quarta-feira, 16 de março de 2016

Os gatos morrem. Mas jamais morrerá a estupidez e o analfabetismo no futebol.

A Juventus faz o dois a zero em Munique e a euforia toma conta dos portugueses.

"Morreram dois gatinhos no Lateral Esquerdo" Afirmava-se no Twitter. 

Afinal prova-se que Guardiola é mau treinador diz a malta do Totobola à segunda feira. Já se tinha provado tal quando o Barcelona de Messi o havia derrotado.

Os gatos morrem. No Lateral Esquerdo e em todo o mundo. A estupidez e analfabetismo no futebol é que perdurará eternamente.

Sob a avaliação rigorosa sobre o trabalho do treinador, muitos serão os que por coerência terão de afirmar que o Guardiola que era mau treinador até às 20.30, passou a genial lá por essas 22 horas. Cresceu muito como treinador em uma hora e meia, o espanhol. Deveria ser um caso de estudo.

É uma particulariedade muito latina e muito estupida esta de elevar treinadores à condição de deuses. Não necesseriamente no bom sentido, mas no sentido de que as vitórias e as derrotas passam pela quase na totalidade pelas suas performances, ignorando que são pessoas que jogam o jogo. E não máquinas. Com robots exactamente iguais, ganhará a melhor estratégia. O melhor "general". Com pessoas não funciona assim. No caso do futebol, provavelmente nem sequer o melhor "general" ganhará na maior parte das vezes se não tiver as melhores armas. Guardiola não apuraria o Arouca para a Liga dos Campeões. Di Matteo foi campeão europeu pelo Chelsea. Tal como Heynckes foi campeão Europeu pelo Bayern. O mesmo Heynckes que estava no banco do SL Benfica na pior humilhação da sua história. Como pode quem resume ao resultado a competência do treinador explicar isto?

Portanto esta época Ranieri é o melhor treinador do mundo. Talvez se deva ir buscar o italiano e experimentar o seu estica na frente num Real Madrid. Afinal, há anos que o Barcelona se impõe.

Mas afinal qual é o trabalho do treinador? Do ponto de vista táctico, ao treinador compete dar armas para que os seus jogadores sejam mais que individualidades no campo. Que se saibam relacionar entre si e interpretar o jogo. Que tenham comportamentos bem identificados por cada um dos seus jogadores em cada momento e em cada fase. Isto é o que faz um treinador competente. A partir daqui, o Scolari pode perfeitamente ser campeão do Mundo, como descer o Palmeiras. Mas, sem dúvida que um qualquer treinador que prepare melhor a sua equipa estará ou estaria mais próximo de ganhar o Mundial ou de não descer o Palmeiras do que o próprio.

23 comentários:

Duarte disse...

Durante a 2ª parte houve uma altura em que o Bayern começa com o chutão para a frente porque a Juventus pressionava a saída da bola e vimos o Guardiola frustrado com a atitude da equipa, mais tarde quando a Juventus recua, vimos o Bayern sempre a procurar as faixas em vez de jogar por dentro.
Posto esta introdução queria perguntar se acham que foram ordens do Guardiola para flanquear e começar a cruzar para o Lewa e para o Muller, explorar características que o Bayern tem e que o Barcelona dele não tinha, ou foi o desespero da equipa e ignorar os princípios do Guardiola que levou o Bayern ao empate?

Paolo Maldini disse...

Não vi o jogo, para poder confirmar o que dizes, Duarte...

Leandro Belmonte disse...

Boas Maldini, comentava isso mesmo com um amigo meu. O resultado desvirtua o trabalho. Pep nunca terá de ganhar algo mais para continuar no 'topo', basta continuar com as suas ideias, com os seus principios, o resto serao sempre imponderáveis que ele não tem tanto controlo quanto isso.
Os treinadores valem pelas ideias e não pela ideia que surge após um qualquer resultado.

António Tadeia disse...

Eu vi. Não fiquei eufórico nem sei nada de gatos mortos. Mas vi um Bayern lento e inseguro no inicio de construção quando a Juventus se estendeu ao último terço em fase defensiva. E sem capacidade para meter gente entre linhas e entrar no espaço interior. Se foi Guardiola a mandar usar a largura e os cruzamentos ou se foi iniciativa dos jogadores, ninguém saberá.

João Cerqueira disse...

Vi o jogo e vi durante 65/70 min um Bayern sem soluçoes para a pressão alta da Juve. Vi uma equipa nervosa, com dificuldades a sair a jogar desde tras, devido, a meu ver, à fraca capacidade de Benatia com a bola nos pés e tambem ao excesso de confianca de Neuer que precipita muitas vezes situacoes de perigo (existe um golo anulado à Juve, que surge de um casarao dado por Neuer)... Guardiola deu a entender nao ter um plano B para desmontar a organizao defensiva da Juve e penso que o flanquear o jogo se deveu mais à capacidade dos jogadores em perceber que o jogo interior nao produzia e de um Douglas Costa endiabrado... A juve perdeu o jogo aquando da saida de Morata e inevitavelmente pelo acumular do cansaço que motivou baixarem em demasia o bloco e oferecer meio campo ao Bayern para pensar o jogo. Guardiola é top mundial mas tem sempre a ajuda de jogadores top mundiais, o que torna tudo mais facil. Continuo a achar que este Bayern volta a levar banho contra o Barça.

