terça-feira, 17 de maio de 2016

O Ferrari de Rui Vitória corta a meta em primeiro lugar

Quem treina um grande arrisca-se sempre a ser campeão. A frase adaptada é de Jesualdo Ferreira e ilustra bem uma realidade que muitos esquecemos, porque no futebol quem ganha os jogos são sempre os jogadores. Ainda que o treinador seja brilhante, dentro de campo mandam eles. Sempre foi assim, e sempre será. E sendo que os grandes em Portugal não têm comparação com as restantes, estar num grande significa sempre a possibilidade de vencer o campeonato. Foi assim com Mourinho, com Jesualdo, com Vítor Pereira, com Jesus, ou com Rui Vitória. A diferença, o que define o treinador, é a forma como se ganhou. Não pelos recordes batidos, mas pelo comportamento das equipas em campo. O Ferrari de Rui Vitória é fantástico, tem muita qualidade individual. Mas, desenganem-se os que pensam que foi só a qualidade individual a triunfar. Não. Há mérito do treinador na forma como a equipa cresceu defensivamente. Também teve momentos ofensivos brilhantes, aí devido à grande criatividade que tem ao seu dispor. Mas a chave está no crescimento defensivo, e num adversário que os motivou sempre e obrigou a focarem-se na luta. Como Mourinho um dia venceu a melhor equipa de sempre batendo todos os recordes, para Rui Vitória bater a melhor equipa do campeonato só batendo todos os recordes. É um grande mérito bater Jorge Jesus na regularidade, sendo Jesus o monstro que é, e tendo o Sporting apresentado a qualidade de jogo que apresentou. O que vai definir Rui Vitória será a próxima campanha. Irá cair como caiu o Madrid da liga dos Recordes? Ou irá continuar a disputar o campeonato até ao final (vencendo ou não) como Jesus e Pereira nos habituaram no passado?

59 comentários:

ricnog disse...

Sem dúvida que houve evolução no modelo de Rui Vitoria. Houve aprendizagem e começa-se a pensar que a equipa Benfica não é apenas quem lidera. Tem lá pessoas muito competentes que transmitem conhecimentos, suponho.

Será uma incognita o que será o próximo ano. Pode-se falar depois nas vendas, nas perdas de jogadores influentes, mas apenas Vitoria terá que dar uma resposta, sabendo sempre que são os jogadores que jogam.

No inicio do ano falavam e muito bem, que o Benfica ia ter muitas dificuldades contra equipas da mesma qualidade e que continuava mais forte que as outras equipas todas do campeonato, excepto Porto e Sporting. Foi isso que se viu...um Benfica que no campeonato ganhou um jogo ao Sporting. O resto foi so somar vitorias, com um ou outro deslize aqui e ali.

Pelo que me supreendeu, Rui Vitoria esta de parabens....isto porque soube acreditar, mesmo depois de o presidente em novembro, ter oferecido o campeonato aos outros.... ;)

Teconfil Limitada disse...

A conclusão é só uma: O Benfica não foi campeão porque tinha lá o Jesus. O Jesus é que foi campeão porque estava no Benfica.
O Jesus pode ser um dos melhores treinadores do mundo e arredores no plano táctico e de preparação do jogo. Mas isso é apenas uma parte do que um treinador deve ser. Falta a Jesus tudo o resto e que é fundamental. Desde logo Jesus é um treinador de jogadores, Vitória é um treinador de homens. Parece a quem está de fora que Jesus falha em termos de liderança e em termos de motivação do grupo de trabalho. E aqui é que reside a diferença de ter os jogadores "na mão" ou não.
Depois Jesus espalha-se ao comprido de cada vez que fala em público. E aqui é a imagem do líder dos jogadores que fica exposta. Já no Benfica era visível. Mas percebemos agora que de certeza que no Benfica havia muito "travão" às suas intervenções. Agora com esta liberdade toda foi as coisas tristes que se viram: "não o considero treinador", "fi-lo sair da toca", "o cérebro não está lá", quando ia em primeiro o primeiro era o que praticava melhor futebol e merecia ir em primeiro, agora é o segundo. Enfim, pode não motivar o seu grupo de trabalho, mas deixa os adversários em alta.

R.B. NorTør disse...

É isso mesmo do princípio ao fim (acabei de fazer um comentário neste sentido no PB).

Sendo uma das vozes mais críticas de RV, acho que demonstrou capacidade de aprendizagem suficiente para, mesmo que não tivesse ganho o título, continuar na Luz para o ano. Até porque resta saber o que tem para ensinar aos "putos". E se Lindelöf e Ederson ficarem, é meio caminho andado para aquela defesa começar a época sólida e poder trabalhar outros aspectos.

Pedro disse...

O grande vencedor é RV. Ter que suportar o que suportou, ter que enfrentar os problemas que encontrou, tudo com humildade e educação, sem queixumes. A minha vênia e um enorme obrigado.

Mantenho algumas dúvidas sobre se é a pessoa certa para levar o SLB para o caminho que pretendo mas foi um incremento em relação ao passado. Neste momento não sei responder à questão: Queres que ele fique ou não? E isso já é uma enorme progressão em relação ao que eu pensava no arranque da época.

O SLB de RV ganhou o jogo grande que tinha que ganhar. E depois manteve a vantagem contra toda a pressão inerente. Todo o mérito. Título justo e merecido.

Barbosa disse...

"O que vai definir Rui Vitória será a próxima campanha. Irá cair como caiu o Madrid da liga dos Recordes? Ou irá continuar a disputar o campeonato até ao final (vencendo ou não) como Jesus e Pereira nos habituaram no passado?"

Discutia isto ontem. A qualidade em termos de processos é visível, mas precisamente por aquilo que explicas no início do post, um título num grande em portugal não é uma bitola muito precisa da qualidade superior de um treinador. JJ disputa a liga portuguesa até ao fim há 7(!) anos consecutivos. Particularmente impressionante quando se tem em conta a mudança para uma equipa que pelo menos há uma década que nem era candidato. Um ano de RV não chega para uma avaliação, e muito menos para uma comparação como muitos procuraram fazer este fim de semana, à luz dos recordes. Não é por a qualidade não ser comparável - não sabemos se é - é porque não há bases suficientes para comparação. É preciso tempo. E é preciso lembrar que o treinador campeão esteve muito perto de ficar sem trabalho, e hoje dir-se-ia que não tinha estofo para um grande. Vamos esperar para ver o que faz nos próximos anos. Esperemos que tenha sucesso.

