segunda-feira, 27 de junho de 2016

Itália de Conte: Ideias para todos os momentos ofensivos.

Absolutamente devastadora a primeira parte italiana, onde o resultado peca por escasso. Ontem a Alemanha a mostrar-se muito competente no ataque posicional, hoje a Itália menos competente na organização do ataque ainda que o faça com uma intencionalidade clara. Sabem o que fazer, como fazer, quando fazer. Todos focados nisso. Mas, o festival tem sido de ataque rápido e contra-ataque. Cada vez que recupera e consegue sair, uma lição para o mundo. Fernando Santos ontem disse que não tinha tempo de treino e por isso, por exemplo, a transição ofensiva não sai tão bem. Discordo. A transição deve ser das coisas mais fáceis e intuitivas para os jogadores. Então falando de jogadores deste nível... Conte mostra. Concorde-se ou não, a equipa está trabalhada para tudo. O adversário perfeito para os italianos explanarem aquilo em que realmente são fortes, mas, em organização não jogam de forma aleatória. Muito mecânico, é certo, mas tudo com sentido.

"Muito forte a dinâmica dos dois avançados, e de um médio que se movimenta por diversas vezes para receber na profundidade. E esse é um dos movimentos que trabalha mais difícil de parar. Difícil porque um dos avançados se movimenta para receber entre sectores, enquanto outros tentam explorar o espaço nas costas. Os avançados a servirem ambos como apoio frontal, por forma a atrair elementos da última linha e depois libertar nos alas. Bonucci a solicitar movimentos de ruptura com demasiada qualidade para ser verdade. A forma notável como esperam pelos laterais que aparecem de uma linha mais recuada, e variam o jogo interior com o jogo exterior. Os laterais a aparecerem muito bem a dar largura, mas sempre a fechar a desmarcação aproximando-se da baliza quando assim se impõe." Aqui.

8 comentários:

POdA disse...

E para os momentos defensivos?

Blessing disse...

POdA, Dois momentos defensivos distintos:
1- Quando pressionam os centrais.
2- Quando estão perto da baliza.

Os maiores problemas parecem-se estar no primeiro. Os 3 médios são obrigados a correr muito, e quase que a fechar a largura toda. Quando a bola entra no corredor, se a equipa adversária preparara o posicionamento certo, os italianos são obrigados a baixar muitos metros, com muitos à frente da linha da bola. Imagina as diagonais que Boateng faz para Draxler ir no 1x1, pode ser um perigo constante. Os ajustes não são realizados da melhor forma, por ficar muita gente sem saber que espaços ocupar (principalmente se tiver sido um central a sair na bola ou a ser ultrapassado). Por fim, os laterais e os médios sofrem um desgaste tremendo pelo que lhes é exigido em todos os momentos do jogo. Os 3 centras estão muito batidos na forma como Conte quer jogar, bem como Buffon. Há erros, muitos.

Rui Dias disse...

Que bom para Portugal que está Malta esteja toda do outro lado para já! Se assim não fosse provavelmente a esta hora estaríamos já por casa.....

Uma diferença colossal entre trabalhar a equipa para as suas ideias ou deixar quase tudo ao acaso....

B. Jardim disse...

Lá atrás parece haver mais gente do que organização. Um bocado como na Juve.

ricnog disse...

sorte de portugal se apanhar a italia.... ;) quer dizer que estamos na final....!

Acho que tem alguma qualidade...mas na é suficiente para eliminar a Espanha...La está, o maior problema de ser a eliminar, é que um jogo menos conseguido, arruina um mes de trbalaho....

Propunha as qualificações de winner bracket e loser bracket....penso que daria mais uma hipotese as selecções.... ;)

POdA disse...

Blessing diz:
"...os laterais e os médios sofrem um desgaste tremendo pelo que lhes é exigido em todos os momentos do jogo".

Estou totalmente de acordo. Os alas, com o facto de fazerem parte das linhas média e defensiva em diferentes momentos saem do jogo a pedir para irem dormir, no entanto acho muito interessante esse movimento de pêndulo se fosse realizado sempre com mais critério.

Blessing diz:
"Dois momentos defensivos distintos:
1- Quando pressionam os centrais.
2- Quando estão perto da baliza.
Os maiores problemas parecem-se estar no primeiro. Os 3 médios são obrigados a correr muito, e quase que a fechar a largura toda..."

Não concordo! Simplesmente porque a Itália cria uma linha de 4 nesse momento , com os dois médios centro e os alas. Na frente, Éder e Giaccherini a pressionarem os Centrais e Pelé encostado ao Médio Defensivo, a Itália não deixa a Espanha jogar curto.

Relativamente à grande dificuldade da Itália no jogo, penso que é bem explícita nesta imagem:
https://s32.postimg.org/wq4qlxib9/italia_handicap.png

Com o corredor contrário praticamente abandonado, uma variação rápida de corredor traz-lhes muita dificuldade até porque este é um dos momentos em que a Itália tem grande dificuldade em decidir os movimentos de pressão.

Não quando a equipa adversária varia totalmente em largura, porque aí o ala cai logo no homem da bola e torna-se fácil a marcação por deslize. Difícil torna-se quando a equipa adversária varia para a zona assinalada a amarelo na imagem.
Estivesse ali Nolito e Alba em overlap estava criado um momento de vantagem para a Espanha.

Dessa forma acho que quando estão perto da baliza se torna o momento em que me parece ter maiores problemas.

Blessing diz:
"Imagina as diagonais que Boateng faz para Draxler ir no 1x1, pode ser um perigo constante".

Ansioso pelo jogo com a Alemanha para perceber como param tantos jogadores naquelas zonas ofensivas.

B. Jardim diz:
"Lá atrás parece haver mais gente do que organização. Um bocado como na Juve."

O movimento defensivo é o da Juventus. O Ala do lado da bola a fazer contenção na linha média e o ala contrário a fazer parte da linha defensiva (basicamente um 4-4-2).
Há momentos em que só a linha média é que bascula mas basicamente tentaram sempre fazer esse movimento.

Cada vez acho mais interessante esse movimento de organização defensiva, porque feito de uma forma clara e consistente, anula totalmente a largura do adversário.
No entanto era necessário melhorar muito algumas coisas. Os jogadores por vezes parecem indecisos sobre quem deve pressionar a bola, daí o "mais gente do que organização".

BlessedCarrot disse...

Caros não ofereço nenhum comentário com conhecimento.
Apenas reforço positivo da vossa dedicação a fazer os posts com conteúdo e abertura aos diálogo dos comentários.

Parabéns e continuem.
Especialmente na análise à próxima época futebolística

Nuno disse...

O Perarnau tenta explicar:

http://www.martiperarnau.com/conocimiento/modelostacticos/italia-practica-el-juego-de-posicion-y-espana-no/?platform=hootsuite