quinta-feira, 17 de março de 2016

O maior mérito de Guardiola

Não são os titulos intermináveis, ou sequer a sua presença assídua sempre nos quatro melhores da Europa. Que não sendo nunca obrigatórios, também nunca causaram surpresa.

O grande mérito de Guardiola é indubitavelmente a aura que conquistou. Aura tão acentuada que quem pretende desvalorizar o seu trabalho defende acérrimamente ser um escândalo (seria) que o tetra campeão Italiano, finalista da última liga dos campeões e com um plantel recheado do que de melhor há por essa Europa fora (Dybala, Moratta, Bonucci, Alex Sandro, Pogba, Marchisio, Chiellini, Mandzukic, Khedira, etc) eliminasse o seu Bayern.

Questionava o Bergkamp sobre isso. "O Bayern é assim tão melhor individualmente que seja uma vergonha ser eliminado pela Juventus?". "Só parece ser porque a sua maneira de jogar faz parecer que são muito melhores" disse-me. 

É este o legado de Guardiola a nível internacional. Um pouco como o de Jorge Jesus a nível nacional. A Jesus não importa se está numa equipa que nunca lutou verdadeiramente pelo primeiro lugar na última década em Portugal. A Guardiola não importa se há outras tantas equipas tão ou melhor apetrachadas como a sua. Guardiola, se é bom tem de ganhar.  Não importa que do outro lado se tenha Messi, Aguero, Zlatan ou Ronaldo. Se não ganhar é porque não é bom. Como se não fossem os jogadores a jogar o jogo. 

Só nos quartos de final da Liga Milionária há quatro equipas individualmente tão ou mais fortes que a sua. Barcelona, Real Madrid, PSG e City. E se tem dúvidas sobre isso... acaba de descobrir que é esse o seu maior mérito!


19 comentários:

Marco Van Basten disse...

"Cómo se puede decir que ha fracasado un entrenador por haber sido eliminado por el campeón de Italia, que además es el vigente subcampeón de Europa y lleva 19 partidos invicto? Será que , en este país, el verbo fracasar se conjuga alegremente. Y con gratuidad."

http://www.eurosport.es/futbol/blog-uria-los-fracasados_sto5321259/story.shtml

Ricardo Perna disse...

Pensei muito nisto no jogo de ontem: que merda de plantel que o Bayern tem :) Comparativamente, parece-me que tem decrescido a qualidade individual ao longo dos anos. Não é que não sejam bons, mas parece-me que já foram muito melhores, e que sim, muitos ali parecem bem melhores do que na verdade são, como acontecia no Benfica de JJ...

Também acho que a Juventus condicionou e muito o jogo de ontem do Bayern, porque tem um plantel fenomenal. Agora pergunto: aquela decisão de baixar linhas e começar a defender em cima da área foi imposta pelo Bayern, por acusa das alterações ao intervalo, decidida pelo treinador para defender o resultado, ou imposta pelo cansaço físico dos jogadores da Juve, que não aguentaram o ritmo? O que vos parece?

Cantinho do Morais disse...

Van Basten,

ontem, no fim do jogo, telefonei a um amigo meu para comentar o que tinha acabado de ver e ouvir.

Além do grande jogo (já vamos lá), o que me deixou mais perplexo foram as atrocidades (e azia...) do António Tadeia.
Mesmo dando mérito ao Bayern (e usando um chavão que convém para justificar muita coisa mas, para mim, não serve e é mentiroso: "quem passa/ganha, acaba sempre por merecer"), questionava que o Bayern tinha de melhorar muito para ultrapassar as fases seguintes da Champions. Bem, como aqui bem se diz, há que reconhecer a maior qualidade individual de Barcelona, Real, PSG e City (este nem tanto, ainda mais se confirmar as lesões de Kompany e Otamendi, ficando Mangala e DeMichelis com o lugar...), mas não se pode menosprezar o que é a Juventus!!
O adversário dos 8avos final do Bayern não foi uma equipa qualquer. Quantas equipas que passaram aos 4os final eliminariam esta Juventus?
Quantas equipas eliminariam a Juventus jogando com um defesa-esquerdo e médio centro (com 20 anos) a centrais?
Vamos imaginar o Real dar a volta a esta Juventus (marcar 3 golos e não sofrer nenhum) com Marcelo e Casemiro a centrais?
Ou o Barcelona, com Alba e Sergio Roberto a centrais?
Ou o City com Clichy e Fernandinho a centrais?
É preciso bom senso... não pode valer tudo na inveja por alguém que revolucionou o futebol e que faz parecer qualquer que seja o adversário uma equipa "controlada" e condicionada pela táctica e modelo da outra.

