sábado, 30 de abril de 2016

Lá como cá. A adrenalina como factor revelante em cada partida.

Em Inglaterra como em Portugal. A chegada ao primeiro lugar como catalizador fundamental e principal do sucesso.

Nunca se negligenciou por aqui a importância de outros aspectos que não o táctico. Se não são abordados por aqui, já se explicou, tal prende-se unicamente com não se procurar extrapolar algo que só é palpável por quem está no terreno. 

Hoje quer em Portugal quer em Inglaterra, caminha-se para feitos inacreditáveis. Um Leicester campeão e um SL Benfica a bater record de pontuação num campeonato a trinta e quatro jornadas. E a verdade é que tacticamente estão ambas as equipas longe daquilo que mais se ideliza por aqui. Sobretudo a equipa inglesa.

O que parece ser possível confirmar é que defender bem (no posicionamento e sobretudo na agressividade com que se aborda cada lance), conseguir entrar em cada partida com níveis de adrenalina anormalmente elevados (como acontece quando jogas num Leicester e lideras uma Liga, ou quando do outro lado o rival insiste em dizer que apenas tens sorte) e ter na frente de ataque jogadores de excelência, capazes de criar e finalizar a uma eficácia anormal, continua a poder ser suficiente para se chegar ao sucesso.

Muitas duvidas de que sem a chegada ao primeiro lugar quer Leicester quer SL Benfica teriam o rendimento pontual que têm com o jogo que apresentam. A adrenalina própria de quem avista a meta sem ninguém à frente é um tónico impressionante. Não se pode contudo deixar de referenciar que sem organização também não teria havido a chegada à frente. Rui Vitória e Ranieri lideram equipas bem organizadas nos momentos defensivos, com alguns movimentos ofensivos pensados, e com individulidades na frente a fazerem a diferença, mas sem dúvida que se vão aproximando cada vez mais de feitos extraordinários pela forma como extra campo parecem liderar as suas equipas.

14 comentários:

DC disse...

Acho que isso depende. O JJ teve dois campeonatos a ver a meta e a ser ultrapassado no photo finish. É uma questão de gestão do grupo e de motivações.

m1950 disse...

O Benfica anda com "trabalhos" da Guiné.

Tiago disse...

DC, concordo plenamente.

E este ano, andou a passear em primeiro e não se aguentou mais uma vez, nem com adrenalina. É o chamado Ai JEsus.

Pedro disse...

E o SLB só chegou ao primeiro lugar depois de vencer em Alvalade, já antes vinha numa série de vitórias e excelentes exibições que não tinham a ver com a adrenalina da liderança. Acho um pouco redutor o que o post pretende passar. Como o DC diz, JJ esteve muito tempo à frente e apesar de toda essa adrenalina do primeiro lugar os seus erros provocaram a perda do primeiro lugar.

Tem importância sem dúvida mas é preciso algo mais.

Ricardo Martins disse...

Mas esse raciocínio não colide com a recuperação que o Benfica fez? Estavam a 8(?) pontos e todos os consideraram fora da luta pelo titulo mas a equipa foi atrás. Tal como para o Sporting depois de ter uma vantagem de alguns pontos não teve essa adrenalina e perdeu pontos em jogos consecutivos?
Para não falar do Benfica de JJ que perdeu 2 campeonatos quando tinha essa adrenalina bem vincada fruto de humilhações nos anos anteriores.

Hélio Ribeiro disse...

O próprio atlético confirma isso: muita gente atrás da linha da bola, muita agressividade, mesmo que muitas vezes em falta, são o "segredo".

Hélio Ribeiro disse...

O próprio atlético confirma isso: muita gente atrás da linha da bola, muita agressividade, mesmo que muitas vezes em falta, são o "segredo".

Rui Dias disse...

Oh Marco tenho que concordar totalmente contigo, contudo estou certo que a maioria dos outros escribas do blog nao concorda! Pelo menos não concordava há umas semanas atrás...pois no caso do vitória não se estava nos treinos e portanto não era possível saber se se o homem é ou não muito bom a liderar pessoas!

Enfim....

Tendo em conta que a equipa do Benfica não é a mais equilibrada da liga e também não tem uma qualidade individual muito acima dos adversários directos....provavelmente estamos a falar de sorte.

Aqui fala se muito e bem sobre futebol contudo vejo muitas vezes ser descorada uma parte da preparação da equipa que é importantíssima! O jogo é jogado por homens, e enquanto assim for, haverão sempre os atléticos de Madrid desta vida a encostar as duas melhores equipas europeias da actualidade em duas jornadas europeias seguidas....porque são os pés que chutam a bola, mas é a cabeça que escolhe para que lado, e mais do que isso...com que intensidade!

DF disse...

vejam lá não vá uma mentira contada muitas vezes passar a ser verdade.

JJ perdeu um no photophinish no confronto directo! Se falamos de adrenalina, com certeza q a do FCP nesse jogo, em CASA! estava nos mm níveis.

perder o 1o lugar a 10 ou 11 jogos do fim n é bem photophinish... digo eu! Depende do conceito que se queira dar!

Rui Dias, ninguém pode afirmar que ele é bom ou mau a liderar! Ai o blog tem toda a razão! Está lá para aferir isso?!?!

DM disse...

A adrenalina de há exatamente 17 jornadas atrás a arbitragem os ter colocado na rota do título. Tivesse o Guimaraes -Benfica outro resultado é por esta altura quem sabe não era o Lopetegui a dar entrevistas vitoriosas :p

Giacommo disse...

Juro que tenho dificuldade em perceber comentários como os que se lêem a este post. Ou é pessoal que começou a ler o blog na semana passada, ou então não entendo mesmo.

0Loading0 disse...

A adrenalina de estar para aí em 5º lugar e estar a 8 pontos do 1º também definiu muito o campeonato!!!! Sabemos bem que equipas a 8 pontos do líder têm uma adrenalina especial... é que se tivesse tido a 7 pontos já não era bem assim, mas até teve aí o Benfica teve sorte porque foi a 8 pontos que tiveram e não 7!!!!

Gouvorni disse...

Exacto, é claramente o benfica que marca golos em fora de jogo e em que um adversario isolado é empurrado com as duas mãos na área e não é falta. Por muito mérito que tenha o modelo de jesus tem recebido muita ajudinha exterior. Ainda bem que dizes há 17 jornadas... ha 17 jornadas a ganhar dentro de campo.

Bruno Pereira disse...

Acho exatamente o contrário :)
É a partir do momento em que surge a pressão que a equipa do Benfica passou a responder pior. Antes, havia a motivação de poder chegar lá para fazer o "traidor mal-educado" engolir o que dizia; se desse, dava; se não desse, pelo menos tinham tentado.
E houve uma aprendizagem tão grande de RV... aprendeu com os melhores, diga-se...