quinta-feira, 16 de junho de 2016

Cristiano Ronaldo na selecção

O conhecimento sobre o jogo aumenta e já se discute hoje a qualidade e sobretudo a importância de Cristiano Ronaldo no modelo português.

Torna-se mais claro de perceber quando no último minuto da partida a selecção portuguesa beneficia de um livre tão ao jeito de Raphael, que conta já com um histórico importante de golos em livres daquela zona, e... não é o miúdo a cobrar o livre. Porém, isso ainda é o menos importante.

Por hoje, com o país magoado pelo resultado da estreia no Europeu muito se debate tiques de vedetismo ou o inacreditável ego que Cristiano tem para alimentar. A sua personalidade é um entrave ao desenvolvimento de um jogar colectivo, naturalmente. 

Não se ignore, porém, o que é mais importante e que no fundo despoleta tudo. A falta de qualidade de Cristiano na tomada de decisão. Como referido por cá há imenso tempo, o português não acrescenta nada ao jogo da sua equipa que não os golos que marca. Fá-lo em quantidades industriais e tal é suficiente para justificar sempre a sua presença em campo. Como sucedia com Jardel, por exemplo. Mas, por amor de Deus não queiram alimentar discussões sobre o melhor do mundo. O jogo é mil vezes mais que rematar à baliza. Para que esse momento chegue há todo um trabalho para trás tão trabalhoso e ainda mais difícil que somente finalizar que... tem de ser feito! 

Alimentar a discussão sobre o melhor do mundo lançando do baralho um jogador cujas únicas qualidades se resumem ao processo ofensivo e a uma só fase é renegar tudo o que é o futebol nos dias de hoje.

Cristiano vai voltar a marcar e muito. Aí as dúvidas dos menos elucidados voltarão. Por cá afirma-se o mesmo de sempre. O português não vive no mesmo planeta do pequeno argentino que constroi, cria e finaliza.

Seja por vaidade, ego, ou simplesmente por incapacidade de perceber o que é melhor para a equipa, nunca alguém com tamanho nível de tomada de decisão que Ronaldo apresenta nos jogos por Portugal poderá entrar em lutas por prémios individuais que não relacionados com o número de golos que marca.

48 comentários:

Diogo Santos disse...

Lembro-me bem de um lance na 2 parte, contra ataque de Portugal, mal a bola chegou ao Ronaldo, acabaram-se as hipóteses de ser bem sucedido.
Como é que se muda de uma 1 parte para uma 2? Na primeira ate esteve razoável, a servir muitas vezes de apoio central e a sair da área, e na 2, foi o Ronaldo de sempre da seleção. Sera por nao confiar nos colegas e achar que ele tem de "fazer tudo", ou como dizem, será só a fome de alimentar o ego? Será que ele não tem inteligência suficiente para perceber que a querer ajudar assim, ainda piora as coisas? E quem mais sofre somos nós.

Oliveira disse...

Decide mal, não defende, passa mal, anda a passo, mas marca golos.
É um jogador que não percebe que teria mais a ganhar se participasse mais no jogo colete
Pode ser que me engane mas muita desta falta de humildade veio depois da primeira bola de ouro.


Parabéns pelo blog, é excelente.

DM disse...

A última vez que verifiquei, no futebol ganha quem marca mais golos, e ter em campo 1 jogador que garante 1 golo por jogo é meio caminho para se ganhar :D

Percebo as críticas ao Ronaldo. No entanto, este estilo de jogo acabou por aparecer devido à competição entre ele e Messi que acabou num duelo de quem marca mais golos. O Ronaldo que saiu de Manchester era tão mas tão diferente deste que dá pena vê-lo jogar hoje em dia. Aliás, o Ronaldo que saiu do Sporting com 17 anos era mais entusiasmante que este.

Já agora Van Basten, o Jardel "deu" um campeonato ao Sporting. Pode não se gostar do estilo, mas um jogador que marca golos de todas as formas e feitios é sempre de uma utilidade tremenda

Marco Van Basten disse...

DM, o que não percebeste do texto? Há ali alguma coisa a dizer que não se gosta do Ronaldo ou do Jardel? E que não são optimos goleadores e que esse ratio golos inacreditável que têm justifica a presença

não justifica é a luta por melhor do mundo. é disso que o texto fala. Parece-me que até está bem explicito...