O jogo acaba por ser resolvido pelas individualidades. Mas só quando estas passaram as estar no sítio certo (do lado do Bayern) e fora dele (no lado da Juve). E isso, é mérito de um treinador e demérito do outro.

Estava-me a irritar ver Thiago no banco. Não consigo entender como se tem Thiago e não se usa. Como me estava a irritar ver Xabi a jogar. É um jogador de quem nunca gostei (é o "meu" Aquilani no Sporting - não serve para nada).
A sua saída foi fundamental. Douglas assumiu o meio e tudo foi diferente. Vidal fez o que um ridículo Benatia não fez e permitiu a equipa jogar sempre nos últimos 30m. Quantas bolas recuperou por antecipação? Grande jogo de Vidal.

Na Juve, a troca Moratta por Mandzukic foi a morte... (além do posicionamento ridículo de Evra como 3º central quase sempre - quantos golos deu?). E aqui, Allegri que hoje podia ser deus, foi vilão. Moratta fez um jogão, avançado de equipa grande. Só não foi eficaz (olha para o Muller e Lewa).
Claro que ir para 30 minutos a ter de marcar com Mandzukic, Pereyra e Pogba (quando já não havia Morata e Cuadrado), contra Muller, Lewa, Ribery/Thiago e Coman, a balança estava desequilibrada.
Era uma questão de tempo até o Bayern marcar.

Para mim, o melhor 11 do Bayern é este:
Neuer
Rafinha; Boateng; Alaba
Vidal
Lahm; Thiago;
Robben; Douglas;
Muller; Lewa;

é pena nunca ser possível ter todos fisicamente disponíveis.

continuação de um bom trabalho.

fui disse...

É verdade que a Juventus não é assim tão inferior ao Bayern, mas este está no topo da Europa há mais tempo, tem uma equipa consolidada há vários anos, tem um orçamento maior e conta com o melhor treinador da actualidade. É óbvio que era favorito a resolver a eliminatória em casa e se perdesse 0-2 era escandaloso. Sobretudo da forma genial como a equipa de Alegri se impôs até aos 70 minutos.

Dennis Bergkamp disse...

Ontem, o Hargreaves (sim, o ex medio centro) dizia a mesma coisa. Que o Thiago devia ter comecado de inicio, e que o Coman tambem.

Sentado na cadeira, a ver o jogo acontecer, fica muito facil dizer que deviam ter entrado de inicio.

Mas o momento de escolher quem comeca eh antes do jogo comecar, nao depois. Para o que Pep esperava que fosse o jogo, tendo em conta todos os factores (analise do adversario, niveis de fadiga e de "moral" dos jogadores blablabla). Provavelmente o plano de jogo ate era lancar o Coman a partir de x altura, se o que estivesse a acontecer era X, ou lancar outro se o que estivesse a acontecer era Y.

Mesmo que tivesse perdido, Pep continuaria a ser um genio.

Da mesma maneira que a Juve nao deixa de ser uma mega equipa, porque perdeu nos 1/8 de final.

Tal como custumo dizer nas discussoes Messi vs Ronaldo, previligiados somos nos, por viver numa epoca em que estes magos fazem parte activa do jogo.

Dennis Bergkamp disse...

Para criar problemas ao ataque, serem muitos e estarem muitos proximos ajuda.

Para os resolver eh necessario organizacao e muita coisa boa na bota e na cabeca.

Por isso eh que os jogadores de equipas que querem atacar e atacar muito e bem, parecem melhores jogadores do que os de equipas que querem defender muito, com muitos, e muito juntinhos cheios de medo.

Por isso ]e que um jogador do Belenenses este ano valoriza mais do que um jogador do Uniao da Madeira, mesmo que acabassem todos com os mesmos pontos.

rochacj85 disse...

Concordo parcialmente com a questão da qualidade do plantel e totalmente no resto.