Guilherme disse...

Pareceu-me o mesmo Bayern de sempre, explorar a largura ao max. para fazer oscilar a defesa adversaria. Os cruzamentos ja vêm de longe e sao uma questao de critério; e houve varias tentativas de furar pelo centro ao longo do jogo que nao correram bem por falhas técnicas. Convém nao esquecer que a Juve defendeu o jogo todo com 11 atràs da bola, e que o 3o golo (do Thiago) vem na sequencia de uma penetracao frontal pela defesa do Bayern, com uma bela tabelinha entre ele e o Muller.

Posto isto, que gozo me deu este jogo, so para fazer calar o idiota do Freitas Lobo. Aos 30 minutos exclamava com desprezo o facto do Bayern construir de tras e meter 8 à frente da linha de bola, como se isso nao fosse indicativo de grande trabalho do treinador, e o Pep fosse um boçal. Aos 120 ja dizia que a organizaçao do Bayern tinha ganho o jogo. Mas o Alegri que defende HxH é que é bom, e q Juve é que tem mérito. Em suma: pqp.

Pedro Pereira disse...

O bayern hoje fez muito lembrar o mau porto do lopetegui. Bola a roda de flanco para flanco por trás (neste caso até era bem lá em cima) para acabar inevitavelmente em cruzamento do douglas. Hoje não foi o guardiola que resolveu o problema e se era este o plano para a segunda parte pode-se dizer que acabaram por ter sorte.

Alessandro Del Piero disse...

O Bayern dominou por completo o jogo. Pensei exactamente nisto, não passou a ser bom treinador aos 90minutos. Ja o era antes e vai continuar a ser.
Se houve erro de Guardiola parece me ter sido na escolha do 11. Thiago tem que jogar de início e Benatia é horrível em tudo.
Em condições normais Barcelona e Bayern vão decidir a champions.

Lourenço Cordeiro disse...

O futebol, o assunto mais sério do mundo.

Marcelo Castro e Silva disse...

"Ah a Juventus perdeu o jogo porque recuou demais e passou a defender dentro do seu meio campo..."

Na primeira mão: "O Bayern sofreu os dois golos porque continuou a pressionar, em vez de baixar as linhas e segurar o 2-0..."

Realmente os comentaristas da Sporttv são o máximo!

Sapatos Dombalom disse...

Uma juventus com uma organização defensiva que leva a fadiga colectiva...A única organização que a maioria dos português conhecem

Antonio disse...

Penso que o jogo de ontem se começa a resolver a favor do Bayern quando Guardiola tira o Benatia e abandona os três centrais, voltando ao sistema de 4 defesas em que os laterais de incorporam no ataque através de acções interiores. Pareceu-me (pois sou apenas um entusiasta do futebol) que foi esta alteração que obrigou a Juve a descer linhas. Primeira parte muito boa da Juve

Nuno disse...

O que mais choca é essas pessoas não perceberem nada do jogo. O golo do Morata é totalmente inventado por ele (e pela passividade do Benatia, que podia ter feito falta). O primeiro golo é um erro não forçado do Alaba. Tirando isso, a Juve não fez praticamente nada na primeira parte. Saiu uma vez, já no final, com o Pogba, e que deu o único lance perigoso realmente protagonizado por eles. E conseguiu condicionar a saída de bola por algumas vezes. De resto, o Bayern fez uma boa primeira parte. Teve as primeiras oportunidades e conseguiu sair a jogar muito mais vezes do que se dá a entender. Faltou alguma qualidade entre linhas, para aproveitar o espaço que o modelo defensivo horrível do Allegri dava. Eu vi o Barzagli (o Barzagli!) a ir atrás do Ribery até ao flanco direito, na linha de meio-campo. O Jaime Pacheco deve ter adorado. Dizer que o Allegri é um treinador já é idiota. Dizer que é o melhor treinador da actualidade, como o Freitas Lobo diz frequentemente, é de asno. Com aqueles jogadores, um treinador decente tem de fazer muito, mas muito mais. Depois, não gostei da primeira metade da segunda parte. Aí sim, o Bayern intranquilizou-se e a Juventus melhorou. As coisas mudaram quando Guardiola decidiu alterar e colocar Douglas Costa no meio. Ainda que o futebol do Bayern tenha passado a assentar em iniciativas individuais, muitas delas sem nexo, fez com que a Juventus recuasse ainda mais. Isso precipitou o atabalhoamento defensivo, o sobrepovoamento da área, e os cruzamentos perigosos. A mesma "defesa à molhada" que tanto foi elogiada durante os primeiros 70 minutos acabou por ser o pecado capital dos italianos. Sim, Allegri deu uma lição, como o Freitas Lobo disse. A lição que deu foi: se defenderem assim, todos ao molho, sem ocupar os espaços como deve ser, tanto podem ter a sorte de passar 70 minutos sem sofrer um golo como podem de repente sofrer 4.