Bruno Santos disse...

Fantástico texto...

aminhatvpifou disse...

numa equipa que joga sem um avançado e sem um médio esquerdo, o que dá 9 jogadores quando todos têm 11...

o problema é o egoismo do ronaldo.

Continuam todos em negação. Ronaldo é o melhor do mundo mas não joga sozinho... nem ele, nem o anão que vomita-se todo.

Bujix disse...

Van Basten,

não seria mais fácil distinguir entre o mais talentoso e criativo e o que mais contribui para a sua equipa? É que acho que ninguém tem dúvidas que o Messi é o mais genial jogador. Tem talento, percebe o jogo, vê tudo antes, é um génio. Só que ignorar o que as equipas do ronaldo fazem também não me parece justo. Se o prémio fosse o de jogador mais talentoso do mundo, era de messi sempre, mas a tradição das votações diz que o prémio valoriza muito o que um jogador individual influencia a equipa e portanto o "peso" que tem numa equipa. Aí há anos em que o messi é o jogador chave, já o foi muitas vezes, e há anos em que o ronaldo foi sem dúvida o jogador mais desiquilibrador do ano.

Sinceramente, estas discussões parecem-me não ter grande sentido...

Unknown disse...

É tao triste ver como alguns Portugueses se comportam e nunca valorizam o que temos de bom! Nunca mostram orgulho pelo que é nosso! É triste ver como nucna reconhecem quem deixa o país e luta para honrar a nossa bandeira e mostrar que somos mais que um país pequenino!

Pedro disse...

Em suma Ronaldo marca Golos e Assiste e na defesa só nos pontapés de canto ou livres o vemos defender....no resto fica aquem, alem de que a sua personalidade por vezes o trai e leva-o a ter pequenos excessos, que ninguem perdoa.
Messi é um rato de área, que constroi jogo, marca golos, assiste e participa em todo o colectivo, é fisicamente vulnerável (mais que Ronaldo) ainda assim consegue ganhar vantagem pela capacidade de arranque, drible curto e e velocidade de reação...

Deu-me asco ver Ronaldo contra a Islândia a bola tinha sempre que lhe ir para aos pés, sendo que as unicas vezes em que Portugal foi realmente perigoso foi quando ele se afastou da baliza adversária para fazer 2v1 com Guerreiro ou Gomes na esquerda ficando o Ronaldo para trás e terminando o lance em Nani de cabeça, ou então no lance do Golo da seleção em que todo o lance é criado na ala direita tendo em vista aproveitar o desequilíbrio causado pela movimentação de Nani....


Ronaldo pode ser o melhor finalizador do mundo mas nunca será o melhor jogador do mundo, só assim de cabeça, Messi, Lewandowski até o maluco do Ibrahimovic conseguem ter inteligencia para tentar ser mais uma solução para o colectivo do que ser principalmente "a unica solução do colectivo"....para melhores do mundo conta muita coisa, não apenas acertar na baliza com fartura.

João Raposo disse...

Este blog está cada vez melhor e o problema é que vão aparecer cada vez mais pessoas que de futebol pouco sabem e acabam por não concordar com os textos e criticar até mesmo ofender. Não podia concordar mais com este texto,resumidamente um é um monstro da finalização e o outro é um monstro do futebol. Será que o sucesso da seleção poderia passar por Fernando Santos tentar meter Ronaldo como um ponta-de-lança mais fixo e que participasse menos na construção das jogadas ofensivas?Acredito que seria o ideal mas algo complicado de acontecer visto que a mentalidade de Ronaldo na seleção há de ser sempre de "eu é que tenho de resolver tudo".
Continuem o excelente trabalho no blog

R.B. NorTør disse...

O exemplo do Jardel é paradigmático. Nunca se falou do Jardel para melhor jogador nem de matraquilhos. Jogador do ano? Sim, várias vezes, mas nas quer no Porto quer no Sporting havia outros que entravam na discussão de melhor antes dele (Drulovic e João Pinto respectivamente, só para começar a discussão).