Acho que a cena do ferrari foi um bocado mal percebida (não aqui, mas na comunicação social e pelos adeptos em geral). No fundo JJ disse o que era verdade, e até previu inadvertidamente o desfecho do campeonato. O Benfica tinha um excelente plantel com todas as condições para ganhar o campeonato, faltava saber se o treinador conseguia o feito. Como se viu, conseguiu. Não percebo o gozo que deram ao gajo por dizer isto. Houve muitas outras coisas que ele disse que lhe saíram muito piores que essa.

bio disse...

Na minha opinião, e cá estarei para engolir estas palavras, RV= Domingos.

Vamos ver.

Gonçalo Mano

JD disse...

Creio q a frase é do Mario Wilson.

Robert Robson disse...

Este campeonato foi uma absoluta vergonha. Uma total falta de vergonha por parte da equipa directiva da equipa quase campeã não é compensada pela vitória da outra equipa. Equipa campeã que é a minha, mas que importa, se não houve um mínimo de desportivismo de outras partes importantes??

Foi fora de campo, mas também dentro. Na recta final do campeonato, as equipas que campeão e quase-campeão defrontaram não foram as mesmas. As que o futuro campeão meteram autocarros, jogaram com os titulares e houve até choro quando se falhou. As do futuro segundo classificado fizeram descansar jogadores, tiveram guarda-redes a fazer saltos de peixe para a bola e elogios de presidentes derrotados.
Em função disto, tenho que dizer que Jorge Jesus e a sua equipa não foram devidamente testados. Quanto a Rui Vitória, se a sua organização defensiva foi impressionante e se o privilegiar da criativadade na frente tem mérito, a sua primeira época ao mais alto nível não foi suficiente perceber que ideias ofensivas tem.

Para mim este foi um campeonato perdido para o futebol português. A título pessoal poder-me-ei enganar com uma vitória do clube do coração, mas, se pudesse, arrancava-o (o coração).

Pedro Pinheiro disse...

Bio, comparar o Domingos ao Vitória não lembra a ninguém, ou melhor, a quase ninguém! A desgraça que foi a comunicação do primeiro quando esteve num grande, com as lições que o o Vitória tem dado...

António Viegas disse...

Não sei que dúvidas poderão ainda haver em relação à qualidade de RV.
Depois de um pré-época muito má, com apenas 5 jogos para montar uma equipa que nunca tinha treinado, tendo que continuar a fazer experiências nos primeiros jogos oficiais, tendo que aturar toda a espécie de insultos, tendo que ultrapassar uma onda terrível de lesões, tendo tido que lançar vários jogadores da B, depois disto tudo, ainda vence o campeonato com o melhor ataque, batendo o recorde de pontos do super-porto de Mourinho, o que é que queriam mais desta época? Ah, e com uma óptima prestação na Liga dos Campeões, pondo o poderoso Bayern em sentido. Que mais tem o homem de fazer, para lhe reconhecerem qualidade? Se fosse o JJ a fazer o mesmo, seria elevado à condição de Deus dos treinadores. Como foi o RV, não consideram nada de especial... ainda não me convenceu, e tal... haja paciência, meus caros!!
Vou fazer uma previsão: no ano que vem o Benfica vai vencer o Tetra na antepenúltima jornada. E tem boas hipóteses de vencer a Taça de Portugal e chegar às meias da LC.
E mesmo assim, ainda vai haver gente que não fica totalmente convencida...

bio disse...

Domingos substituiu JJ no Braga. Fez um óptimo segundo lugar, a seguir estourou.


A minha ideia (como disse, posso estar errado) é que acontecerá o mesmo com o coach Vitória.


Mas tens razão, devia ter feito uma melhor explicação :)

Gonçalo Mano

Pedro disse...

Rui Vitória vai à final da Liga Europa para o ano?

Seria engraçado. :)


Pedro disse...

Dado a evolucao da defesa do Benfica durante a epoca, e a forma como a equipa evoluiu tambem a nivel ofensivo (ainda que menos que a nivel defensivo, deixou de ser so bola para a frente e cruzamento para a area), seria interessante relembrar a discussao da estrutra e da capacidade de aprendizagem de um treinador, nao?

Sempre achei que uma boa estrutura era capaz de fazer crescer o treinador, mas nunca pensei que o RV fosse esse treinador. Licao de humildade para mim... Isso e ter relembrado que o desporto tem muitas outras variaveis para alem da tactica, que nao sao assim tao menos importantes.

MM disse...

"Na minha opinião, e cá estarei para engolir estas palavras, RV= Domingos.
Vamos ver." - Gonçalo Mano

Não faço ideia se Domingos é pior ou melhor treinador que Rui Vitória. A intuição diz-nos que será um tanto pior mas é uma pergunta à qual Maldini saberá responder. Agora nem Domingos com todos os seus defeitos e limitações se apresentaria em Alvalade como o Benfica de Rui Vitória o fez.

Unknown disse...

O JJ ganhou o championat no 1o ano e depois levou andamento no seguinte. Portanto podemos afirmar que o Vitória é um bom treinador pelo que demonstrou nesta época.

Benoit disse...

Primeiro que tudo, parabéns Blessing pelo "fófó".
Rui Vitória é campeão e com mérito. Mas chego ao fim do campeonato com a sensação de que, se no lugar deste tivesse uma vassoura e um gravador debitando frases de auto-ajuda, o Benfica seria campeão na mesma.
Já nos esquecemos do inicio da época, da "defesa mil folhas" (cit. Honoris) e dos 20 cruzamentos (sem nexo) por jogo. Comportamentos defensivos com menos qualidade do que o Chievo em Itália...Esquecemos isto tudo?
Agora questiono? O que mudou?Ou melhor, de que forma mudou Rui Vitória? Como por magia transformando uma defesa de farrapos num muro de confiança. Dando liberdade aos artistas e abandonando os corredores laterais.
A nível técnico/táctico, bato palmas ao Gonçalo Mano e cá estarei para engolir sapos com ele, pois não considero Rui Vitória superior a Domingos.
No que toca ao plano da gestão e motivação do grupo deve estar ao nível dos melhores. Isto, aliando à qualidade individual dos jogadores do Benfica chegou para ser campeão por cá...como surpreendentemente Ranieri foi campeão em Inglaterra.

