinar para entrar na área com a bola controlada. Nesse final de jogo, percebeu-se o futebol que a equipa será capaz de apresentar quando estabilizar do ponto de vista emocional. Para tal, tem que continuar a ganhar. A reviravolta foi, aliás, um factor mais de reforço de confiança dos jogadores em si próprios, no treinador, e dos adeptos na equipa.

29 comentários:

T disse...

Posts e comentários sobre a boa fase que o Benfica atravessa, sobre a melhoria na qualidade do jogo ofensivo e defensivo? Zero.

Parece que aqui todos são bons, mas o Rui Vitória não; não é nem pode ser.

Por isso que se continue a elogiar o JJ que fez 5 ou 5 bons jogos na época e o resto tem sido pouco mais que sofrível.

Antes este era um blog de referência e isenção. Agora continua a ser de referência, mas de isenção não.

Blessing disse...

T, obrigado pelo comentário. Umas questões para ti:

1) Mas alguém aqui é obrigado a escrever sobre o que quer que seja?

2) Alguém aqui paga alguma coisa, para poder exigir conteúdo?

3) Alguém é obrigado a ver todos os jogos de todas as equipas?

4) Alguém nos paga para analisar o Benfica, o Rui Vitória, o Jorge Jesus?

5) Alguém disse que nós não tínhamos mais nada para fazer que não ver futebol, e fazer análises para o blogue?

6) Alguém aqui pensa que temos possibilidade de ver os jogos todos de todas as jornadas?

7) Melhoria da qualidade, porreiro. Porque não fazes tu uma análise? Teríamos todo o gosto em publicar.

8) abraço!

Furtivo disse...

Mas tacticamente o que mudou neste Benfica do Rui Vitória? ou a qualidade individual continua a ser o que sobressai nos jogos?

Blessing disse...

Furtivo, não sei. Não tenho estado atento ao Benfica. O tempo é pouco, pouquíssimo. E quando assim é, tenho que seleccionar muito bem o quero ver ou não, com atenção. O Benfica não tem despertado esse interesse em olhar mais atentamente, em mim. Tenho olhado para os jogos na diagonal, só.

Abraço

T disse...

Por mim publicam sobre o que querem com total liberdade. Assim como eu tenho a liberdade de comentar que antes faziam publicações isentas sobre o jogo de FCP/SLB/SCP e agora só vos sobre tempo para elogiar o fantástico JJ, que conseguiu ser eliminado na Champions League, que teve uma prestação miserável na Liga Europa, e que no campeonato teve 6 jogos bons e o resto quase tudo sofrível...

Blessing disse...


Obrigado pela análise ao Sporting. Esperamos também pela do Benfica para publicarmos.
Abraço.

Diogo Santos disse...

Em 20 jornadas na Liga, Jesus soma + pts do que nas épocas do bicampeonato no SLB:
2015/16 - 51 pts
2014/15 - 50 pts
2013/14 - 49 pts


Se isto é fazer mau trabalho, no primeiro ano num novo clube,onde teve de ensinar todos os métodos à equipa, então não sei o que será bom trabalho.
Sim, o Sporting não está na champions, e a liga europa podia ter sido melhor, mas se calhar o Sporting ainda não tem plantel para tantas competições, e o objetivo principal (penso eu que é demais evidente) é ganhar o campeonato?


PS: Por vezes as pessoas esquecem-se que os autores tem outra vida que não seja ver todos os jogos de todas as equipas.
continuação do grande trabalho.

Miguel Sousa disse...

Há malta Tão limitada que ainda não percebeu que isto não é o visão de mercado

Fabio Correia disse...

@Baggio, é de admirar a tua paciencia, responder a comentarios destes... mas pronto é sintomatico da sociedade de hoje "Eu quero, eu quero ", crianças....Enfim topic closed.

Para ficar no artigo, concordo em absoluto na analise, pois eu treino uma equipa de escalão regional na Suíça (dai meu português mediocre ^^) e vejo perfeitamente que para implementar minha ideias, meu sistema de jogo, a equipa precisa de victorias. Assim que, a maior dificuldade é ter jogadores com características que encaixam no sistema, claro falou mais da minha experiência, um plantel como o do Porto nao devia ter esse problema. Contudo é neste ultimo aspecto que eu estou mais dubitativo, dai minha pergunta:

- Baggio, achas que o modelo de Peseiro necessita de jogadores criativos ? Principalement no meio campo ?
- Brahimi, Corona e o Herrera de uma certa maneira têm essa criatividade. Mas o que achas do André André e do Danilo nesse aspecto ? Nao pensas que esse trio condiciona pela negativa a dinamica ofensiva do Porto ?

Bem o Herrera ja foi muita falado neste blog, mas o André André, pessoalmente eu nem o vejo como um bom meio de transição. Acho o seu jogo muito "esforçado".

