quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Novas ideias ou interpretação diferente / errada de jogadores diferentes?

Desde sempre que uma das marcas mais acentuadas de Jorge Jesus é o posicionamento defensivo em função da situação de jogo.

Na transição defensiva, com três atrás da linha da bola, a habitual contenção e dupla cobertura. Tal como sugerido na imagem seguinte.


Porém, a decisão de William foi diferente daquilo que Jesus costuma pedir no seu modelo.


Quando chegou à linha da contenção travou e não deu cobertura, mantendo o defesa central esquerdo o acompanhamento individual ao avançado adversário. E bem! Perante o mau posicionamento de William (que devia ter baixado e ficado na diagonal com contenção em cobertura), se não há o tal acompanhamento individual, a bola iria passar entre o médio centro leonino e o seu colega na contenção e isolaria o avançado do Rio Ave!

Todos os treinadores têm as suas ideias, mas são sempre os jogadores que jogam o jogo. São sempre os jogadores quem tem o maior mérito ou demérito. Porque não basta pedir e treinar para as coisas acontecerem. É preciso haver qualidade.

26 comentários:

Blog de Portugal disse...

Sobre o William, alguns dados interessantes que reflectem o porquê de o jogador ser um dos menores culpados de não ter o rendimento que se esperava dele:

- Durante a formação, jogou no Sporting, que no campeonato nacional anda pela zona Sul, e de vez em quando Centro ou ilhas. Tem internacionalizações por Portugal nas camadas jovens, mas em júnior nem são muitas (8 nos sub18 + 9 nos sub19).

Ou seja, é um jogador que joga uma vez por semana, maioritariamente em Lisboa ou perto de Lisboa, e no final da época tem direito às suas férias. Em quase todas as épocas.


- Passa por um período de empréstimos, onde começa a jogar regularmente, contudo num nível competitivo claramente inferior à equipa sénior do Sporting (Fátima e C. Brugge).


- A partir da época 2013/2014 até hoje, começa a somar muitos jogos e minutos e nunca mais teve direito a férias dignas desse nome, tendo em conta que é um jogador de alta competição.

Ora vejamos:

Época 2013/2014:
- No Sporting, faz 2923 minutos em 33 jogos
- Vai ao Mundial 2014 e faz 135 minutos em 2 jogos

Época 2014/2015:
- No Sporting, faz 3494 minutos em 42 jogos
- Vai ao Europeu de sub21 e faz 450 minutos em 5 jogos

Época 2015/2016:
- No Sporting, até ao momento, faz 1629 minutos em 22 jogos

- Pelo meio disto tudo, ainda soma mais 8 jogos (449 minutos) em jogos de qualificação para o Euro sub21 e para o Euro 2016.


- Se somarmos isto tudo, o William faz 112 jogos / 9080 minutos em 905 dias (contando até 2ª feira). O que perfaz um jogo a cada 8 dias.
A isto, somem ainda os inúmeros treinos, viagens e dois estágios de seleção (Euro sub21 e Mundial 2014), num jogador que vinha claramente num nível competitivo inferior (formação e início da carreira sénior), e que desde Agosto de 2013 não gozou de umas férias compridas e que permitissem de facto recuperar.


Posto isto, pergunto:
- Como seria possível o William não se ter lesionado no início desta época (fratura de stress na tíbia - lesão que indica claros sinais de sobretreino e sobrecarga)???

- É possível que o William possa dar mais do que está a dar agora?


Para os críticos do William, muito já fez ele, e continua a ser um jogador fantástico. Mas não deixa de ser humano, e tem limites.
Acredito que enquanto não tiver umas férias compridas, vai manter-se neste registo.

Rui Pinho disse...

Lol! Coitado do menino! Há alguns então que tinham de parar dois ou três anos.
É bom jogador. Só. Pouco acima da média do campeonato português. Muito longe daquilo que queriam que ele fosse.

DM disse...

"Porque não basta pedir e treinar para as coisas acontecerem. É preciso haver qualidade."

Qualidade como a que havia em jogadores como o Jardel ou o Javi Garcia? Ou André Almeida?