O mesmo se passa com o Ronaldo e é isso que o van Basten diz aqui. Se "tirarmos o golo", não resta a este Ronaldo nada para discutir com ninguém o título de melhor. Kroos ou Modric mais depressa entrariam nessa discussão! Só que aqui a ressalva é mesmo o "este Ronaldo". O Ronaldo de Manchester dava sentido à discussão.

Claro que é diferente jogar num ataque em que o parceiro é Benzema ou Éder, mas as diferenças exibicionais que Ronaldo exibe entre clube e selecção só acentuam o quão dependente Ronaldo está de quem o rodeia para brilhar. Ou dito de outra forma, o tão pouco que ele dá ao jogo da equipa.

Cláudio Rodrigues disse...

Se tirarmos o golo, resta pouco ao futebol. Todo o processo é relevante porque objectiva o golo. É na transposição da bola pela linha de baliza que se baseiam todas as tácticas, todos os passes de precisão e ruptura. Um jogador que marca golos como ronaldo e que transporta o jogo tem de estar na discussão para melhor do mundo. Se não estiver... bom, talvez o melhor seja começar a contar os passes e quem fizer mais ganha :). O messi é genial e o ronaldo também. São lendas e um não deve servir para diminuir o outro.

João Pedro Fontes disse...

Se em vez de um Portugal - Islândia, tivéssemos assistido a um Suécia -Portuga, a um Irlanda do Norte- Portugal ou a outro qualquer - dos muitos- jogos em que Ronaldo brilhou, terias escrito este texto? Pois...

Gonçalo disse...

Ninguém disse que não é extremamente útil. Simplesmente se diz que não é o melhor do mundo.

PedroC disse...

"O português não vive no mesmo planeta do pequeno argentino que constroi, cria e finaliza."

Eu gostava mesmo era de ver o pequeno argentino noutro "planeta" diferente, e ver se ele construia, criava e finalizava tanto como faz no planeta onde esta, onde se sente confortavel, onde tem colegas e um estilo de jogo que potenciam as suas caracteristicas. Pelo menos o Ronaldo ja fez essa mudança.

Basta ver que na Argentina o brilhantismo ja nao acontece tantas vezes. Tal como aconteçe a Ronaldo em Portugal.

Sao jogadores diferentes um do outro. Para mim incomparaveis. Cada um tem os seus pontos fortes e os seus pontos fracos. Mas nao sao lideres. Nem um nem o outro. E certamente nao jogam no mesmo planeta que o Maradona, que andando sempre "montado no cavalo", levou sempre as costas todas as equipas onde jogou. E nunca foi atleta.

Mas de qualquer forma, a facilidade e ate o gosto, com que alguns rebaixam o Ronaldo em relacao ao Messi, é que me faz impressao. Nao sei se è o caso, mas tenho a certeza que se ele tivesse "vindo ao mundo" com uma camisola de outra cor vestida, pelo menos em Portugal era rei, e ja tinha uma estatua ao lado da do marques de Pombal. E nao seria assim tao facil andar sempre a dizer que ele è pior que o outro. Por bem menos, hoje ja se fazem de uns os maiores, mesmo que ainda nada tenham feito para isso.

PedroC disse...

Que grande comentario.

Paulo Trindade disse...

Eu reconheço algumas falhas ao CR7 mas este texto roça o ridículo. Será que Portugal ganha-se à Islandia este artigo existiria? Então a qualidade de um jogador resume-se à sua cultura táctica? Se assim fosse teríamos umas dezenas de jogadores superiores ao Ronaldo.

Se uns destacam-se pela criatividade e inteligência, outros pelo equilíbrio defensivo que dão à equipa e por ai fora... Cada um com as suas caracteristicas. CR7, por opção e necessidade dos colectivos onde passou, tem vindo a tornar-se um jogador mais de ultimo terço e menos participativo no processo de contrução. Mas não é isso que o torna nem melhor nem pior do que os restantes. O que o torna melhor que os outros é que dentro da posição e função Ronaldo é dos que mais desiquilibra.

Deixem estar o CR7 e o Messi no seu canto. Esta comparação tresanda. Deliciem-se com as jogadas de cada um. Ambos vão deixar muitas saudades.

José Vieira disse...