Blog sempre no topo ! Peace

Marco Morais disse...

Percebo o que queres dizer, Blessing. Mas ainda que a reacção do Porto - ao golo sofrido - não tenha sido maravilhosa, foi pelo menos uma reacção sem tremideira. Diria até que foi mais acção do que reacção. Isto porque ainda não havia nenhuma vitória ali no meio (isto para me referir ao post) e o Porto foi para cima, pegando no jogo e criando oportunidades. Ora, em desvantagem e com dois jogos horríveis (Marítimo e Feirense) antes, como explicar a reviravolta?

Peseiro pode ter muitos problemas, não sei, dizem. Mas não me parece que tenha problemas em convencer os jogadores da sua ideia. Ontem depois do golo do Estoril, esperei o Porto zombie do passado recente. Tremideira, passes errados, falhas de concentração. Mas o que aconteceu, mesmo não sendo brilhante, aconteceu por crença na capacidade própria. Não é um feito notável, ganhar ao Estoril. Mas com Lopetegui, já sabíamos onde é que este jogo ia parar...

Concordo depois que, se não for ganhando, essa margem de manobra fica anulada. E com a desvantagem para os rivais, então...

Mas esse é o trabalho dele. Todos os jogos serão finais. Depois, terminada a época, os resultados ditarão o que as massas dirão dele, mas todos nós saberemos se ele demonstrou ou não capacidade para vingar na próxima época. E isso pode acontecer sem o FC Porto ser campeão. Lopetegui ficou à custa de bons indicadores deixados frente ao Basileia, Bayern (em casa, claro) e Sporting (para a Liga). Esse futebol, a manter-se, dava confiança de novo título. Com as mudanças na equipa e a inabilidade dele para evoluir, o despedimento tornou-se óbvio.

PS: Danilo pareceu-me melhor posicionado. Concordas?

Bernardo Oliveira disse...

O que retive mais deste jogo foi mesmo a melhoria em termos amímicos dos jogadores do Porto logo apos o golo (há umas semanas este golo tinha sido quase uma sentença) e uma melhoria do posicionamento do Danilo que, diga-se de passagem, vai ser fundamental nas transições defensivas.. Queria deixar uma pergunta: Acham que neste modelo Herrera poderá aparecer mais e mostrar que pode ser uma mais valia ou o Porto devia vende-lo e procurar um médio com outras características?

Blessing disse...

Fábio, sim. Acho que Neves, por exemplo, seria melhor. Mas também acho que Peseiro não quer mexer muito nesta fase, até ter as coisas estabilizadas.

Marco, concordo. O que quis dizer foi que em termos de criação o jogo foi fraco. E mesmo defensivamente também. Mas a reacção foi muito positiva ao golo sofrido. Concordo. Danilo, sim. Mas com bola é o horror do costume...

Bernardo, Herrera esteve melhor do que o que eu esperava...

Abraço a todos

JON disse...

Blessing,

Eu vi o Danilo sempre escondido... com bola, nunca se mexe para dar uma linha de passe. Horrível! E o mais incrível é que depois os adeptos e os "analistas" dizem que ele tem estado bem. Pudera! Se nunca recebes a bola, também nunca a perdes!

E vai este cromo ao Europeu... e o Ruben é suplente desta anémona!

Bernardo Ferrão disse...

Não vi contra o Estoril, mas contra o Feirense pareceu que houve muito mais jogo interior e mais jogadores dentro do bloco adversário, no corredor central. Mesmo a sair a jogar e Helton é, para mim, bem melhor que Casillas...

Blessing disse...

Kkkkkkk JON! Muito bom =)

Como assim mesmo Bernardo? Casillas deve ser dos piores do mundo com os pés!

Bernardo Ferrão disse...

Por isso mesmo é que Hélton é bem melhor para mim

Gonçalo Matos disse...

Fábio,

Pelo "peace", vou pressupor que és quem eu penso que és!
Tás a dar treinos agora?
Nunca mais falámos meu! Diz qquer cena

Abraço!

Pedrooo317 disse...

Façam uma análise do impacto do Jonas nos golos contra o Moreirense.

Melhor jogador que já passou no campeonato português a seguir a par do Deco desde 2000.

R.B. NorTør disse...

Casillas já há muito tempo que deixou de ser bom jogador. A "birra" do Mourinho não foi birra nenhuma (o senhor Caselas custou-lhe um campeonato). Como adepto rival do Porto acabei por ficar feliz com a vinda dele.

