sexta-feira, 3 de junho de 2016

A formação. Em Itália como em Portugal

"Os melhores treinadores devem estar na formação" afirmou José Curado.

"Por exemplo, em Itália temos um déficit de talento comparado com alguns anos atrás. Há alguns anos que fazemos sempre a mesma pergunta e em vez de darmos uma resposta estamos cada vez pior. Não é fácil. Nas camadas jovens devemos trabalhar e investir bastante nos treinadores porque podes ter espaços fantásticos de prática mas se não tens bons treinadores, qualificados e competentes, não tens como melhorar os jogadores. Em Itália isto é subestimado demasiadas vezes. A este nível contrata-se o treinador que custa menos..." Antonio Conte. Entrevista à Aspire.

Por cá o desprezo e falta de estatuto com que todos os agentes, e sobretudo os clubes encaram o treinador de jovens (e quanto mais baixo o escalão, mais tal se acentua) não demonstra somente como não se percebe o seu grau de desmedida importância. Não há topo sem base. Mas é também um factor mais, tido em conta por tantos e tantos treinadores na hora de planear. Mostrar resultados. Mostrar processos colectivos em vez de potenciar individualidades, sempre com o intuito de subir na hierarquia. Um efeito bola de neve que somente encontrará o seu caminho quando começarmos a tratar da realização pessoal e profissional dos nossos treinadores de jovens. São eles que guiam todo o nosso futebol. Mesmo que tantos não o percebam. Há que os incentivar, educar, formar e... premiar!

6 comentários:

Artur Silva disse...

Desde já, obrigado pela partilha. É possível partilharem também o link da entrevista? Com os melhores cumprimentos

Ricardo disse...

Curioso. Um dos treinadores das Escolas do Belenenses (a do campo do Operário, mais propriamente) diz constantemente que alguns dos melhores treinadores em Portugal estão precisamente a trabalhar nos escalões de formação. E que é precisamente nos de competição que a competência é secundarizada a favor do amiguismo, das ligações a este ou aquele agente ou ao "nome" que ele tem.

Paolo Maldini disse...

Olá Artur não, pq está num canal fechado.

abraço

Paulo Duarte disse...

Num sistema capitalista nunca poderás premiar o treinador da formação como da equipa do escalão superior, mesmo nos 3 grandes. Consigo imaginar isto num país desenvolvido, não Portugal. Mas sim, toda a razão, melhores treinadores devem estar nos escalões de formação. Agora a especialização precoce feita na maioria dos desportos, especialmente no futebol com contratos a partir do berço já é outra questão, na qual eu sou contra.

Luís1904_ disse...

"Num sistema capitalista nunca poderás premiar o treinador da formação como da equipa do escalão superior, mesmo nos 3 grandes. Consigo imaginar isto num país desenvolvido, não Portugal. "

Lol...Portanto Estados Unido, Inglaterra...Tudo países capitalistas onde o desporto é uma desgraça e sub-desenvolvidos...O pessoal da ideologia de esquerda e do politicamente correcto aproveita para dar cunho em todo lado até numa simples opinião sobre política do futebol...

Robert Robson disse...

Nas universidades a tentação é a mesma: muitos professores, geralmente em busca de currículo, ou seja - aderentes, sejam crentes ou à força, numa visão competitiva do ensino - também buscam as etapas últimas da formação (disciplinas dos últimos anos e de pós-graduação), enquanto os velhos sábios dizem: temos que meter os melhores professores nas primeiras disciplinas, de base, para ter a certeza que a matéria-prima humana não se perde!