R.B. NorTør disse...

Viegas,

O novo paradigma é apostar na formação. A meu ver apostar na formação não é só rodar a equipa B uns minutos e está feito. Há que ver os jogadores evoluir. Por isso, veremos o que evoluem os jovens.

Depois a pré-temporada... que se estendeu até Dezembro! Até Dezembro a ideia de jogo do Benfica era a de clube que luta para não descer. O que se passou em Dezembro para mudar tudo e engatar a máquina? Não sei, mas espero que na próxima época isto comece a alinhar-se na pré-temporada.

O Vitória é campeão porque papou tudo o que apanhou à frente, exepto o Porto na Luz (mérito "próprio"), mas também porque os que iam à frente dele no início dessa série patinaram e bem (mérito alheio). Dos 8 pontos de atraso, apenas 3 podem ser considerados fruto directo do trabalho dele. Assim sendo, o desafio do Benfica é manter o nível destes 23 jogos, conseguindo ir buscar os pontos do confronto directo.

RV tem uma margem de aprendizagem maior, por ser substancialmente mais novo, do que JJ. Só que JJ leva uns anos de avanço na implementação de um processo vencedor. Deste duelo entre a evolução de um e a veterania do outro sairá o duelo do ano que vem.

Barbosa disse...

Epá o pessoal tem de se decidir se a herança do Jesus foi o que tornou difícil a RV implementar o seu jogo, ou se foi graças à herança do JJ que RV conseguiu ser campeão. Uma ou a outra argumentação são relativamente defensáveis, as duas é que é mais difícil.

Em termos de herança, a única coisa verdadeiramente significativa é que RV herda uma equipa e um clube com uma cultura de vitória altamente competitiva, e JJ um clube e uma equipa onde essa cultura não existia de todo. Mas em qualquer dessas situações houve prós e contras, portanto não é por aí.

finalmente, não se trata de haver dúvidas sobre a qualidade de RV, trata-se de saber com mais precisão até onde essa qualidade chega. Para ele fazer o campeonato que fez é porque é bom, mas bons há muitos. A lista de treinadores campeões em Portugal é grande, e a diferença de qualidade entre esses treinadores também, portanto para saber quão bom ele realmente é, são precisas mais umas temporadazitas. Isto é um mal um bocado tuga, e no Benfica tem especial incidência, que é tipo um gajo faz grande exibição com direito a hat-trick e no fim do jogo já é o melhor jogador da Europa. Calma, deixem as coisas acontecer.

cobra2 disse...

É impossível treinar uma ideia ao pormenor e durante tanto tempo que não foste tu que pensaste. O Benfica de Rui Vitória não tem nada a ver com o Benfica de JJ. Os jogadores podem ter aprendido muita coisa com JJ, como com todos os treinadores que tiveram, mas nada mais. O Rui Vitória com certeza que irá apresentar um Benfica diferente para o ano (seja para melhor ou pior), pois o contexto muda e os jogadores mudam. Acho que muita gente pensa que o efeito JJ demora uma ano a passar, como se fosse um prazo de validade,só porque o Domingos teve a única época de sucesso depois dele ter saído do Braga, e que agora vai acontecer o mesmo ao Rui Vitória. Se acontecer não é por isso de certeza.

Diogo Castro e Silva disse...

Curioso este debate e atenção que eu teria preferido o Vitor Pereira ou o Paulo Sousa ao RV:
- o RV soube evoluir ao longo da temporada. Por exemplo o Pizzi que com JJ foi testado a 8 virou falso ala potenciando o jogo interior da equipa. Isso é so manter a herança ou é evoluir?
- acho curioso dizer que o benfica ganha por ter maior qualidade individual. Isso é fácil de dizer depois das experiências renato sanches e lindelof terem dado certo. Mas so deram certo porque o RV soube apostar neles e a estrutura da equipa soube os integrar. Mas estava longe de ser obvio no inicio
- a heranca que o RV pegou acima de tudo é um nucleo duro da equipa que esta junto ha muito tempo. E isso numa competição longa vale muito
- a estatistica dos derbys também é muito enganadora. Se os 3 derbys do início da época tivessem ocorrido na segunda metade duvido que a estaristica fosse a mesma. O slb apanhou o sporting no início da época abalado pela mudança de um treinador que esteve 6 anos no clube e que logicamente vitaminou o rival. O jogo em casa com o fcp também foi mal perdido pois o benfica produziu o suficiente para ganhar

Por isso o RV pode não ser um guardiola mas grande mérito teve. Creio aliás que o JJ va ter muitas dificuldades para o ano passado o efeito vitamina deste ano. Não pelas suas qualidades de treinador mas porque vejo muitos problemas vir na minha estrutura do scp. O JJ ganhou 2 dos 3 titulos depois do lfv ter aguentado ele depois do ano horrivel das finais perdidas. O bdc faria o mesmo? Muitas duvidas

David Cardoso disse...

Espero é ver este ano um melhor planeamento de pre- temporada, normalmente as pré-temporadas são preparadas de uma forma muito confusa e com contratações aos pacotes, com a maioria com guia de marcha para empréstimo.

Por agora os sinais são positivos com a contratação definitiva do Mitroglu , com o Cervi e Carrilo já nas contas , acredito que para o ano , mesmo com as saídas ,teremos um Plantel ainda mais forte e prevê-se um treinador muito mais preparado depois de tudo que aconteceu este ano.

PS: Seria giro caso o VP regressasse pro FCP como foi falado na imprensa :)

MM disse...

Blessing, só agora reparei que o autor do texto não é o Maldini. Quando escrevi "Maldini saberá responder" referia-me evidentemente ao autor do texto.