Quanto ao Benfica, parece de facto ter ocorrido uma mudança táctica importante. O momento não me apercebi bem quando ocorreu porque desde o início de Dezembro, só esta semana voltei a ver futebol com calma. Parece-me no entanto que desde a dupla jornada Braga/Rio Ave, e com um certo acalmar do calendário é que a coisa começou a endireitar. Por outro lado, um amigo meu com quem discuto a actualidade do Maior (=P) diz que desde aquele comentário do JJ sobre o RV não ser treinador que a equipa começou a melhorar. Quem tem seguido a actualidade que comente. Eu para ver o Benfica tenho-me debruçado mais para o Visto de Vermelho e Branco. O que é verdade é que há de facto nas tropas de RV menos insistência nas laterais, a bola anda mais a rolar pelo chão do que em charutos para a frente, ao qual não é alheio o facto de Pizzi estar a jogar o melhor futebol da vida dele (afastado da linha lateral, trazendo jogo para zonas mais interiores), mais jogadores na fase de ataque (situações de Jonas contra o Mundo são agora pontuais e não a regra). Acho que na organização defensiva ainda há falhas (distância entre sectores, distância entre centrais), mas as melhorias do meio para a frente dão agora mais confiança no sucesso colectivo.

Se isso ocorre por uma maior solidariedade do grupo com o treinador não sei, mas que há diferenças entre este Benfica e o do início do ano, há. Se RV é treinador para o Benfica ou não? Até o Benfica passar por testes mais complicados (leia-se, Champions, Porto e Sporting) é difícil de dizer. Por agora mantenho a opinião que RV devia ter sido demitido antes de Dezembro, mas agora com um pouquinho menos de certezas. Neste momento estou curioso de ver como este Benfica lida com oposição com qualidade individual mais próxima.

Teconfil Limitada disse...

" O Benfica não tem despertado esse interesse em olhar mais atentamente, em mim." - se calhar convinha olhares mais atentamente, sempre dava para aprenderes alguma coisa. Afinal este é um blogue que estuda o fenómeno do futebol, e como tal seria interessante debruçarem-se mais sobre a equipa que mais golos tem feito na Europa, ou não? Afinal é o clube português que mais jovens jogadores promissores tem apresentado, ou não? Afinal é o único clube português participante na maior competição de clubes - a champions, certo? Mas acho que todos compreendem o porquê de fazerem posts sobre o SLB quando as coisas correm mal, e sobre o scp quando as coisas correm bem. Por algum motivo ninguém viu uma publicação vossa depois do scp ter falhado a fase de grupos da champions perante uma equipa vulgaríssima, ou quando levou 3 dum desconhecido clube albanês, ou quando foi corrido da taça, ou quando perdeu com o União, ou quando foi corrido da taça da liga depois de perder com um Portimonense da segunda liga. Todos compreendem o critério, mas só vos vê como entendidos de futebol quem quer...

Pedro disse...

"Até o Benfica passar por testes mais complicados (leia-se, Champions, Porto e Sporting) é difícil de dizer. "

Aceito scp e fcp mas Champions? O homem apurou-se para os oitavos e teve boas condições de o fazer em primeiro lugar. Esse teste complicado foi feito com boa nota. Tudo o que vier agora é "lucro".

Até ver esta época lembra-me 2010/11 onde o SLB depois de um mau arranque faz uma sequência de jogos avassaladora. Esperemos que nesta época a recta final seja diferente.

José Moreira disse...

R.B. NorTor, tocaste num ponto fulcral e que eu também concordo: O momento em que JJ coloca RV em causa enquanto treinador. Penso que a partir daí a equipa (e talvez mais gente à volta dela) se uniu em torno do treinador. Talvez esse tenha sido o desbloqueador de muita coisa dentro do Benfica. Posso estar enganado, mas é o que me parece visto de fora e sem conhecer ninguém perto da equipa.

Tenho gostado muito mais da reacção à perda e da forma como a equipa não renuncia o jogo interior. Mal será que nisto não haja dedo do treinador.

T disse...

Miguel Sousa: A facilidade com que chamas limitado a alguém que não conheces mostra a tua limitação.

De resto, não vou dizer mais nada. Não exigi nada, limitei-me a apontar que já vi vários posts esta época sobre as maravilhas do Sporting, e nenhum sobre a melhoria evidente do jogo do benfica.

Que a época do Sporting está a ser boa, sim, está. Mas já foi boa com Marco Silva e com Leonardo Jardim. Está em crescendo porque, mérito seja dado a BdC nesse aspecto, os treinadores contratados são bons, e JJ é o melhor deles os três (pelo menos por enquanto).

Mas daí a dizer-se que o Sporting é a oitava maravilha, já acho errado, porque a oitava maravilha teria ficado na Champions, não teria feito uma campanha miserável na Liga Europa, e não precisaria de Tonéis, nem de Cosmes Machados e Jorges Sousas e Artures Soares Dias... o Tonel já foi encostado. E o que se vê é que, salvo raras excepções, o Sporting está-se a ver aflito para ganhar tranquilamente os jogos. Tire-se o jogo de Setúbal das contas e veja-se como tem sido o último mês.

