domingo, 10 de abril de 2016

Ausência de apoios frontais. Como deixar a última linha adversária confortável. Demonstra o FC Porto.

As muitas dificuldades que o FC Porto sempre encontra para criar não se podem alhear daquilo que é o seu processos ofensivo. Seja pelas qualidades e hábitos das suas individualidades ou por aquilo que não define em termos de movimentação ofensiva.

Suk na mata real simplesmente não joga. Por decisão própria ou de modelo, a verdade é que o ponta de lança do FC Porto, não sai por um instante da profundidade, do meio dos centrais para causar embaraços entre linhas. Para obrigar a última linha pacence a ter de tomar decisões (sair da linha para perseguir? Sair só após o passe?) e com isso desorganizar a estrutura adversária. 

Na construção e na criação o FC Porto joga com menos um. Não pelas suas capacidades individuais, mas porque simplesmente não é nunca referência para receber a bola. Apenas espera o momento para correr para as costas da defensiva adversária, ou para rematar à baliza depois de jogada construída e criada por outrém. O problema é que um FC Porto que já envolve pouca gente nas costas dos médios adversários, abdicar ainda assim de ter um avançado que possa desorganizar o seu opositor, é meio caminho andado para se criar muito pouco. Nos dias de hoje ter um ponta de lança preparado apenas para uma fase é demasiado curto.




16 comentários:

Henrique disse...

o peseiro diz que "isto é futebol". e mais uma vez teve azar e uma arbitragem que foi uma roubalheira. já ajustar a linha defensiva dele e ocupar o espaço à frente dos centrais é pedir demasiado.

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

Peseiro piorou o Fcp de Lopetegui...

Honoris disse...

Na 1ª imagem, construção à lopetegui, com os laterais demasiado baixos.

Dipeca disse...

Faltou uns apoios tipo isto? https://vimeo.com/161353670 .. Que diferença...

Blog de Portugal disse...

Devo frisar que não estive muito atento ao jogo, pois estava meio ocupado.

Mas pareceu-me que em Org. Def o Porto esteve bastante bem. Mais do que o Herrera não ter ficado a dormir no golo, parece-me que quando sai um cruzamento já dentro da grande área, sendo um lance tão rápido, pede-se marcação H-H. Não vos faz sentido?
Eu sou a favor da defesa zonal, mas nessa situação é o homem que faz golo e não o espaço/zona. E muito dificilmente vai alguém marcar H-H e o adversário reagir a isso e fugir dele - não dá tempo.

No restante jogo, acho que o Porto esteve bastante bem em Org. Def.

Mas com bola reparei de facto nos laterais algo baixos (só quando o Herrera começa a estar mais à meia-esquerda o Layun aparece mais à frente) e na falta de gente entrelinhas, apesar de não ter reparado no Suk.

Futebol disse...

Para mim Peseiro, é dos melhores treinadores portugueses, não tenho dúvidas... Mas a algo que eu nunca apreciei na forma de "ver" o jogo que ele tem... "Prefiro ganhar por 4-3 do que por 1-0"... É isto diz muito sobre a construção base do jogar das suas equipas... Provavelmente nunca irá ganhar grandes títulos na sua carreira, porque nunca soube "ajustar", a controlo do jogo das suas equipas.

Ricardo Fernandes disse...

Desculpem-me se estiver a cometer uma bacorada... Mas sendo que há pouco movimento na linha média do Porto e sem a pressão necessária no portador da bola, não terá sido exigido a Suk que fixasse os centrais adversários?

Constantino disse...

Nesta altura já são escusadas análises tácticas ao FCPorto. Já ninguém tem motivação e/ou discernimento para cumprir o que quer que seja do plano do treinador, se é que há algum. Chegaram à fase do "isto nunca mais acaba". Andam lá os corpos mas as cabeças já partiram para outra. Talvez seja esse o principal pecado que se deve apontar à já mais que óbvia, fugaz passagem de Peseiro pelo Dragão: não soube potenciar a vitória na Luz e deixou a equipa resvalar inapelavelmente para o abismo.

Barbosa disse...