Este 11 do Bayern é superior ao da Juventus! Lewandowski, Robben, Vidal, Thiago, Lahm, Alaba, Muller, Gotze, Douglas Costa.. Quantos destes jogadores não eram titulares na Juventus?

Por vezes pergunto-me como tiram tanto mérito a esta Juventus, mas é inegável que que o Bayern têm melhor equipa. Oportunidades de golo criadas, que no fundo é o que mais conta, o Bayern não foi tão superior como se esperava.

Queria também referir que fico parvo quando dizem que o Alegri não é 1 treinador de futebol. Têm meios é verdade, mas é finalista vencido da Champions e por muito pouco não eliminou o Bayern estando a perder por 2-0.

De resto ganhou a equipa que têm simultaneamente o melhor plantel e melhor colectivo numa eliminatória de grandíssimo nível táctico, técnico e emocional.

Se a Champions fosse de 4 em 4 anos, esta eliminatória ficaria para a história.

vitor disse...

Guardiola é brutal. Mas discordo de quem acha que ele já encontrou alguma especie de formula magica. A Juve mostrou ontem novamente(durante boa parte do jogo), como o Barça o fez no ano anterior(mais do que o R.Madrid em 2014), a melhor forma de contrariar Guardiola.
Partindo o jogo. Deixar sempre a equipa adiantada, não cedendo à tentação de recuar. O ultimo objetivo de Guardiola, é enterrar o adversario no seu meio campo. É acima de tudo um jogo psicologico de desgaste. No fundo, para contrariar uma estrategia completamente nova, têm que se esquecer alguns principios que todos julgam estar corretos. Deixar pelo menos 2 (melhor até se 3), à frente da linha da bola. Arriscar. Deixar que o jogo se parta. E quando o jogo se parte, chega mais frequentemente a vertigem das transições (jogo que os de Guardiola raramente querem jogar, porque nesse jogo, as carateristicas fisicas desempenham um papel importante).

A Juve inexplicavelmente, a partir dos 60 e pouco, abdicou do que estava a jogar. E a partir daí, assinou a sentença. Recuar linhas, é o que nunca nunca nunca se deve fazer contra Guardiola.

fui disse...

"Ensine-o a perder com graciosidade", Lincoln numa carta à professora do filho.
Guardiola não perdeu ontem e é o melhor treinador da actualidade, um dos melhores de sempre. Quem discorda disso não percebe nada do jogo. Mas ontem a sua equipa foi inferior, não há nada de mal em reconhecer isso e nessa altura é importante dar destaque a quem conseguiu ser melhor que o melhor e não criar formas de sempre elogiar os mesmos...

Barbosa disse...

Quando o Lewa atira ao poste após cruzamento do Douglas Costa (estava 1-2), o Hargreaves diz que o Bayern devia fazer esses cruzamentos mais vezes porque tinham bastante sucesso, e que é por isso (sucesso dos cruzamentos) que a posse de bola está sobrevalorizada.

O que faltou explicar foi que esse sucesso está directamente relacionado com o facto de a equipa usar a posse para desequilibrar o bloco adversário e assim criar as condições necessárias para o cruzamento ser bem sucedido. O desequilibro não acontece porque há cruzamento. O cruzamento é que acontece porque há desequilíbrio.

De resto nos últimos 20 minutos o Bayern procurou esse momento muitas vezes, uma delas no primeiro golo.

Nuno disse...

rochacj85 diz: "Queria também referir que fico parvo quando dizem que o Alegri não é 1 treinador de futebol."

O que é um treinador de futebol? Se for alguém cuja tarefa for dizer a 11 jogadores qual o adversário atrás do qual devem andar durante os 90 minutos, então sim, o Allegri é um treinador.

Sobre o texto propriamente dito, vou bem mais longe. A qualidade do plantel da Juve é bem superior à do Bayern. Quando o termo de comparação é o Real, o Barça, ou o PSG, então, nem há comparação. Aliás, eu acho que este Bayern, sobretudo pela onda de lesões que teve nestes dois últimos anos, já mostra o que Guardiola pode fazer numa equipa com menos recursos, coisa que tanta gente pede para ver.

Dennis Bergkamp disse...

Touche

Dennis Bergkamp disse...