Por isso digo, considerando este um blog de referência, que seria justo apontar-se a quebra do Sporting (que se vê!) e a melhoria do Benfica.

Mas se não há paciência ou vontade disso, que se lixe.
E até acho fofinho que pessoas que não me conhecem de lado nenhum me chamem limitado por ter opinião. Fofinho!

R.B. NorTør disse...

Pedro, na Champions não se viu trabalho propriamente dito. Tivemos uma fezada monumental em Madrid, anulada com um azar do caray em casa. Em Astana fomos sofríveis e frente ao Gala tivemos a sorte de os outros serem piores que nós. Não fomos melhores, simplesmente não fomos tão maus.

Futebolisticamente falando, estivemos melhor o ano passado, que ficámos em quarto do que este ano. Neste momento, no entanto, estou curioso de ver como a equipa se porta. Os motivos estão no comentário anterior.

Pedro disse...

"estivemos melhor o ano passado, que ficámos em quarto do que este ano. "

Discordo totalmente mas é discussão gasta.
:)

R.B. NorTør disse...

Pedro, falamos disso no Marquês lá para Maio (espero), mas a citação está incompleta sem o advérbio.

Quando digo futebolisticamente estou a dizer em termos de haver um sistema de jogo que aproxima a equipa do sucesso de uma forma sistemática, por oposição a um que torna o sucesso uma aleatoriedade. Na Champions este ano foi isso que tivemos até agora.

Assim se verifica que os resultados com o Gala e Atlético foram "simétricos" sem haver necessariamente dedo do treinador (por muito que RV se queixe de uma sorte que a equipa nunca procurou). Já o ano passado, a equipa foi infeliz no grupo mais equilibrado talvez da história da Champions. Basta ver como o Leverkusen perde com o Mónaco, que perde com o Benfica que perde com o Zenit, que em termos de valia individual o Benfica era de longe o plantel mais fraco do grupo e que quem acabou por sair vencedor do grupo foi a equipa do campeonato mais competitivo (Bayer). Sem uns bloqueios mentais de Jardel e Lisandro (vs Zenit e Mónaco, respectivamente) o resultado final poderia ter sido outro.

Como disse, vamos ver como se porta a equipa contra o Zenit para a Champions. Em termos de qualidade individual será mais complicado do que SCP ou FCP, em termos tácticos já não sei se o desafio com o FCP não será o "mais acessível", em parte pelo pouco tempo de trabalho que Peseiro terá.

Pedro disse...

Não concordo com isso do modelo de jogo que aproxima a equipa do sucesso de forma sistemática. Esse modelo sempre teve muitas dificuldades contra adversários de igual valor (nem falo de valor superior). E, foram raras as vezes, que teve sucesso nesses confrontos.

Não defendo que o actual modelo aproxime a equipa do sucesso mas o anterior também não o fazia. E sei que a maioria não concorda. Como disse é conversa gasta que não vale a pena voltar a ter nestas caixas de comentários.

Penso que o teste para o actual SLB será mesmo o Porto. Muitos esperam que a equipa quebre. Se não quebrar..cuidado. Mas antes do fcp ainda temos o Restelo que, com a lesão de Lisandro, tornou-se demasiado importante para esta fase da época. E os gajos estão a crescer também. Duas vitórias seguidas e cuidado com este Benfica.

Na Champions, como disse, o que vier é lucro. Só peço para não serem goleados.

Dennis Bergkamp disse...

Ganhar ajuda porque faz acreditar.

E torna-se bem mais facil consolidar processos e alterar aqui e ali quando mudas qualquer coisa e ganhas.

No Benfica calendario ajudou muito, porque a sequencia de jogos menos complicados facilitou o processo, assim como algumas vitorias (com o Braga por exemplo) que foram muito mais com entrega e vontade e paixao do que com qualidade de processos ofensivos. Quanto mais tempo a bola passa por dentro, melhor fica o jogo do Benfica porque eh nesse espaco que os bons jogadores da equipa fazem a diferenca. Quando se aproximam Jonas+Gaitan+Pizzi coisas boas acontecem. O Blog Eu Visto de Vermelho e Branco tem feito um trabalho fantastico na analise desses pormenores.

Um dos que se tem falado menos e tem mais importancia no jogo, tem a ver com o posicionamento do "6" (Fejsa ou Samaris) e o que fazem quando a equipa perde a bola.

Sobre o Porto de Peseiro, a mensagem vai acabar por ser a mesma. Ganhando acreditam, perdendo desconfiam. Parece obvio que os jogadores vao gostar do Jogar que o treinador quer, e que com o tempo as coisas vao melhorar, desde que aqui e ali consigam vencer.

Blessing disse...

Teconfil, muito obrigado pela sugestão. Mas já agora, de onde vem assumpção de que dá para aprender?!

Cumprimentos