"...não justifica é a luta por melhor do mundo."
ninguém justifica, pois se o outro vive num planeta só seu. vive sózinho. Cristiano vive com os outros, é isso? é burro, é um vaidosão.
Não merecemos ter tido Futre, Figo e agora um que foi, deixou de ser e voltou a ser, agora deixou de ser e contínua a lutar.
Selecção porque não, a eqipa de Marco Silva, treinaram e jogaram juntos, agora com um melhor plantel.

João Varela disse...

Este texto é a razão pelo qual gosto tanto deste blog...traduz de forma escrita exactamente aquilo que penso e que é tão dificil de explicar ao tipico adepto de jornal. Parabéns!

Bruno disse...

Tirando a finalização (que mesmo assim é discutível) o Ronaldo oferece o mesmo ao jogo que o Bebé do Rayo Vallecano.

Bruno disse...

Tirando a finalização (que mesmo assim é discutível) o Ronaldo oferece o mesmo ao jogo que o Bebé do Rayo Vallecano.

Diogo Vasconcelos disse...

"Se tirarmos o golo, resta pouco ao futebol." Se tirarmos as letras resta pouco à literatura, se tirarmos o lava loiça resta pouco à gastronomia, etc. Um desporto, como boa parte das actividades humanas "concretizam-se" no seu próprio fazer é aliás isso que também nos distingue da outra bicharada. Até porque se fosse verdade que "Se tirarmos o golo, resta pouco ao futebol" então o futebol podia ser um concurso de penaltis. E é por ser muito mais que golos que quem os marca muitas vezes só está a lavar a loiça porque quem fez o repasto foi outro qualquer.

Paolo Maldini disse...

João Pedro Fontes,

não respondendo pelo Van Basten, mas posso falar por mim q tb escrevo neste blog.

se tinha escrito este texto depois desses jogos que marcou?

é consultar as etiquetas dele... esta ideia só é passada aqui desde há 5 ou 6 anos... n foi preciso esperar por um simples Portugal x Islandia para pensarmos isso!

nuno disse...

concordo em absoluto com o texto. a participação positiva do cristiano neste momento resume-se à finalização em que é, de facto, de excepção. em tudo o resto é uma nulidade.

vou mais longe. melhor do mundo, hoje? pelo que joga nem nos 100 melhores do mundo está neste momento quanto mais no top. que o comum adepto não reconheça isso, não me espanta, porque a maioria nem sequer vê jogos do real madrid. o que me espanta é haver pessoas com responsabilidades, entre treinadores e comentadores de tv, que continuam a achar o cristiano ronaldo um dos melhores do mundo.

R.B. NorTør disse...

Bom exemplo ir buscar Figo, e para ficar por Portugal, juntemos os contemporâneos Paulo Sousa e Rui Costa, se tinham tanto de goleadores como de coxos...

"Se tirarmos o golo ao futebol", como nenhum deles alguma vez ganhou um prémio de goleador, então eram tipos sensaborões. Ou recuando, figuras como Beckenbauer ou Zidane. Se não for pelos golos, nem sei bem porque é que nos lembramos deles...

O que foi dito não foi que o golo não conta para nada. O que foi dito é que, quando se analisa o desempenho do Ronaldo este é fraco e pouco contribui quando se retira o número pornográfico de golos que faz. No fundo, a antítese do mesmo Ronaldo quando actuava no United.

Pedro disse...

R.B. NorTør

O Ronaldo da penultima (ou na ultima já não me recordo bem) época de Manchester United em que se fartou de marcar golos e de fazer assistências, mas no entanto vamos rever os jogos e Ronaldo procurava a equipa....tentava resolver os jogos com a ajuda dos seus companheiros de equipa......agora, parece que só joga para ele...

Nuno disse...

Num desporto colectivo como o futebol os prémios individuais valem muito pouco na minha perspectiva.

Gabriel Oliveira disse...

Como é que isto é possivel??
http://abola.pt/nnh/ver.aspx?id=617153

Vítor Hugo da Cruz disse...

Off topic:

Sou um seguidor assíduo do vosso blog, pela concordância e lógica de ideias que transmitem, parabéns por isso!

