quinta-feira, 5 de maio de 2016

Treinar Infantis

Encontrado por aí. Não importa onde. Declarações de um treinador de futebol de uma equipa de Infantis.

"Foi um jogo sem muita história, simplesmente estivemos uns angustiantes 60 minutos dentro de campo. Normalmente peço aos meus jogadores que tentem, que errem vezes sem conta se for caso disso, responsabilidade sempre minha. A única coisa que tentaram e conseguiram, foi estender um tapete vermelho ao valioso adversário e tentar que o tempo fosse passando, nesse caso a rotação da terra fez-lhes a vontade. Responsabilidade máxima da minha parte pois não consegui passar a mensagem e penitencio-me por isso. Já no sábado teremos outro jogo, jogo esse que se não formos com a ambição de nos divertirmos, de sermos competitivos, de tentarmos com enorme dedicação sermos felizes…ficaremos pela ferraria, perdemos por 3-0 e a multa é de responsabilidade minha"

Tudo o que é errado no futebol jovem espelhado em apenas um parágrafo.

Recuperando um texto antigo:

"O fenómeno Mourinho trouxe milhentos pontos positivos. Porém, há sempre algo de negativo que aparece por arrasto. Hoje todos queremos ser treinadores, e o estilo de Mourinho pode trazer ideias erradas. As estrelas, o foco, os importantes, não são os treinadores. São os jogadores. Estamos numa era onde todos querem ser Mourinho ou Guardiola. Todos pretendem brilhar por cima dos jovens jogadores. Formatam-se as crianças desde bem cedo (9-10-11-12 anos) para ideias de jogo que coarctam a sua individualidade. O seu talento, as suas ideias, a sua criatividade, tudo é trocado por um ego maior. Os treinadores pretendem desde bem cedo criar bases mecânicas nos seus jogos. Tomar as decisões pelos seus jovens atletas, não os deixando expressar as suas qualidades."

13 comentários:

Francisco Pinto disse...

Grande texto. Hoje em dia há muitos treinadores que são completas bestas egocêntricas que se acham o Guardiola dos Benjamins e metem demasiada pressão nos jogadores, não só taticamente como psicologicamente. As crianças vão para lá com o "sonho", mas sem uma intenção com consciência que querem ser profissionais, e essas ações levam-nos a desistir, de certa forma. Outro problema para refletir também são os pais, que em nada promovem a construção de um ambiente positivo para a evolução do jogador, e mesmo de outros. Todos os fins de semanas há pais a chamar filhos da p*ta a jogadores de idade jovem, e nesses pesa bem mais que em alguém formado, e mesmo aos árbitros (clássico) mas até aos próprios treinadores. Uma mudança de mentalidade necessária, sem dúvida

leoN disse...

Angustiante é ler estas declarações de um treinador de infantis. Angustiante é um treinador de infantis vir com declarações tipo conferência de imprensa a justificar o resultado.
Vá lá... Conseguiu dizer aos miúdos para não terem medo de errar e para se divertirem. Por favor apaguem o resto do texto...

Filipe Freitas disse...

Mais um excelente texto, grande Maldini. Como sabes sou treinador de Infantis, e a criatividade dos jogadores são sempre a minha prioridade. Tentar que se divirtam e fomentar que tomem a melhor das decisões, para isso tem de experenciar o erro e saber dentro do contexto qual a melhor decisão, para isso deve ser exponenciado o seu tempo de prática ao máximo.

Pedro disse...

leoN, podes elaborar um pouco mais o teu ponto de vista?

Mário Alexandre disse...

Boas.Fico sempre feliz quando leio por aqui posts virados para a formação.O discurso neste treinador até não é dos piores.Já ouvi e presenciei coisas muito piores e abominaveis.Treinadores a quererem alimentar o seu ego é ás carradas,querendo demonstrar que são os conhecedores de tudo e mais alguma coisa,pais com mais nervos que eu a ver o meu clube disputar o final do campeonato.Tudo isto cria um ambiente que não é o melhor para as crianças.Para mudar tem que ser de cima,com os directores e coordenadores á cabeça.Um treinador com ideias diferentes está sujeito a ser comido por este ambiente.Na minha equipa tenho um pai que até otário já chamou ao filho durante um treino por falhar um passe.Parabens pelo texto e continuem sempre que possivel com temas que falem de formação. Abraço

Bestfut disse...