Sem Thiago, o Bayern tem um défice de criatividade no meio-campo que dificilmente permitirá controlar os jogos como Guardiola gosta. É um problema que, a juntar às lesões, pode ser decisivo nesta fase da época, numa competição como a Champions. Mas a capacidade que o Guardiola tem para, apesar das contrariedades, arranjar soluções para jogar sem abdicar das suas ideias é inacreditável. Aquela linha defensiva de anões é a gozar com toda a gente. Do Kimmich a central nem um maluco se lembrava e, no entanto, o que joga o miúdo...

Pedro disse...

Pode-se dizer que correu bem.
:)

Grande jogo. Estar a ganhar 0-2 e sair com 4-2 é duro.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Eu só vi a segunda parte e na maior parte do tempo a Juventus nem passou do meio-campo... A primeira parte foi assim tão diferente?

rochacj85 disse...

Desvaloriza-se demais esta Juventus de Alegri por aqui. A verdade é que eliminaram o Real Madrid, venderam muito cara a derrota na final e estiveram a dois minutos de eliminar o Bayern após perder Pirlo e Vidal. De resto digam à vontade que os resultados só disvirtuam a discussão.
Quanto ao Bayern de Guardiola, o meu treinador favorito, não entendi a falta de Thiago no jogo. Na fase final do jogo, uma equipa uma equipa que foi tao capaz de criar desequilíbrios nas faixas levando a Juve a baixar e juntar as duas linhas defensivas porque não houve mais linhas de passe à frente da defesa italiana ali junto à entrada da área, mmovimentosais em desmarcaca na zona central e mais apoio dos laterais?

fui disse...

Bem... Na primeira parte a Juve teve um golo mal anulado e uma grande defesa do Neuer impediu o 0-3 mesmo no final. O Bayern pelo contrário só fez um remate à baliza. No início da segunda parte a mesma toad, 3 ocasiões de golo para a Juve. No prolongamento a primeira ocasião é da Juve e no final ainda tem mais duas.
O Guardiola é genial mas ontem a Juve foi superior, porque é que custa tanto admitir isso?

Rafael Antunes disse...

Nuno, assino por baixo!

Eu só vi o jogo a partir da 2a parte, e a primeira metade foi muito estranha! Bayern sempre com bola, mas muito Comma à lá "Quaresma", Ribery a fuçar muito... Oportunidades de meter entre linhas à frente da defesa e bora conduzir até bater na parede!!! muito estranho!!!! Muitos nervos!!!

Pá, para meter o Alegri no seu lugar basta olhar para o Vidal. Como jogavaa na Juve e como joga no Bayern. Na minha opinião (que nem acompanhei a Juve, nem tenho acompanhado muito Bayern) está menos cão de caça (apesar de aqui e ali tentar aquele remate a 40metros)!!!!

Foi interessante ir vendo a mudança de atitude dos comentadores à medida que a Juve ia sendo ensaboada!!!! Ridículos!!!! Há tantos anos que não saltava do sofá a festejar!!!! :D

Fábio Matias disse...

A velha senhora é a velha senhora; nunca será fácil para ninguém. Os últimos 25m são reveladores dos princípios enraizados pela filosofia de Pep. Foram naturalmente melhores mas até nesta fase, foram estranhamente premiáveis. No resto do tempo foram insuficientes; muito pelo 1º golo, resultante de uma má noite do guardião bávaro, que deu a vantagem ao italianos e despoletou aquela supremacia italiana. A Juventos, não deixa normalmente sortes destas escaparem ao acaso. Foi no meu entender, uma vitória com muita sorte. Aquela sorte dos campeões...

RESISTENTE DOS PATARATAS disse...

Uma questão? um treinador é bestial quando ganha e uma besta quando perde?
E as equipas jogam como manda o treinador quando perdem e como querem os jogadores quando ganham?
Será que a competência assenta única e exclusivamente na vitória?
Estou plenamente de acordo que jamais morrerá a estupidez, mas o analfabetismo combate-se fomentando a cultura desportiva, dando ênfase ao processo e não apenas aos resultados!

Blessing disse...

Fui isso dos remates... Se o Vidal recebe bem a bola do Douglas aos dois minutos, dava remate? Não estava na cara do golo? Mas fica que "não rematou", nê?

Blessing disse...

O senhor Tadeia também viu os méritos da Juventus, da pressão, no último terço, no primeiro golo. Não sei muito bem como. Mas...

Dennis Bergkamp disse...

O vidal se calhar não percebe, mas rematar de vez em quando de longe faz com que os defesas sejam provocados para pressionar mais o portador.

Nessa vez não seria a melhor opção, mas mostra ter mais soluções e obriga os defesas a sair. Pq... Aqui é ali há charutos que entram