O motivo do meu comentário está relacionado com as portas deste mundo, cuja quantidade aumenta com o obter da cédula de treinador. Alguém me sabe confirmar se os cursos de treinador apenas existem nas Associações de Futebol, e se iniciam sempre em Setembro/Outubro? Existem outras alternativas que permitam obter a cédula (uma vez que, pelo que percebi o conhecimento providenciado nesse mesmo curso não está, por exemplo, ao nível das temáticas aqui abordadas) ?

joao santos disse...

Mais uma vez: que ninguem esqueça que C.Ronaldo sem golos já era considerado um dos melhores do Mundo. A sua melhor epoca para mim, foi a de 2006/2007. Depois, viciou-se nos golos, sendo este um parametro que se começou a hipervalorizar na comparaçao Ronaldo-Messi, e começou a perder outras coisas.

Até à lesao de 2014, apesar de alguns defeitos, com a aceleraçao que tinha, Ronaldo ainda era muito mais do que apenas golos(embora já nao fosse o desequilibrador de outrora). Depois disso é que já nao. Antes de 2014, pela sua espantosa qualidade atletica, mesmo que nao decidisse sempre bem(embora tenha melhorado alguma coisa ao longo da carreira), conseguia estar mais vezes em posição de criar problemas ao adversário, do que qualquer outro jogador do futebol mundial. Ronaldo poderia por exemplo, de umas 10 vezes por jogo em que estaria numa dessas situaçoes, decidir mal umas 7 ou 8, que ainda assim, em 2 ou 3 era determinante. Mas subvaloriza-se essa capacidade que ele tinha de estar 10 vezes nessas situaçoes...nao era TUDO obra de quem o rodeava. Muito merito tinha ele. Se nao houvesse merito, muitos mais o fariam.

Nunca será descabido questionar como será que Messi se adaptaria num outro meio que nao a sua zona de conforto. Aqui, a personalidade menos assertiva, poderia influenciar negativamente o seu desempenho.

As correntes da moda, tendem a apreciar apenas a inteligencia em campo, a tomada de decisao. Se por absurdo, surgisse um cromo qualquer, que sendo um jogador completamente banal em tudo, mas que em zonas ainda afastadas, tivesse um remate de outro planeta, que em cada 10 balazios, 9 entravam, num ratio nunca antes visto, só porque era um tamanco em tudo o resto, nao poderia ser considerado o melhor do mundo? Claro que podia...se nao houvesse antidoto, se em todos os jogos ele decidia marcando uns 5 golos(por absurdo), se a sua equipa ganhasse tudo desta forma fora da caixa, qual seria o argumento contra?

Afonso Fonseca disse...

tive a ler o texto, e os comentários, concordo com alguma coisa. porém, a luta de melhor do mundo é válida porque o Ronaldo não marca somente, ele decide jogos, é um jogador que um para um faz a diferença, remata com o pé esquerdo, com o direito, cruza bem, tem uma velocidade com e sem bola, marca excelentes golos de cabeça: (é perfeito). se é o melhor do mundo, não serei tão firme, mas também não o serei com o Messi. já agora o que o Messi faz na Argentina? nada, e e a sua seleção para mi, sem sombra de dúvida os melhores jogadores do Mundo, aquilo é um festival de craques. o que acusam em Portugal de o Ronaldo de não fazer nada, na Argentina dizem a mesma ccoisíssima do Messi. para além de uma coisa: o Barça era sempre o Barça com ou sem Messi. tinha sido campeão espanhol, campeão da champeon, era algo que já vem dos anos antes Messi. basta ver os trofeus da seleção espanhola que tinha como base a equipa do Barcelona. enquanto ao Ronaldo levou Mshter a ser campeão.

Dennis Bergkamp disse...

Se a escrever sobre a Liga NOS nao temos camisolas de clubes vestidas, porque a escrever sobre jogadores teriamos?

Cristiano Ronaldo é tratado aqui como jogador de futebol, independentemente da sua nacionalidade.

Tal como faz confusao ainda haver jogadores que ficam contentes, mas principalmente surpreendidos, por durante uma pre epoca se utilizar uma bola, e se trabalhar o que se joga, em vez de modalidades paralelas, faz muita confusao que em 2016, depois de nao sei quantos anos de blog, ainda as pessoas nao tenham percebido o que realmente aqui se fala.