Que ele não tivesse resultados era aceitável e até expectável. Que durante os primeiros meses não conseguisse qualidade de jogo também me parece compreensível uma vez que entrou a meio, numa má fase, teve várias lesões e estava a competir em 3 frentes - operacionalizar era um pesadelo. Mas principalmente a partir do afastamento da champions, e com o campeonato já fora do alcance, pedia-se que a qualidade começasse a aparecer. Sem estar lá dentro é impossível saber o que se passa, mas toda a gente sabe que, resultados à parte, José Peseiro tem futebol de muito mais qualidade do que aquela que o Porto apresenta. Espero que continue para o ano e consiga meter o seu jogo ofensivo no relvado. Era bom para o Porto e para a liga.

pancas disse...

Falta referir um ponto - varias pessoas, atraves de blogs e afins, assim como reportagens sobre o jogo referem o facto de que Peseiro estava constantemente a gritar para Suk para que ele descesse em vez de estar constantemente na linha dos centrais feito mumia.

Tendo em conta de que estes jogos sao agora de pre-epoca e de escolha de quem fica ou nao, faz entao sentido dar a titularidade a Suk, um avancado que, para mim, e espero que para muitos outros nao mostra qualidade para esta equipa.

Ricardo Cunha disse...

Não me parece nada descabido que Suk prenda os centrais.
O que tem de haver é mais dinamismo dos alas a jogar por dentro.
Qual a lógica de a bola estar na direita e mais de metade da equipa estar no corredor contrário? Escondidos do centro do jogo... Isso é "à Lopetegui".
Tanto Benfica, como Sporting jogam com Mitroglou e Slimani, a diferença é que Pizzi, João Mario, Teo, Jonas Gaitan, Bryan Ruiz jogam por dentro entre linhas.
No jogo de ontem, tanto o ala contrário como Sergio Oliveira e/ ou Herrera deveriam jogar entre linhas, com a projecção dos laterais a dar profundidade.

Paolo Maldini disse...

Mas Ricardo, o que é de facto prender os centrais? E porque é que isso é bom? É que se baixa e traz um é melhor que manter os dois ali. Ou se baixa e faz a ultima linha subir, mais fácil meter um movimento de ruptura de uma ala ou de um 10 para receber nas costas.

Dennis Bergkamp disse...

Para quem defende, da mais jeito adversarios previsiveis ou imprevisiveis?

joaoc disse...

é perceptivel a questão do ricardo, a equipa fica com mais espaço "livre" para jogar ali naquela zona "entre-linhas", porque tem menos adversários que seriam arrastados pelo Ponta (considerando ter estudado o comportamento defensivo adversário), mas isso seria válido se aproveitasse... se faltasse lá o Ponta, mas aparece-se lá outro. O extremo com o lateral a dar profundidade como acontece às vezes no sporting ou no benfica, usando o exemplo do ricardo... mas lá está, no Porto isso não acontece, logo o Ponta não está a fazer nada!

Barbosa disse...

"a equipa fica com mais espaço "livre" para jogar ali naquela zona "entre-linhas", porque tem menos adversários que seriam arrastados pelo Ponta"

Não exactamente, porque se o ponta arrastasse adversários para fora da sua zona, passava a existir espaço onde eles estavam inicialmente. A lógica de atrair adversários é essa, aproveitar o espaço que fica livre. Mas claro que tem de haver dinâmicas. Se um baixa outro tem de fazer a ruptura, etc etc. Ficar parado é que não vai desiquilibrar nada de certeza.

joaoc disse...

É exactamente isso que eu queria dizer. O Porto não definiu bem a sua estratégia. Digamos que estudou o adversário e concluiu que os centrais acompanham o Ponta de Lança se ele baixar. O Porto, suponhamos, "escolhe" que o Ponta fique a segurar os laterais, então o extremo deveria ocupar aquela zona, tal como demosntrado aqui no blog. Mas tal como tu disseste, se o Porto escolhe-se que o Ponta baixasse arrastando os centrais, o Extremo ou outro, lateral por exemplo deveria procurar um movimento de ruptura. Apenas acho errado dizer que o Avançado parado não vai desiquilibrar nada. Depende sempre da estratégia preferida.

Cada um tem a sua! Eu preferia o avançado a movimentar-se horizontalmente, tentando dar uma opção de passe/tabela, o extremo a procurar a zona intermédia entre linhas (onde o espaço está vazio) e o lateral a subir. Procurava assim dar mais "hipóteses" ao médio que vem do lado oposto com bola. Isto tendo em conta que é o Suk o Avançado! Por exemplo Se fosse o Jonas preferia que baixasse e o extremo procurasse a ruptura na zona intermédia e o lateral a dar profundidade...