Nuno Costa disse...

ha males que vêm por bem. Acho que os 3-0 na luz foi um desses casos. Acho que foi aí que Rui Vitoria percebeu que tinha de fazer muito melhor se queria ganhar o campeonato. A evoluçao da linha defensiva começou aí e que evoluçao tremenda foi.

Pedro disse...

Rui Vitória é campeão contra o, dizem, melhor sporting da história. JJ é campeão contra o...Braga.
Convêm ter um pouco de atenção ao contexto competitivo antes de tecer rasgados elogios a uns e poucos elogios a outros.

E, já agora, o Domingos foi à final da Liga Europa, com o Braga, na sua segunda época onde, presumo, o efeito JJ seja já residual. Ou tb é mérito dele essa prestação do Braga?

Todos recebem de JJ mas JJ nada recebe dos outros. Nada recebeu de Marco Silva (excepto a possibilidade de conquistar o único troféu da época).
São estes exageros que minam sempre a discussão em torno de JJ.

Edson Arantes do Nascimento disse...

Concordo com o Blessing em quase tudo.

Diria apenas que se treinar os três estarolas é garantia de lutar pelo título, também é verdade que os três clubes são diferentes entre si. Eu acho sempre - e até prova em contrário - que Benfica e FCP são mais organizados em sectores importantes, funcionam melhor no dia-a-dia e têm melhores jogadores, globalmente, do que o Sporting.

Sobre o destino do Vitórias, bom, eu já fui tão cáustico com o homem que agora até nem consigo pensar bem. É demasiado taxativo considerar que a próxima época é que vamos ver. Não consigo encontrar um argumento com lógica para defender isso. E porque não na terceira época? Ou daqui a quatro anos e meio? Ou daqui a duas noites e três dias.

A próxima época vai depender, em primeira instância, dos plantéis que os treinadores tenham à disposição. Porque vai mudar alguma coisa, naturalmente. E depois vai depender da continuidade, ou não, do JJ e do Peseiro.

Unknown disse...

Domingos estoirou mas foi a final da Liga Europa eliminado. ..Jorge Jesus nas meias! O que fez o Braga estoirar foi a champions e a pressão que talvez o clube não esperava...

Baresi disse...

Uma pergunta para ti Blessing (e já agora para o Maldini):

Este Benfica de Rui Vitória foi melhor que o de Jesus que perdeu o campeonato aos 92min (Para o FCP de Kelvin mas tambem de James, Hulk, Moutinho, Otamendi, Lucho e companhia?)

Blessing disse...

É melhor que o Benfica do Trapp

Avançado Interior disse...

Grande trabalho do Rui Vitoria. Grande exemplo de postura. Quanto ao trabalho técnico em si, acho que o Pedroso é fundamental para o Benfica, tanto é, que o Jesus o queria no Sporting. As equipas técnicas ganham campeonatos, não é só os treinadores.

Unknown disse...

Tipo, pior que o domingos? Esse gajo não presta.

Unknown disse...

Vejo que está a custar a muita gente reconhecer o vitória como bom treinador. Apesar do início incrivelmente mau não é pela herança nem pela sorte que se constroi uma equipa a defender daquela maneira que até o guardiola elogiou muito. Parece que é só equipas no mundo a defender a profundidade como o slb denfende...Claro que não é melhor que o JJ mas já provou que consegue dar luta. E não metam o domingos ao barulho pf.

José Vieira disse...

" É melhor que o Benfica do Trapp "

e é isto.
Chegou para ganhar a Jorge Jesus. Tiveram que se bater recordes, porque o, agora execrável treinador, os contínua a bater.
Jorge Jesus não podia ganhar.O Sporting não podia ganhar.Este ano não, nem pensar. Sporting e Jorge Jesus. Nem pensar. Bruno de Carvalho. Jorge Jesus. Sporting. Os maus não podem ganhar. Este ano nunca.

É com mérito é, mérito em muitas coisas.
O que vai definir Rui Vitória na próxima campanha é o facto de continuar no mesmo clube, não vai para o Braga acho eu.

Reergueu- os,sempre os respeitou e os defendeu.

R.B. NorTør disse...

@Nuno Costa:

Discordo da teoria dos 0-3. A linha defensiva andou a sofrer por mais dois ou três meses e isso via-se frente a adversários de igual ou maior valia. O jogo com o Gala na Luz é sofrível, o jogo com o Astana fora, o jogo com o Atlético na Luz, o jogo de Setúbal, o jogo da Taça da Liga com o Nacional... A melhoria substancial na linha defensiva é deixar de apostar em Lisandro e passar a apostar em Lindelöf.

A teoria de que os comentário do JJ sobre o "não treinador" podem ter motivado o plantel, ou que Vitória pode ter usado isso a seu favor, pode até pegar. No mês seguinte a essas declarações a equipa do Benfica faz 31 golos em 8 jogos (média próxima de 4 golos por jogo) e sofre 5. Exibições de encher o olho, exepto as reservas contra o Oriental.

Esta série acabou na Luz com a derrota frente ao Porto em que apesar do bom jogo as lacunas defensivas voltaram ao de cima.

Mesmo no jogo se Alvalade a linha defensiva não esteve bem. O número de ocasiões falhadas pelo Ruiz demonstra isso mesmo.


@Baresi,
Sei que não fui chamado à conversa, mas acho que este Benfica fica atrás desse do minuto 92. Parece-me que esse Benfica tinha muitos mais recursos colectivos para desfazer problemas do que este. Tinha também mais mecanismos colectivos para se proteger de problemas que os outros lhe pusessem.

@Edson
Sei como te sentes! Como disse acima (e noutros locais), acho que as mudanças que o Benfica sofreu ao longo da época mostram que Vitória merece, no mínimo, o benefício da dúvida. Isto porque, passe todas as falhas, a equipa colectivamente comporta-se de uma forma agora que está a anos-luz, para melhor, do que era a equipa no primeiro trimestre. E isso não pode ser só os jogadores!
Objectivamente acho que há coisas que servem para avaliar RV e enumerei-as ali em cima: valorização dos jovens, melhorias no jogo frente aos grandes, menos dependência do "golpe de génio" traduzida em mais mecanização colectiva.