Acho que este post é de alguma desonestidade intelectual. É fazer aquilo que este blog geralmente não faz, que é "seguir a onda" da falta de rendimento do William. Matic (um jogador muito elogiado por aqui) fez a sua primeira época com Jesus a alternar entre o banco e exibições horríveis. William é um jogador com qualidade, técnica, fisica e mental. Tem alguns defeitos, mas a falta de inteligência certamente não será um deles. Ou o posicionamento defensivo é responsabilidade agora dos jogadores e não do treinador? Foi o Matic que escolheu fazer marcação individual no último jogo do Chelsea contra o Man U? William errou, irá aprender com o erro certamente. Não é como se fosse uma situação recorrente que se repetisse jogo após jogo, ano após ano.

Se é para "ir na onda" ou naquilo que está na berra, então por não fazer um post igual cheio de elogios ao Adrien?

DC disse...

Parece-me claramente o jogador que menos evoluiu com o JJ. Duvido que tenha o futuro brilhante que muitos lhe auguram e acho que será provavelmente a melhor venda da história do Sporting pela sobrevalorização que tem neste momento.

Sérgio disse...

Quando este rapaz apareceu foi quase como se tivessem descoberto a última maravilha do mundo do futebol.
O tempo provou que afinal não passa de um jogador banal, que pura e simplesmente estagnou nestes últimos anos, que nada evoluiu.
Quando no inicio da época vocês aqui disseram que o Jesus ia valorizar jogadores do scp (como fez no SLB) e que isso se iria reflectir em negócios, ainda não sei bem de quem estavam a falar, até porque não vejo que grandes clubes europeus queiram algum jogador do scp, mas acho que o WC está fora dessa vossa previsão...

Paolo Maldini disse...

DM, acalma lá a patareca q essa afirmação do "preciso haver qualidade" não se refere ao William Carvalho. É sim uma generalização que pretende desvalorizar toda a importancia que em Portugal se dá aos treinadores (como se fossem eles a ganhar / perder a maioria dos jogos pelas acções que tomam)... mas tb é óbvio q tendo qualidade nc foi nem nc será o que os sportinguistas quiseram fazer dele numa altura em que precisavam desesperadamente de idolos...

Blog de Portugal disse...

Rui Pinho, se achas que isso não afeta o rendimento de um jogador, nem o deixa mais propenso a lesões, então diz-me outro jogador que tenha dado o salto competitivo que o William deu, com tantos minutos como ele tem e sem férias decentes desde Agosto de 2013, e que estejam a jogar muito agora.

Falar da boca para fora é fácil.

Nelito disse...

A questão de WC pode tão simplesmente ser não se ajustar ao estilo explicativo de Jesus. Não estando em causa a qualidade de ambos. Somente uma questão de se calhar responder melhor a outros com comunicação mais calma.

Blessing disse...

Nelito, muito bom. A comunicação é fundamental. E não pode ser igual para todos. Isto no interesse do treinador em ter todos prontos para interpretar o que quer. Mas mais do que isso é também treino. Repetição. JJ não voltou atrás na evolução em termos de complexidade no treino para William aprender. Para ele é muito mais difícil que já apanhou o comboio a meio. Ainda assim, e sempre o dissemos por aqui. William é mto bom jogador. Mas não é top. Não é da mesma liga que Matic, nem tem o potencial do Neves.

Abraço

DM disse...

São opiniões. Também não acho que o William tenha capacidade para ser um trinco de nível mundial devido à falta de velocidade e agilidade. Mas também não vejo no Ruben Neves um diamante em bruto com qualidade/potencial superior. Creio que são 2 jogadores com qualidade para chegar às principais ligas e cujo sucesso dependerá das escolhas futuras. O potencial é sempre uma faca de 2 legumes (citando Jaime Pacheco), e está tão dependente da qualidade intrinseca como da inteligência/ambição extra-futebol.

Maldini, o William não sendo um craque de nível mundial tem mais que qualidade para ser melhores (ou o melhor) na posição que ocupa em Portugal.

