quinta-feira, 14 de abril de 2016

O que os treinadores não controlam. Por Guardiola.

Fala-se muito por cá sobre o que o treinador verdadeiramente controla e o que não controla. Coloca-se todo o peso do resultado nos ombros de quem não joga. Quando é o processo que deve ser cobrado ao treinador.

"Lo importante es qué has hecho para intentar ganar, lo importante es el proceso, lo que has metido en el trabajo para poder conseguir la víctoria"

"por un minuto seríamos perdedores? Pues no. Al final es que háces para poder ganar y eso es lo más importante"

Guardiola com a simplicidade de sempre no final da eliminatória com o SL Benfica revela o que o público continua a querer meter nos ombros do treinador.

"Tinhamos o jogo controlado, mas o Benfica foi lá uma vez e marcou o golo. Na verdade a este nível na Liga dos Campeões todas as equipas têm grandes avançados e a qualquer momento algo pode acontecer"

9 comentários:

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

O Benfica foi super eficaz....
Não vi uma grande exibição nesta segunda mão...
Vi bola no Jiménez e pouco mais....
Na primeira mão sim, discutiram o jogo!

Patrick Pereira disse...

Paulo Sérgio Portugal Malheiro estou de acordo, mas sem Jonas, Gaitan e Mitro... complicado !

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

JJ quando não tinha Jonas, colocou Talisca!
Rui Vitória jogou como em Madrid...onde teve a sorte do jogo!
Aqui era PRECISO GANHAR...
O resultado na Alemanha, implicava mais audácia!

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

Na minha perspetiva Mitroglou e Gaitan foram poupados....

Pedro disse...

E foi pena que na segunda vez que lá fomos o Jimenez não ter conseguido marcar outra vez.
:)

Gaia Hunter disse...

O Benfica dos últimos 4-5 meses é quase sempre eficaz. Não o foi contra o Porto e contra o Bayern na alemanha.

Mas a eleminatória acabou com o 1-1 (1-2) e o nível do Benfica caiu claramente, até à entrada de mais uns jovens que vieram espevitar a partida.

Mesmo assim ainda vi jogadores do Bayern ansiosos a falharem passes e a perderem bolas.

O fundamental é que o Benfica se rejuvenesceu (Ederson 22, Lindelof 21, Renato 18, Gonçalo Guedes 19, Jimenez 24, Talisca 22 (tenho esperanças nele a segundo avançado), Nelson Semedo 22 (é esperar que recupere a forma), Jovic 18 (quero ver mais) e continua a fazer bons resultados.

O que Rui Vitória poderia fazer de diferente era não ter utilizado Sálvio (muito distante do que já mostrou).

Pedro disse...

Sálvio está distante mas tem um calo que naquele momento mais nenhum no plantel podia dar. Não entra Sálvio quem entrava? Guedes? Talisca? Não me parece que nenhum fosse boa opção para titular neste jogo.

Ricardo disse...

O que eu vi em ambas as mãos:

* Um Bayern que (quase) nunca precisou, e nunca me pareceu especialmente interessado, em meter mais do que meio-gás para passar a eliminatória. E que, mesmo assim, podia muito bem ter goleado em ambos os jogos, não fosse Ederson (primeira mão) e desperdício (segunda mão).

* Perante isto, um Benfica que, modo geral, tirando entre dez a vinte minutos no conjunto das duas mãos, pareceu sempre contentar-se em ser eliminado por poucos. Bem sei que Gaitán não jogou a segunda mão (e vamos ver se jogo o resto da época), que Mitroglou se lesionou no treino (ou, pelo menos, é essa a versão oficial) e que Jonas estava castigado ontem. Mas não sei se o plano não foi sempre dar esta eliminatória como vencida, de forma a concentrarem-se na Liga. O facto de ter sido por poucos acabou por ser um contraponto feliz.

Safin disse...

Sou Benfiquista dos sete costados, mas consigo ver o banho tactico que o guardiola deu neste jogo.
No 1 nao tanto, mas muito por causa da "prisao" do Alaba a central. Ontem com os dois laterais em todo o seu esplendor foi demasiado bayern para o esforco do BenFica.
Exemplo maximo do estudo e planeamento que o guardiola fez, foi o 2 golo. onde festejou euforicamente. Foi a primeira vez q vi a defesa a zona dos cantos "A la Jesus" a ser completamente desmontada.