Diogo Vasconcelos disse...

"Se por absurdo, surgisse um cromo qualquer, que sendo um jogador completamente banal em tudo, mas que em zonas ainda afastadas, tivesse um remate de outro planeta, que em cada 10 balazios, 9 entravam, num ratio nunca antes visto, só porque era um tamanco em tudo o resto, nao poderia ser considerado o melhor do mundo?" claro que podia, para uma equipa de râguebi dava um jeitão.

MJB disse...

Hoje, dois dias depois do jogo, Raphael Guerreiro é unanimemente o lateral esquerdo da seleção. Tem "histórico" de golos de livre mesmo dali. Mas se tem batido o livre e por azar manda para a bancada era outro Éder que, mesmo que marque o golo do título, aos olhos da esmagadora maioria dos portugueses não devia estar lá.
Parece que afinal o Ronaldo percebeu um bocadinho da coisa e a vaidade dele foi apenas dar o corpo às balas e assumir as suas responsabilidades!

Marco Gomes disse...

«O conhecimento sobre o jogo aumenta» e um conjunto de ex-jogadores travestidos de profundos conhecedores opinam e…como me posso tornar falado? Fácil, critico o CR7 e vou conseguir uma onda de apoio.

«um livre tão ao jeito de Raphael» é verdade e tb é verdade que o CR7 nunca marcou dali – usurpador!

«debate tiques de vedetismo ou o inacreditável ego que Cristiano» claro, já cá faltava o vedetismo, o tipo devia ser como são todos os demais craques da bola – vaidoso, mas vedeta não…é o único

A cereja no topo do bolo - «A falta de qualidade de Cristiano na tomada de decisão» e quando tudo parecia dito eis que «o português [Cristiano Ronaldo] não acrescenta nada ao jogo da sua equipa que não os golos que marca» - pois é, fraquinho.

«não queiram alimentar discussões sobre o melhor do mundo», claro que não o CR7 é uma fraude.

«Aí as dúvidas dos menos elucidados voltarão» ah! campeão, o craque és tu!!!

Os números, sempre a dura realidade dos números, segundo o zerozero o egoísta, falhado, vedeta do CR7 tem, na Liga Espanhola, 46 assistências, na Liga dos Campeões, 20 assistências – FRAQUINHO, UM TOSCO!!!

Ah! mas o humilde génio, a inteligência ao serviço da equipa, tem no primeiro caso 42 (-4), ….mau, não é que não há registo na Liga do Campeões (-20)

Tá bem, mas isso não conta, isso das assistências não implica tomada de decisão, tomada de decisão é escolher o offshore!
Ah! se o sacana do magano do CR7 fosse espanhol (craque), brasileiro (o génio), inglês (um portento), argentino (o prodígio).

B Cool disse...

A mim não me surpreende Dennis, a iliteracia funcional é muito alta em Portugal e as pessoas são incapazes de conviver com as críticas sem ver nelas ataques pessoais. Mais ainda quando mexes com as certezas e crenças delas.

FLCE6 disse...

O problema é que ele sabe jogar para a equipa...

O jogo do Real em Camp Nou este ano, mostrou um Ronaldo ao nível dos melhores do mundo. Talvez a própria dificuldade do jogo fomente isso, que o obrigou a jogar rápido com os colegas. Defendou, posicionou-se bem no campo e teve excelentes ações na maior parte do jogo. Além disso marcou um golo.

Ele sabe jogar a nível de melhor do mundo, mas eu acho que a sua obsessão deita tudo a perder. Tenho a certeza que entrou para a segunda parte a pensar: "estamos a ganhar 1-0, tenho que marcar pelo menos um golo neste jogo". Deita tudo a perder.

Não acho que a primeira parte tenha sido assim tão má. Envolveu-se no jogo, deu linhas de passe e jogou com os colegas. Na segunda foi 0.

Diogo Vasconcelos disse...