E já agora, acho que o teu comentário e o teu post entram em contradição com aquilo que escreveste atrás noutro post e que cito: "O Sporting tem na presente época mais oito pontos somados, mais golos marcados mesmo sem os desequilibradores e menos golos sofridos que em idêntico período da temporada passada.". Isto não é valorizar um treinador que consegue fazer mais com menos matéria prima?

Em Portugal não se valoriza o treinador. Pelo contrário. Quando a equipa perde, a culpa é do treinador, quando ganha é dos jogadores. Aliás, a maioria das pessoas resume uma equipa de futebol à qualidade individual dos jogadores. Ninguém valoriza ou aprecia o trabalho do treinador. A importância que se dá ao treinador é relativa e serve sempre apenas para fazer apreciações sobre a qualidade dos jogadores mediante os resultados. Aliás, tirando a contratação de JJ, nunca a contratação de um treinador teve particular destaque pela imprensa em comparação com a contratação de jogadores. Em Portugal valoriza-se muito o individual e muito pouco o coletivo. Até os casos de arbitragem são mais valorizados que o treinador.

Paolo Maldini disse...

DM, se qd se perde a culpa é sp do treinador é pq se valoriza demasiado o seu trabalho / influencia. Era isso... há textos por ai a explicar q os trienadores n sao os deuses q o publico pensa (para q qd n se ganhe seja sp pq ele fez algo q n devia ter feito, ou n fez o q devia ter feito)

Paolo Maldini disse...

E..o trabalho do treinador vê-se num periodo médio / longo e nc num determinado jogo como fazem os latinos.

Barbosa disse...

Imaginando que william e o central esquerdo (p. Oliveira?) se posicionassem nos circulos da primeira imagem, e o portador fazia o passe para o avançado que está a entrar, o que acontecia era que Coates passava a alinhar com william na cobertura, e p. Oliveira (o mais próximo) fazia a contenção?

William terá pensado que devia alinhar por coates?

Pedro disse...

"Matic (um jogador muito elogiado por aqui) fez a sua primeira época com Jesus a alternar entre o banco e exibições horríveis"

Exibições horríveis? Discordo totalmente. Matic mostrou, nos poucos minutos que jogava, que era craque. Na altura eu pedia mais minutos de jogo para ele.

Paolo Maldini disse...

Também me recordo da primeira aparição do Matic em que foi logo elogiado! É ir às etiquetas dele... Barbosa, o passe dificilmente entraria no avançado q vai a desmarcar-se... seria interceptado pelo William se está em cobertura.

Tiago Santos disse...

Boa tarde,,

Compreendo o post e até creio que é certeiro na crítica que é feita ao William. Não julgo que o William seja o melhor trinco do mundo como alguns apelidavam nem é um mau/banal jogador como é comummente dito nos dias de hoje.

Na minha opinião o principal problema do William esta temporada é mesmo a sua condição física. Esta lento em todos os aspectos do jogo (com e sem bola) e tem dificuldades em se posicionar atempadamente como lhe era reconhecido no passado. Quem jogou sabe que quando não se esta em forma o corpo muitas vezes não responde ou não responde a tempo ao pensamento e quando um jogador tem essa consciência acaba por adaptar o seu jogo às suas limitações físicas e acaba por perder confiança (sobretudo, nos momentos com bola. Por ex uma das imagens de marca do William era a sua verticalidade e precisão e velocidade no passe e que este ano desapareceu..).

Concordo em parte com o DM que o William precisa de férias e de uma boa pré-temporada, algo que este ano não teve. Ou será que as pré-temporadas não são importantes a nível individual para todos os jogadores?

Cumprimentos,

Blessing disse...

A nível individual pelo que ganham em termos de conhecimento das referências que o treinador dá. Ou seja, importante para a aquisição de princípios de jogo. William não teve isso. É verdade. Mas fora isso, não vejo nenhum problema físico. Aliás, as pessoas acham que é problema físico sempre. Lugar comum do futebol. Eu acho que é mental.

Paolo Maldini disse...

DC, n vai não... Q já o tentou vender antes pq JJ quer diferente dele e n conseguiu...

R.B. NorTør disse...