Touche

rochacj85 disse...

Ou seja, trocavas mandzu por lewa, moratta por muller, kheidira por vidal, alex sandro por alaba, dyballa por robben. Estou a deixar Ribery, Gotze e Douglas Costa de fora desta conversa, com a ressalva de que Pogba podia jogar em qualquer equipa. É isso?

Quanto ao treinador, bom, eliminar o Real, vender a final bem cara e quase eliminar o bayern.. muito fraco. Eu gritei golo do Bayern, queria mesmo que passasse, mas não sou cego! A Juve fez um grande jogo! Tem uma grande equipa e um grande conjunto.

Agora para ser um pouco mais específico, um treinador não é so o genio da tatica. É o planeador, organizador, lider... um conjunto de vários fatores em que ser especialista é fundamental mas não é tudo!

vitor disse...

Nuno, este Bayern não é individualmente inferior. Parece que não estamos a falar de vários jogadores de topo, que já antes de serem treinados por Guardiola, eram de topo.
Esclarece então quem tu achas que do Bayern tem grande qualidade e quem na Juve tem grande qualidade. Vamos ao detalhe...não creio que tu aches que Cuadrado ou Khedira por exemplo, se enquadrem no tipo de jogador que por aqui se defende...e um Mandzukic de repente, já passa a ser bom, depois das criticas que sofreu por parte dos fãs de Guardiola? E mesmo na defesa, um Barzagli e um Bonucci será que seriam apreciados por Guardiola?
Nem a 8 nem a 80! Da mesma maneira que critico os detratores de Guardiola que chegam ao ponto de equiparar a qualidade individual deste Bayern à do Barcelona, apenas como forma de desvalorizar o treinador, os fãs de Guardiola fazem o mesmo em sentido oposto. Se Guardiola em 3 anos, e pegando no campeão europeu (o que não significa que fosse a melhor equipa da altura, mas não eram uns toinos com pouco valor), não se consegue rodear de jogadores que tenham qualidade para fazer o que ele quer, então teria alguma culpa...mas nem é o caso.

Quem é que da Juve tem grande qualidade? Quem é que dos que jogaram ontem, entraria diretamente no onze do Bayern? Quem? Fazendo este exercicio, talvez recues no que estás a afirmar.

Nuno disse...

rochacj85 diz: "Ou seja, trocavas mandzu por lewa, moratta por muller, kheidira por vidal, alex sandro por alaba, dyballa por robben. Estou a deixar Ribery, Gotze e Douglas Costa de fora desta conversa, com a ressalva de que Pogba podia jogar em qualquer equipa. É isso?"

Esqueces-te de alguns de propósito, certo? Por que é que não falas do Marchisio, que é só o melhor médio da Juve? Ou do Hernanes? E por que é que não comparas os centrais? De, resto, o Morata é talvez, neste momento, o melhor avançado do mundo. Está, pelo menos, ao nível do Lewa, do Benzema e do Ibra.

"Quanto ao treinador, bom, eliminar o Real, vender a final bem cara e quase eliminar o bayern.. muito fraco."

É o treinador que joga? Qualquer um, com um conjunto de jogadores assim, se arrisca a fazer um brilharete. A campanha da Juventus o ano passado foi facilitada pelo sorteio e por apanhar um Real que, diga-se a verdade, nunca foi uma super-equipa. E as dificuldades que teve este ano para assumir a liderança de um campeonato onde não há uma equipa sequer parecida, em termos de qualidade individual? A qualidade de um treinador não se mede pelos seus resultados. Mede-se pelo que a equipa faz em campo. A mim basta-me ver os buracos que resultam dos acompanhamentos ao homem na defesa para perceber que o Allegri não é um treinador minimamente decente. A desorganização defensiva da Juve foi evidente. O Evra ia para onde o Muller fosse, por exemplo. Se calhar é por estas e por outras que o Sacchi lhe mandou umas bocas, a semana passada.

Nuno disse...

vitor diz: "Nuno, este Bayern não é individualmente inferior. Parece que não estamos a falar de vários jogadores de topo, que já antes de serem treinados por Guardiola, eram de topo."