Gonçalo Matos disse...

Bem.. Vamos lá ver o seguinte, o Benfica melhorou e notou se ao longo da época principalmente na org def.
Agora, a qualidade individual neste campeonato fez toda a diferença... E a forma de alguns jogadores é que permitiu que o Benfica andasse na luta.
Eu fiquei muito admirado pela positiva pelos miúdos que apareceram e agarraram na equipa como se lá jogassem desde sempre, mas não acho que isto tenha sido devido à grande capacidade do RV para promover o talento deles num modelo de jogo top.
Houve sorte, houve mérito, mas houve por exemplo, um jogador a disputar a bota de ouro até ao último mês do campeonato e que me lembre, isto não acontecia desde os tempos do jardel. E quem tinha jardel era campeão

David Cardoso disse...

"Aprendi muito, melhorei o meu trabalho defensivo, as movimentações em campo... aprendi muito ... Palavras de Mitroglu.

Cantinho de Todos disse...

Não discordando da globalidade do post só 2 reparos ao post e alguns comentários:

1. se o que vai definir o RV é a época a seguir a ter sucesso então o JJ seria uma bela bosta (que obviamente n é!) pq na época a seguir a ter sucesso fez uma época bem fraquinha e a seguir a essa tendo sido boa ganhou uma taça da liga. A carreira de um treinador está sempre em avaliação mas isso é verdade para o RV como para o próprio JJ (como será a 2a época no Sporting?)

2. o Domingos n será o melhor treinador do mundo mas na 1a época no Braga ia sendo campeão (contra um dos melhores planteis do benfica de sempre nas mão do JJ) e na 2a época eliminou o Celtic e o Sevilha para entrar na Liga dos Campeões. Aí fez 9 pontos na fase de grupos e já na liga europa eliminou liverpool, dinamo de kiev e benfica (de JJ) até chegar à final. Passados 2 anos, com inumeras alterações no plantel do braga sugerir que o mérito é do JJ é brincadeira.
Aliás as épocas no Braga foram tão boas que teve a oportunidade no Sporting onde nunca seria fácil ter sucesso perante 2 adversários na maior fase de investimento da sua história. E se a seguir estoirou como treinador foi por causa das escolhas que efetuou a seguir e ao desmembramento da própria equipa técnica.

De resto há treinadores como o Paulo Fonseca que a avaliar pela reputação na blogosfera parece que nasceram com o cu virado para a lua pq quem vê o número de pontos ganhos e os erros defensivos persistentes (ex: primeiro golo Sporting) n percebe o pq de tanto hype. Mas se calhar é o penteado e a barba estilizada que dão mais pinta que a barriga do Rui Vitória.

Unknown disse...

A qualidade individual teve bastante foco mas é engraçado que se fazes um 11 a maioria do pessoal te vai escolher mais jog do SCP. É só ver o post do bledsing no posse.

Nuno Mendes disse...

Primeiro que os modelos, é preciso que se perceba que o futebol é jogado por pessoas e o seu conjunto de emoções, que depois acabam por influenciar outros contextos.

Ricardo disse...

A comparação de Rui Vitória com Domingos faria mais sentido, caso o Benfica tivesse "morrido na praia". Eu diria que, neste momento, a haver paralelos, faz mais sentido estabelecê-los com Fernando Santos no FC Porto. Em ambos os casos, duas coisas foram determinantes para o sucesso na primeira época: a qualidade individual superior do plantel em certos-setores chave e um aproveitamento quase oportunista do trabalho já anteriormente desenvolvido.
No primeiro fator, as semelhanças chegam a ser quase gritantes, dado ser precisamente o setor atacante o que mais diferença fez. Aliás, faça-se o seguinte exercício: Capucho-Zahovic-Drulovic-Jardel vs. Pizzi-Gaitán-Jonas-Mitroglou. Os paralelos quase que assustam!
No segundo fator, mais fácil se torna a explicação, com a diferença que o FC Porto teve dois obreiros anteriores. Bobby Robson estabeleceu os princípios, António Oliveira consolidou-os e Fernando Santos só teve que não estragar a fórmula. No caso atual, Jorge Jesus ocupou o lugar de dois. No entanto, também há que dizer que as circunstâncias e a necessidade de sobrevivência obrigaram Rui Vitória a ter que virar o bico ao prego. Perante uma pré-época tão falha de futebol "de jeito" e uma contestação que já se estava a tornar ensurdecedora, a aquisição de dois avançados pagos a peso de ouro (Mitroglou e Jiménez) como que funcionaram como uma espécie de ultimato a Rui Vitória para abandonar as suas ideias de 4-5-1 e a adotar, forçosamente, pelo 4-4-2 das últimas épocas - é que não estou a ver a "estrutura", depois do esforço despendido, a aceitar de bom grado ver Rui Vitória a deixar dois avançados no banco.

Quanto à evolução defensiva, eu acho que ela tem um motivo mais simples. Chama-se "lesão de Luisão". A verdade é que o modelo "defesa mil folhas" (que expressão tão feliz!) estava a expor bastante mais as limitações de Luisão. Mas a verdade também é esta: quem, no seu perfeito juízo, perante o estatuto de Luisão e o óbvio carinho da "bancada" por ele, teria coragem para o retirar da lista de titulares? Como se diz na gíria: ah, pois! E não deixa de ser simbólico que a lesão de Luisão ocorra precisamente na terceira derrota da época perante o Sporting. Foi como que um golpe de misericórdia dos deuses!
A partir daí, com Lisandro, percebeu-se a diferença que era ter um central mais rápido e flexível, perante o modelo defensivo adotado. De resto, tenho uma opinião que, para alguns, vai soar polémica: considero Lisandro o melhor central de que o Benfica dispõe, nesta altura. Lindelof cumpriu bem o seu papel, mas acho que Lisandro oferece bem mais segurança e melhor sentido posicional, mesmo sendo ligeiramente pior no "sair a jogar".

Benfiquista Tripeiro disse...

O futebol realmente é engraçado. Nem as pessoas que lá andam dentro conseguem disfarçar os amores e os desamores.