Coitados dos números depois deste post de Marco Gomes, tão martelados que foram que tiveram que gritar qualquer coisa. Não conseguiram foi gritar alguma coisa parecida com a verdade. Estava a pensar fazer uma lista muito grande com números mas fica apenas uma mera notícia http://extra.globo.com/esporte/messi-se-torna-jogador-com-mais-assistencias-na-historia-do-campeonato-espanhol-19145049.html . O que chateia os marcos gomes desta vida não é não idolatramos o Ronaldo (na verdade ninguém disse que ele não era um bom atleta), o problema mesmo está no facto de alguém pensar para lá do marketing, das babuseiras de comentários na tv e nos jornais. E já agora sobre vedetismo só uma nota: sim craques com tiques de vedetismo há muitos (não são todos, ainda), mas alguém dizer isto sobre os seus colegas «Se estivessem todos ao meu nível, íamos em primeiro» http://www.maisfutebol.iol.pt/made-in/espanha/ronaldo-se-estivessem-todos-ao-meu-nivel-iamos-em-primeiro é que é mais raro mas enfim, não deixa de ser, à sua maneira, o melhor comentário do mundo do melhor do mundo.

Marco Gomes disse...

Diogo Vasconcelos, em primeiro lugar, os números não foram martelados, com facilidade se pode confirmar; depois, não tenho por hábito idolatrar ninguém, em nenhuma área de atividade ou do conhecimento, agora, tb não tenho por prática a crítica pela crítica.
O que de facto me chateia não é a «análise» do jogo do CR7, não. O que me chateia é a «não análise» do jogo e a especial atenção com que se trata a vida do gajo.
Por exemplo o Zlatan I. (este, no que toca a narcisismo ..., a última é fantástica), o tipo tem um sentido de humor «suéco» é um enfant terrible, lá está, porque é...sueco, se os pais do gajo tivessem fugido para Portugal...seria um desrespeitador? arrogante?? não sei, adjetive quem sabe da coisa.
Quando for para falar dos melhores do mundo, falemos - George Best (este disse qualquer coisa como «seu eu tivesse nascido feio nunca se teria ouvido falar de Pelé), Cruyjff, Ronaldo (fenómeno)...

joao santos disse...

Pena Diogo Vasconcelos que nao alcances o exemplo. Vou-te da-lo mais detalhado. Imagina que esse cromo era do Liverpool. O Liverpool passaria a limpar todas as competiçoes, por influencia obvia para todos desse cromo. A Inglaterra a mesma coisa. Liverpool-Barcelona. O Barcelona domina largamente, os seus jogadores, muito mais dotados a todos os niveis. Em alguns lances a bola chega ao cromo ainda fora da area. Pum, golo. Pum, golo. Pum, golo. Pum-golo. Pum-falhou. 4-1 ou 4-2 para o Liverpool. E como este jogo, a larga maioria dos jogos. Um autentico ET do remate. Uma coisa nunca antes vista no futebol. O homem nao faz mais nada de jeito, mas todos sabem que onde ele jogar é vitoria assegurada. De que forma seria possivel contestar que não era ele o melhor jogador do Mundo, quando todos percebiam que onde ele estivesse, essa equipa estaria sempre muito mais perto da vitoria? Baseados em quê? Em estetica? O facto de Messi dominar mais componentes do jogo ofensivo que Ronaldo, não seria determinante na avaliação, se Messi não fosse tambem ele um goleador de excelencia...

Tiago Simões disse...

Marco Gomes se voce acha que as pessoas que frequentam este espaco confudem extra futebol com a analise de jogo esta no blog errado. Tambem e claro que a personalidade forte de CR7, trouxe lhe beneficio, mas tambem desvantagens, e é claro na forma egoista com o ronaldo joga muitas vezes.
Relativamente aos numeros que colocou, vou assumir que foi erro seu, porque esses numeros sao de assistencias+golos. se percebesse de bola e seguisse a realidade, saberia que esses numeros de assistencias sao completamente irreais. Mkhitaryan foi provavelmente o melhor assistente da europa, passando a marca das 30 assistencias em todas as competicoes, marca que apenas messi tinha atingido nos ultimos 6/7 anos( multiplas vezes diga se de passagem). Messi foi o melhor assistente da liga, com 16( +5 que ronaldo), e teve 26 na epoca toda( +11). ja que gosta tanto de olhar para golos+assistencias, ronaldo teve 66 na epoca toda, messi teve... 67.