Boas. Li atentamente as declarações e querendo entrar na corrente,não o consigo fazer. Desde logo no texto do enorme Maldini, quando as opiniões se encontram no que é essencial,não formatar jogadores,potenciar o talento em que no texto o treinador fala em diversão, que errem sem problema nenhum e a base do desporto que é a felicidade no que estão a fazer. Questiono-me talvez no estilo de vocabulário que posso ou não acompanhar com alguma ironia pelo meio,agora, olhando para o essencial não vejo nada assim tão negativo,pelo contrário.
Cumprimentos e venha daí mais temas e exemplos de formação.

Bestfut disse...

Boas. Li atentamente as declarações e querendo entrar na corrente,não o consigo fazer. Desde logo no texto do enorme Maldini, quando as opiniões se encontram no que é essencial,não formatar jogadores,potenciar o talento em que no texto o treinador fala em diversão, que errem sem problema nenhum e a base do desporto que é a felicidade no que estão a fazer. Questiono-me talvez no estilo de vocabulário que posso ou não acompanhar com alguma ironia pelo meio,agora, olhando para o essencial não vejo nada assim tão negativo,pelo contrário.
Cumprimentos e venha daí mais temas e exemplos de formação.

Paolo Maldini disse...

Bestfut, dizer de crianças que "só estendem passadeira", que mais vale fazer falta de comparência do que jogar como jogaram... que foram 60 minutos angustiantes...

Isto é só para lá de criminoso...

Bestfut disse...

Tenho a concordar que o vocabulário possa ou não ser apreciado. Mas Maldini,no que para mim é o essencial,discordas assim tanto? Crianças com 13 anos?! Já treinei infantis e principalmente os próprios não gostam de ser tratados como tal.
Cumprimentos

Cantinho de Todos disse...

A qualidade dos treinadores da formação e a crónica falta de sensibilidade para lidar com crianças é uma dos maiores problemas do futebol juvenil.

Ainda assim, concordo o Bestfut. Acho que as declarações não sendo famosas também estão longe de ser um dos piores exemplos ou particularmente criminosas. Apesar de algumas tiradas eventualmente menos felizes o treinador não deixou de focar a importância de se divertirem, de tentarem sem ter medo de errar ("que errem vezes sem conta se for caso disso") e em nenhum momento falou de ganhar o que até é coisa rara.

Aqui entre nós duvido que haja algum treinador que possa dizer que a quente nunca teve um discurso com coisas bem piores que este num determinado momento ou contexto.

Jorge disse...

Maldini:

Eu concordo com o teu ponto de vista mas nao sei se estaras a interpretar mal aquilo que o tipo disse ou se serei eu que estarei a interpretar mal a tua posicao.
Acho que o treinador da enfase ao divertimento e a ambicao de ser competitivo. Eu treino miudos e um dos problemas que tenho com alguns jogadores e a falta de vontade de se envolverem no jogo. Alguns talvez por que nao gostam de jogar e estao ali porque os pais querem, mas muitos e por terem medo de errarem. Esses jogadores afastam-se da bola, das situacoes de jogo e quando teem a bola no pe despacham-na o mais rapidamente possivel. Dai a referencia a angustia e a passadeira, mas nota que ele tambem sublinha a importancia de tentar e errar vezes sem conta. Nao fala em estrategias, posicionamentos, capacidade fisica ou qualidade tecnica.

Pedro disse...

"Acho que o treinador da enfase ao divertimento e a ambicao de ser competitivo."

Tb fiquei com essa ideia. Ele quer que os miudos se divirtam, que podem errar nem problemas de maior, etc.

R.B. NorTør disse...

Estou um pouco com o Jorge. Essas declarações dadas ao site do clube parecem mais fruto da frustração de ver os miúdos a bloquearem na competição do que de uma mourinhização que o senhor tenha de si. Pelo ênfase que ele põe no "deixar errar" e no "divertimento" parece ser um tipo com as ideias certas para a formação.

Como alguém já disse ali para cima, os pais na formação conseguem ser piores que as claques do futebol adulto. E isto é transversal a vários desportos! Falando pela modalidade em que competi, o judo, assisti a torneios de formação onde as bancadas eram muito mais agressivas do que campeonatos nacionais de séniores. (E também por lá se vêem uns jeitosos as dar orientações aos miúdos...)