No ano passado, foi a época toda a enaltecer Jesus, que o Benfica só valia pelo colectivo, individualmente era uma desgraça, mal saísse o "cérabro" a coisa num par de meses ia abaixo.

Este ano, é graças às individualidades que o Benfica é campeão, o treinador, coitado, apesar de competente (mais paternalismo é difícil) não chega. Ai se não fossem as individualidades!

Colectivo excelente é o do... adivinhem... Jesus. Pois claro! Só é pena não ter individualidades, uma chatice. Num ano em comprou uma camioneta de jogadores a pedido, acertou num. Foi azar, claro, não foi azelhice.


Vamos ver uma coisa, então:

Onze Colectivo Onze individualidades

Júlio César Ederson
Maxi Almeida
Luisão Lindelof
Jardel Jardel
Eliseu Eliseu
Samaris Fejsa
Pizzi Renato Sanches
Gaitan Gaitan
Salvio Pizzi
Jonas Jonas
Lima Mitroglou


Ora, como se pode verificar, há 6 alterações no onze tipo (ou melhor onze, como quisermos). 7 se quisermos contar com a mudança de lugar do Pizzi.

Podemos então dar razão ao argumento Colectivo/Individualidades, tendo havido tantas mudanças?
Obviamente que não. Das 6 alterações, apenas 2 jogadores não estavam no Benfica há um ano: Ederson e Mitroglou. Por estes 2 jogadores podemos dar razão ao argumento supracitado? Seria ridículo se alguém se atrevesse a isso, o que não impede muitos de o fazerem.

Dos outros 4 temos: Almeida, Lindelof, Fejsa e Renato. Estes 4 já estavam no Benfica há um ano e até mais. Almeida sempre foi importante com Jesus, Fejsa idem, os outros dois ainda tinham de nascer 10 vezes.

Então podemos dizer que o Vitória andou a mamar às custas do trabalho de Jesus? Mais uma vez, obviamente que não.

Primeiro, porque Jesus desprezou completamente Lindelof, Renato, Semedo, Guedes, entre outros. Estavam lá, não serviam, não tinham qualidade individual. Em 6 meses parece que afinal foi só pela sua qualidade individual (e dos outros. Que já lá estavam) que o Benfica ganhou.

Segundo, porque o próprio Jesus afirmou que saindo o "cérabro", sai tudo. "Aquilo não funciona porque o cérabro já não não está lá." Palavras do próprio. Aqui no blog afirmou-se o mesmo, que em questão de meses a equipa ruiria e os processos seriam todos desaprendidos pelos jogadores. Li aqui, não estou a inventar nada.


Portanto, desconstruído o argumento preferido dos jesuítas inveterados, não sei qual resta. Talvez tenha sido da relva.


Reparem que me abstenho a comentar tácticas e movimentações, apenas analisei as peças do tabuleiro, mais nada.

Constantino disse...

Caros,

O SLB 15/16 foi campeão batendo o recorde de pontos do campeonato e marcando 88 golos. Assim à primeira vista, parece que foi campeão à Trappatoni (com todo o respeito pelo italiano, atenção). Este Benfica que ninguém sabe como foi campeão e que conquistou o título injustamente, só não ganhou 5 dos 34 jogos disputados. Contra equipas pequenas (e reparem no elogio escondido que faço ao Sporting) apenas perdeu 5 pontos. Este Benfica que ainda todos colocam em dúvida vai disputar depois de amanhã a final da Taça da Liga (li por aí que o Super JJ deu hoje o último treino da temporada) e alcançou os oitavos de final da Champions, tendo inclusive ido ganhar a casa de um dos finalistas.

Reparem, eu também critiquei o Rui Vitória, mas a força dos números é lancinante. Nem vou entrar na subjectividade das lesões e castigos que teve que atirar para trás das costas (perdeu o melhor guarda redes do campeonato no dia do jogo mais importante da época e parece que foi o Paulo Lopes que meteu baixa nesse fim de semana). Podemos atirar mil e uma teorias para o ar, mas a estatística é factual: o SLB foi melhor e Rui Vitória provou que tem unhas para a guitarra. Há treinadores que até quando erram acertam, outros há que nem quando atiram em cheio no alvo estão a acertar.

R.B. NorTør disse...

Oh Ricardo, vais aos treinos do Benfica ou essa do posicionamento do Lisandro é com base no que se viu? É que pelo que se viu, o Lindelöf com uma venda acerta mais posicionamentos do que o Lisandro sem ela...

Como disse noutro lado, gostava de ver Lisandro na Final da Taça da Liga para perceber o que é que ele andou a fazer nos treinos desde que o Lindelöf tomou de assalto o 11 titular.

Benfiquista Tripeiro disse...

De notar outra coisa.

Jesus perde um campeonato no Benfica por causa da bazófia e da falta de concentração. Estou a falar no campeonato Estoril/Kelvin.

O Benfica, 1º classificado antes da referida dupla jornada, empata em casa com o Estoril, um jogo inglório que o treinador (e a equipa, consequentemente) dava como ganho.



Jesus perde um campeonato no Sporting por causa da bazófia e da falta de concentração. Estou a falar no campeonato Guimarães/Benfica.

O Sporting, 1º classificado antes da referida dupla jornada, empata fora com o Vitória, um jogo em que o treinador (e a equipa, consequentemente) dava como ganho. Chegou a tirar o seu melhor avançado e melhor marcador para o poupar para o jogo seguinte. Perdeu esse e perdeu o campeonato.


A diferença é que na primeira situação estávamos a 2 jornadas do fim, na segunda estávamos a 12. Mas a merda feita pelo treinador foi exactamente a mesma.

José Vieira disse...