Se quiser de falar de futebol jogado e nao de numeros, sugiro que escolha outra jogador, porque de Ronaldo ja foi tudo dito e este fica atras de mais jogadores do que messi.

E antes que me acuse de ser benfiquista ou outra coisa qualquer, digo lhe que sou sportinguista e tive muito orgulho em ver Cr7 com a verde e branca. Mas como adepto de futebol, esta muito longe de ser um jogador que me entusiasme, o ronaldo deste ultimos anos, isto é.

moleculasdeamor disse...

CR7 é efectivamente golo e pouquíssimo mais, de um ponto de vista de equipa é raríssimo observar forte entusiasmo quando um colega de equipa marca um golo, isso diz muito daquilo que ele é enquanto "equipa",... é devido a isso/essa maneira de estar, que quando tem que "optar?" por passar a bola a um colega melhor posicionado para facturar, em 90% das vezes "decide?" fazer trampa... então esta treta de marcar livres à doida sem critério, é uma cena do demónio mesmo!!!

Unknown disse...

Sou só eu que acho engraçado ter sido um gajo com este nick a escrever este post?

João

NSC disse...

Muitos?

NSC disse...

Ainda que seja um reductio ad absurdum, basicamente é isto. Com a vantagem do Bebe fazer menos birras.

NSC disse...

É, de facto, um problema religioso.

Diogo Vasconcelos disse...

Marco Gomes: não vou discutir números, eles estão em qualquer site e qualquer um que nos leia também os sabe procurar. Critica pela critica acho que ninguém praticou. Critica pela critica seria por exemplo eu dizer que os seus argumentos se baseiam num preconceito sobre a nacionalidade do Ronaldo, e isso ninguém o fez. Mas se por ridículo quisermos comparar o nível de expectativas geradas e as criticas feitas podiamos falar de anos luz de distância. Aliás bastaria andar pela cidade ou ver televisão e contar as vezes que se diz e escreve o nome do rapaz e a expressão "melhor do mundo".

João Santos. Eu percebi o exemplo e julgo que também o alcance, mas tal como diz o João seria um exemplo absurdo. E seria absurdo uma equipa não conseguir construir uma estratégia para evitar que esse jogador sequer pudesse ficar enquadrado em situações dessas. E com o meu comentário não queria ser jocoso mas tão só apontar para o que me parece essencial do seu exemplo: tal situação a concretizar-se (ie aparecer um ou mais jogadores que de qualquer forma, posição ou distância marcava sempre golo quando chutava) mudaria o próprio "jogar" do futebol como o conhecemos tomando outras formas totalmente diferentes, de tal foma que possivelmente poderiamos estar a falar quase de outro tipo modalidade. Porque se estamos a falar deste desporto - o futebol - na actualidade, sim é preciso dominar muitos mais aspecto que apenas a finalização para se ser dos seus melhor praticantes e não, não é por uma questão estética mas sim pelo facto do futebol ser muito mais que um concurso de penaltis.

Marco Gomes disse...

Tiago Simões, quando li o post, e porque não tenho preconceito,fui procurar alguns números e vi errado - explicado. Pelos jogadores que atrás citei percebe-se que não sou adepto de números e o estilo do CR7 não me enche as medidas, mas faz-me confusão que se bata tanto no ceguinho, colocando nas antípodas o Messi. Não tenho dúvidas quanto à valia futebolística do Messi, a prová-lo estão os títulos e os prémios, mas gostaria de o ver jogar em contextos diferentes, longe das movimentações de Xavi, Iniesta, Suárez, Neymar, Zlatan I., Fabregas, Deco, Ronaldinho, Henry, Eto'o, ...........

Diogo Vasconcelos, bastou-me discordar do editorial do blog para granjear o «rótulo» de preconceituoso, «se percebesses de bola», de não ver para lá das montagens publicitárias.. Esta última é terrível, como se todos os grandes jogadores estivessem sós e as marcas andassem distraídas.

Declaração de interesse: sou adepto do Benfica.

Enfim, como considero que tenho sentido de humor, encaro a coisa com piada e enalteço a vossa noção de discussão.