Vítor, em termos de opções regulares de plantel, não tenho dúvida nenhuma. Não é só inferior, é muito inferior. É possível que consiga construir um onze que se equivalha, em termos individuais, ao melhor onze da Juve. Mas em termos de plantel, nunca na vida. A qualidade individual dos jogadores não pode ser medida em termos absolutos. O Ribery não joga de forma regular há um ano; o Robben tem tido uma época muito acidentada, em termos de lesões, e não tem conseguido atingir o ritmo competitivo ideal. Eram as duas principais estrelas da equipa, há dois anos. Agora estão mais velhos. Já não são os mesmos. O Bayern de Guardiola tem sido uma coisa à parte deles. Acrescenta agora as lesões do Gotze, do Thiago (que é o único médio capaz de garantir criatividade ao meio-campo), e de toda a linha defensiva (se não fossem essas lesões, o Lahm seria mais uma opção de meio-campo).

"E mesmo na defesa, um Barzagli e um Bonucci será que seriam apreciados por Guardiola? Nem a 8 nem a 80!"

O Bonucci é um dos melhores centrais da Europa, e o Barzagli, além de experiente, é bastante bom. E ainda há Chiellini, que não jogou nestes 2 jogos. Não há um central no Bayern com a qualidade de qualquer um destes três. De resto, o Guardiola disse, há duas semanas, que o Bonucci era o seu central preferido, actualmente.

"Quem é que da Juve tem grande qualidade? Quem é que dos que jogaram ontem, entraria diretamente no onze do Bayern? Quem? Fazendo este exercicio, talvez recues no que estás a afirmar."

O Buffon não é inferior ao Neuer. Os centrais entravam de caras. O Marchisio e o Pogba, sem grandes dúvidas, nos dois lugares de médio. O único médio ao nível deles é o Thiago, e não tem tido propriamente a melhor das épocas, em termos de lesões e ritmo competitivo. O Dybala e o Morata não são inferiores ao Muller e ao Lewandowski. O Bayern tem melhores laterais e melhores extremos, se quiseres. E é preciso que possam jogar. O Alaba tem invariavelmente de jogar a central, o Ribery e o Robben mal têm jogado. O Gotze está lesionado há não sei quantos meses. Sobra o Douglas Costa, que só é um jogador interessante em termos de desequilíbrios individuais. Não me parece que os melhores onzes sejam assim muito diferentes. De qualquer forma, estava a falar em termos de plantel. Aí, parece-me quase obsceno comparar as duas equipas, sobretudo se pensarmos nas baixas do plantel do Guardiola.

rochacj85 disse...

Eu comentei os jogadores da frente. Por falar em baixas pq nao jogou dybala? Nao vou comentar os GR pq adoro o Buffon, mas o teu comentário diz tudo.
Dybala e Morata ao mesmo nivel de Muller e Lewa? Lol isso é sério? Estas a descartar um jogador que foi fundamental para a Vitória do Bayern com um golo de classe mundial.

Pelo que percebo, na junção Bayern Juve punhas o Vidal no banco. Correto?

Para finalizar, eu tambem posso repetir as frases do professor Baggio (digo professor humildemente,o baggio ensina-me imenso) e assim dá a sensação que sou um entendido. O problema é que nunca o ouvi dizer que os resultados nao valem nada, antes pelo contrário. Os bons métodos, os bons sistemas trazem resultados. O Guardiola é o melhor exemplo disso. Quando justificas ir à final da Champions com sorte no sorteio (Real Madrid), enfim!!!! Por 2 minutos tinham eliminado o Bayern, era sorte em que? Um bom treinador ganha! O Mourinho ganhava e deixou de ganhar porque deixou de ser top. O Jesus ganha porque é bom. Tens que ir rever as tuas fontes. Quanto ao hxh deixo essas conversas para os entendidos,já aprendi que uma boa defesa é zona excepto dentro de área, mas a verdade é que a Juventus defendeu com muitos homens e criou tanto perigo como o Bayern neste 2 jogo. Só não vez isso se não quiseres.

rochacj85 disse...

É que eu nem estou a dizer que o Alegri é bom ou que a Juve joga melhor que o Bayern. Estou a dizer é que é lindo ver pessoas que andaram a aprender umas taticas no lateral esquerdo a falar de treinadores que ganham com mérito campeoes europeus com mérito, como se eles fossem zeros à esquerda.