Ferrari do Rui Vitória chegou primeiro.
Quem treina um grande arrisca-se sempre a ser campeão. Mesmo num que nos áltimos 40 ganhou 3 ou 4? adaptada do Jesualdo, ele até treinou todos, deve saber, se calhar achou que se tivesse o tempo que esteve no que ganhou, também ganharia nos outros, será que foi isso porque quem ganha os jogos são sempre os jogadores. E as equipas dos jogadores. Falemos do jogo porque falamos só do jogo.
Jesus não vai ficar ao lado na história como bons e grandes treinadores como Vitor Pereira(impossível não escrever este nome sem pensar no outro, até isso não o ajudou), Jesualdo, Rui Vitória, Vilas Boas e outros, ficará na mesma de Pedroto e Mourinho, dos mais antigos não sei.
Com o Trapp custou, também eramos melhores mas tinhamos o Peseiro,disseram. Nós admitimos mas tinhamos-os visto a acenar com lenços ao treinador que estava a levar um mini-baile dos outros com menos um, e no campeonato foi uma recuperaçao também. É mas fomos á final lá fora ou cá dentro, isso não conta para o campeonato, ouvimos.
Mas os números, os números, mais vitórias, mais golos, melhor marcador, melhor e o mais.
O do Trapp já passou, até ficámos em 3º. O Mourinho tinha ganho tudo, também já não ganhavam fazia tempo.
Este também não foi aquele que nos fez passar de 3 ou 4 para 4 ou 5.
Mas este vou contar ao meu neto se a história desaparecer.

moskow disse...

O que eu sei é que neste final de época, quando o Sporting finalmente apresentou um futebol avassalador foi quando só andavam a jogar de semana a semana e o Benfica andava envolvido ainda nos quartos de final da Champions e uma meia-final da taça da liga com um desgaste muito maior, pq lembro-me que no jogo antes do Sporting x Benfica quando empatam 0-0 em guimarães, no final tava o William Carvalho a pedir calma aos adeptos e a dizer que ainda estavam em primeiro...

POdA disse...

Acabada a época, queria eu também fazer uma reflexão sobre a prestação desta equipa ao longo do campeonato 2015/2016 (leia-se Blog).
Queria deixar este comentário cá, independentemente daquele que fosse o campeão neste desfecho, pois acho que vocês merecem o feedback de quem vos acompanha ao longo de todos os anos.
Este blog habituou-nos a grandes posts, a grandes reflexões sobre o Futebol, e uma vez mais este ano não falhou. Trouxe novas ideias, veio refutar antigas e trouxe discussões que me fizeram ficar a pensar durante horas.
Por tudo isto, o meu sincero obrigado!
No entanto houve momentos também negativos, com os quais eu espero que cresçam.
E os principais erros foram na minha óptica, a crítica fácil a Rui Vitória e o elogio fácil a Peseiro e vou focar em dois posts que me ficaram na memória desde o dia em que os li, até hoje.
Quanto ao primeiro - O homem tinha duas semanas de trabalho e já se dizia que perdia porque a linha defensiva estava totalmente destruída e que tinha degradado processos adquiridos ao longo da estadia de Jesus no Benfica, coisas de uma baboseira que só se ouvem no café da esquina, em conversas de Bêbedos.
Da mesma forma, li em posts sobre o Peseiro que 5 dias após ele ter chegado, já se notavam diferenças no processo ofensivo do Porto. A sério? Dá-me vontade de rir.
Isto é feio malta... Muito feio.
Não sei se o motivo foi clubismo, treinadorismo ou outro qualquer, mas não parece feito pelas mesmas pessoas.
Toda a gente sabe que é preciso mais tempo do que isto para se consolidarem comportamentos colectivos (sejam eles de aquisição ou de degradação) e esse é um princípio Universal da Educação Física chamado princípio de efeito retardado das cargas. Ou seja, só passado algum tempo de eu aprender alguma coisa, é que ela ficará realmente estruturada no meu cérebro. Certo?
Acusar treinadores no primeiro jogo treino da época de que já está a ser um desastre, ou que aquilo já é uma obra é simplesmente estúpido.
Faz-me lembrar os jornalistas d'a Bola tipo João Bonzinho que dizia nessa altura que Rui Vitória era excelente tacticamente mas que era mau a liderar grupos (ahn???). E que quando treinamos o Benfica, o mais importante é saber liderar o grupo (ahn???).
Será caso para dizer, mas que João Mauzinho!!!
Portanto, não sejam Joões Mauzinhos nas vossas análises no próximo ano, não caiam nesse jornalismo (sim, porque esses posts foram jornalísticos) e façam aquilo em que vocês são muito bons... A falar de Futebol sem merdas.
Obrigado por mais uma época de Futebol a sério.
Venha o Euro 2016!

NSC disse...

«Lisandro oferece bem mais segurança e melhor sentido posicional»

Bom, acho que já chega por hoje. Todos a ver o Liverpool-Sevilha.

Pedro disse...

Melhor que o do Trappatoni.. lol

Ainda estou para entender se isso foi um comentario a serio ou foi para aumentar visualizacoes.

Noutro blogue abordas e bem os modelos de lideranca. A recomendacao era explorares isso para alem do, 'dar liberdade aos jogadores'.

Ninguem acredita que o Benfica faca melhor para o ano, e poucos acreditarao que faca igual. Agora se a equipa continuar a evoluir na proxima temporada, la sera preciso assumir que as pessoas aprendem e desenvolvem competencias novos, mudam pontos de vista, etc.

Nao ha problema eu dizer "epa, nao sei. para o ano logo se ve.". Ninguem leva a mal.

Pedro Almeida disse...

Imagino se o RV saca uma época como a 2ª do Jesus :) É despromovido a Luís Campos em menos de nada.

Mighty Bruno disse...

Benfiquista Tripeiro, o teu comentário foi tão bom que o vou reproduzir na íntegra e subscrever por completo!

""O futebol realmente é engraçado. Nem as pessoas que lá andam dentro conseguem disfarçar os amores e os desamores.

No ano passado, foi a época toda a enaltecer Jesus, que o Benfica só valia pelo colectivo, individualmente era uma desgraça, mal saísse o "cérabro" a coisa num par de meses ia abaixo.

Este ano, é graças às individualidades que o Benfica é campeão, o treinador, coitado, apesar de competente (mais paternalismo é difícil) não chega. Ai se não fossem as individualidades!

Colectivo excelente é o do... adivinhem... Jesus. Pois claro! Só é pena não ter individualidades, uma chatice. Num ano em comprou uma camioneta de jogadores a pedido, acertou num. Foi azar, claro, não foi azelhice.