Claro que havia malta que achava que o Matic era mau nas suas primeiras aparições. São aqueles que defendiam que o Jonas tinha de sair da equipa para RV explanar a "sua" táctica e que acham o Jiménez melhor jogador do que o Mitroglou.

A questão dos problemas mentais... O Djuricic e o Cristante também eram um espectáculo de jogadores, mas não convenceram dois treinadores antagónicos como JJ e RV.

B. Jardim disse...

Talvez o William tenha permanecido naquela posição para impedir o passe para o jogador do Rio Ave que ia aparecer mais à direita. Caso ele não ficasse ali o portador da bola poderia facilmente colocar o avançado numa situação de 1x1 com o guarda-redes. Pode não ser aquilo que Jesus pede, mas neste contexto parece-me a decisão acertada.

Paolo Maldini disse...

essa bola seria interceptada pelo central esq, Jardim.

PedroC disse...

"O que os sportinguistas quiseram fazer dele"

Realmente gosto bastante destas avaliaçoes facciosas.

O jogador quando apareçeu, apresentou-se a um excelente nivel, jogou a bola que se fartou, e fazia a diferença. Nao foi ninguem que quis fazer nada dele. Era a qualidade que ele apresentava em campo, que fazia as pessoas que gostam de futebol, e o veem sem palas nos olhos, esperarem bastante dele.

Esta numa fase pior, nao da mais do que isto ja, é tudo muito valido agora neste momento em que ele esta em baixo.
Mas nao o era ate ao final da epoca passada.

Isto é a mesma coisa que daqui a uns anos, dizer que o rentao sanchez nao foi o que quiseram fazer dele. Neste momento é o que ele joga, que faz as pessoas esperarem bastante dele. E eu como sportinguista sei ver isso. É um jovem com bastante qualidade, neste momento, e com possibilidade de melhorar muito mais no futuro. Esta a fazer a diferença, e nao é porque os benfiquistas querem, é sim pelo que ele joga a bola.

Deixem as palas guardadas quando falam nestas coisas.

N.T. disse...

Blog portugal, seguindo essa lógica, inúmeros jogadores da geração Riade-Lisboa teriam que falhar. Quem tinha realmente qualidade foi atirado ás feras (nos clubes e na selecção) e não falhou. Ou para Couto, Figo, Costa, Pinto, Sousa não houve esse salto competitivo? Falhou quem afinal não era tão bom quanto se apregoava (Peixe, p.e.)

Barbosa disse...

No fundo a ideia será formar duas linhas, de forma a que se o primeiro colega for batido, há por trás dele outro que imediatamente impede a progressão do avançado, no mínimo, dando tempo ao primeiro para se recolocar em posição para fazer o mesmo. Simultaneamente impedir o passe na profundidade. Não aconteceria numa situação real, mas em teoria o avançado até podia ganhar n vezes o 1x1, que teria sempre "mais 1" adversário para ultrapassar, mesmo que fossem só 2 defesas. Certo? Errado?

escritor de pacotilha disse...

"Os Sportinguistas precisavam desesperadamente de criar ídolos." O que dizer de Guedes, Sanches, Semedo e até Clésio?

Quantos destes daqui a 3 anos vão continuar a jogar todos os jogos?

Blog de Portugal disse...

Não é nesse sentido que me estava a exprimir, N.T.

O que eu referi é que o William está num período a jogar muito extenso.

As pessoas (e os jogadores, neste caso) não são todos iguais. E provavelmente o William é um jogador que precisa de maior descanso entre as competições e os treinos.

Normalmente os jogadores mais jovens encontram-se num nível competitivo mais baixo, por isso aumentar a exigência da competição requer um descanso adequado, coisa que não está a acontecer com ele.
Obviamente que não é "coitado do menino que não pode jogar num patamar superior", o problema reside em ele não estar a ter o descanso que o seu corpo pede.


Com isto não quero dizer que o William é um deus e é isto que o está a impedir de render mais.

O William é um jogador muito bom, e a sobrecarga de jogos e treinos que ele leva é um dos fatores que explica o seu menor rendimento. Mas não o explica a 100% (embora esteja convicto que explica numa boa parte).