Vamos ver uma coisa, então:

Onze Colectivo Onze individualidades

Júlio César Ederson
Maxi Almeida
Luisão Lindelof
Jardel Jardel
Eliseu Eliseu
Samaris Fejsa
Pizzi Renato Sanches
Gaitan Gaitan
Salvio Pizzi
Jonas Jonas
Lima Mitroglou


Ora, como se pode verificar, há 6 alterações no onze tipo (ou melhor onze, como quisermos). 7 se quisermos contar com a mudança de lugar do Pizzi.

Podemos então dar razão ao argumento Colectivo/Individualidades, tendo havido tantas mudanças?
Obviamente que não. Das 6 alterações, apenas 2 jogadores não estavam no Benfica há um ano: Ederson e Mitroglou. Por estes 2 jogadores podemos dar razão ao argumento supracitado? Seria ridículo se alguém se atrevesse a isso, o que não impede muitos de o fazerem.

Dos outros 4 temos: Almeida, Lindelof, Fejsa e Renato. Estes 4 já estavam no Benfica há um ano e até mais. Almeida sempre foi importante com Jesus, Fejsa idem, os outros dois ainda tinham de nascer 10 vezes.

Então podemos dizer que o Vitória andou a mamar às custas do trabalho de Jesus? Mais uma vez, obviamente que não.

Primeiro, porque Jesus desprezou completamente Lindelof, Renato, Semedo, Guedes, entre outros. Estavam lá, não serviam, não tinham qualidade individual. Em 6 meses parece que afinal foi só pela sua qualidade individual (e dos outros. Que já lá estavam) que o Benfica ganhou.

Segundo, porque o próprio Jesus afirmou que saindo o "cérabro", sai tudo. "Aquilo não funciona porque o cérabro já não não está lá." Palavras do próprio. Aqui no blog afirmou-se o mesmo, que em questão de meses a equipa ruiria e os processos seriam todos desaprendidos pelos jogadores. Li aqui, não estou a inventar nada.


Portanto, desconstruído o argumento preferido dos jesuítas inveterados, não sei qual resta. Talvez tenha sido da relva.


Reparem que me abstenho a comentar tácticas e movimentações, apenas analisei as peças do tabuleiro, mais nada.

18 de maio de 2016 às 16:41""

Impecável!

Texto by Benfiquista Tripeiro uns comentários acima!!

Baresi disse...

Grato pela resposta.

Ricardo disse...

Eu bem avisei que a minha opinião no confronto Lisandro vs. Lindelof haveria der soar polémica a uns quantos! :)
Uma coisa é certa: por muito pata-choca que Eliseu seja, uma análise mais cuidada ao porquê de o Benfica ter voltado a sentir alguns maiores calafrios defensivos na parte final da maratona deixa verificar o quanto Lindelof era tão capaz de sair bem a jogar e com velocidade, como também de deixar grandes coberturas na altura da transição ataque-defesa.
Mas é a tal coisa: Lisandro está para a zona central defensiva do Benfica como Pizzi para o ataque. Por qualquer razão, ganharam um estigma entre os adeptos e tornaram-se mal amados.

Pablo10Aimar disse...

Li por aqui que Jesus provou que as diferenças na qualidade individual entre benfica e sporting não eram tão grandes como se queria fazer parecer. Li também por aqui que Jesus perde este campeonato porque a diferença esteve na qualidade individual. Se as diferenças na qualidade individual não são assim tão grandes, e o modelo de jogo do Sporting é substancialmente melhor, ganhar na regularidade não seria assim tão difícil.

Li por aqui que a organização defensiva do benfica melhorou a olhos vistos, sobretudo o controlo da profundidade. O que é que isto tem a ver com o facto de o treinador motivar mais ou menos os jogadores ou com os "elevados níveis de adrenalina" com que entravam em campo.

Li por aqui que rui vitoria herda muito do trabalho de Jorge Jesus e muito do seu mérito a isso se deve. Li também por aqui que na primeira metade da época o Benfica atuava com 11 jogadores perdidos no campo e que atualmente toda a gente reconhece organização na mesma equipa. Se muito do mérito deriva do que foi herdado de JJ, não deveria ter sido ao contrário?

Mas que confusão que para aqui vai ;)

Pablo10Aimar disse...

Li por aqui que Jesus provou que as diferenças na qualidade individual entre benfica e sporting não eram tão grandes como se queria fazer parecer. Li também por aqui que Jesus perde este campeonato porque a diferença esteve na qualidade individual. Se as diferenças na qualidade individual não são assim tão grandes, e o modelo de jogo do Sporting é substancialmente melhor, ganhar na regularidade não seria assim tão difícil.

Li por aqui que a organização defensiva do benfica melhorou a olhos vistos, sobretudo o controlo da profundidade. O que é que isto tem a ver com o facto de o treinador motivar mais ou menos os jogadores ou com os "elevados níveis de adrenalina" com que entravam em campo.

Li por aqui que rui vitoria herda muito do trabalho de Jorge Jesus e muito do seu mérito a isso se deve. Li também por aqui que na primeira metade da época o Benfica atuava com 11 jogadores perdidos no campo e que atualmente toda a gente reconhece organização na mesma equipa. Se muito do mérito deriva do que foi herdado de JJ, não deveria ter sido ao contrário?

Mas que confusão que para aqui vai ;)

Benfiquista Tripeiro disse...

Obrigado pela referência, Mighty Bruno.

GV disse...

Clap clap clap

GV disse...

Clap clap clap

GV disse...

Concordo em parte com o RB, aliás já o tinha escrito num comentário há uns posts atrás; importa ver a próxima época para aferir se o RV burila jogadores.
Para já tem um desafio, substituir o jogador que a meu ver lhe resolveu parte do problema.

Dependendo também das mexidas nos 3 grandes, adivinha-se época muito interessante.

Por ora, reitero os parabéns pela postura do RV este ano e dou-lhe os parabéns pelo desempenho na LC e pelo tri, extensíveis aos jogadores e à estrutura!

JP disse...

Avassalador? Vejam as crônicas dos blogs do Sporting e verifiquem críticas no pós jogo em vários momentos dos últimos 12 jogos.
Não embarquem em carneirismos.