sábado, 18 de junho de 2016

Minuto 92 no Portugal x Austria

Ao contrário do que sucedeu em quase toda a partida com inúmeros cruzamentos para somente um, máximo dois jogadores na área, Ronaldo tem a bola na sua posse. Há vários colegas num sprint final a chegar à area para uma última tentativa. Cinco, seis portugueses na área no último lance do jogo. Ronaldo remata desenquadrado, de pé esquerdo contra um Austríaco e pouco depois a partida terminaria.

O segundo melhor do Mundo até fez um jogo interessante. Foi menos egoísta. Soltou mais vezes e apareceu com enorme qualidade nas zonas de finalização, ainda que hoje a sorte não o tenha acompanhado.

Da partida o lamento por algumas opções.

É muito fácil sentar Rafa. O miúdo talvez esteja feliz só por estar por ali, e é certo que a primeira afirmação que dirá pós jogo não será "eu estava bom, não joguei por opção" como forma de condicionar a opinião pública e influenciar as decisões do mister. O problema é que Rafa é no presente momento o melhor ala português. Naquele lugar, é hoje incrivelmente superior a João Mário, André Gomes, Quaresma e Nani. Capaz de desequilibrar  no último terço como nenhum dos outros e sempre responsável no jogo defensivo de espaços. É uma pena que o melhor ala português tenha 3 minutos na competição.

A evolução do jogo levou-o para sistemas e métodos defensivos que tornam cada vez mais difícil desequilibrar jogos em organização ofensiva. Portugal que não tem um único centrocampista com a criatividade, qualidade técnica e capacidade de decisão para descobrir novos caminhos, que não tem um único capaz de recebendo entre linhas enquadre em milésimos de segundos e se prepare para desequilibrar sofre bastante com isso. Sem gente capaz de ligar criação com finalização de forma sistemática, que não aos "solavancos", parece um desperdício que se abdique do único médio português que faz coisas diferentes. Não têm de ser necessariamente melhores. Mas é diferente. E essa diferença poderá fazer a diferença. Renato é hoje o único médio português capaz de queimar linhas com a bola no pé. Capaz de provocar desorganização na linha média adversária. Capaz de obrigar o adversário a posicionamentos diferentes e quem sabe menos confortáveis. É o único cuja condução na direcção da meta tem a agressividade suficiente para chamar, para atrair a si adversários e posteriormente jogar noutros espaços. É incompreensível como em jogos contra equipas com características tão defensivas. Contra equipas com linhas tão baixas, não se procura alguém que possa desorganizar o jogo, para além do típico passa - recebe - passa.

24 comentários:

Paulo Sérgio Portugal Malheiro disse...

Primeiro era o Danilo...agora é o William!
O Rafa era o único que podia agitar o meio campo...ou numa ala!
Sem avançados não há milagres!
Renato? Com a Austria no contra golpe?
O meio campo de Pt foi muito macio...
Falta dinâmica e VELOCIDADE!
Nani e Quaresma, bem como Ronaldo não ajudam defensivamente!

Rui Miguel disse...

Por acaso também pensei nisso durante o jogo. Incompreensível como Renato e Rafa não têm mais minutos. Especialmente tendo em conta o fraquíssimo desempenho de Nani na segunda parte e a falta de criatividade de João Moutinho. Também não compreendi o porquê de substituir Quaresma por João Mário. Creio que terá sido por motivos físicos, mas de qualquer forma Rafa seria muito melhor opção pelas características que o jogo pedia. E aquela substituição do Éder aos 90 nem comento... Podíamos e devíamos ter ganho este jogo por 3/4-0 em situações normais, a Áustria é muito muito fraca... Não me acredito que consigam vencer a Islândia no próximo encontro

TáDito disse...

de repente para o lateral esquerdo o joão mário não sabe jogar a bola e não é inteligente com a bola no pé.

Rui Tavares disse...

Notas de um leigo a participar pela primeira vez aqui:

- Portugal jogou "melhor" que no primeiro jogo: mais linhas de passe, organização ofensiva mais produtiva, construção mais perigosa.

- Ronaldo foi menos egoísta e mais jogador de equipa. Excepção a umas jogadas antes do penalty em que pela direita desperdiça uma desmarcação.

- Rafael Guerreiro joga bem e está motivado a olhos vistos. É uma cretinice não ser ele a marcar os livres directos na direita, como hoje. Falha do treinador, que mina a confiança da equipa nele. E corrijam-me os menos leigos que eu, mas ia jurar que o RG numa ou noutra jogada ignorou solenemente o CR7.

- A evidência é, um jogo menos bom, um jogo bom, dezenas de oportunidades de golo, um golo. Não vamos ganhar.

Pergunta a quem sabe: o golo anulado porque CR7 não volta para trás a tempo de fugir do fora de jogo, foi por cansaço ou desmazelo? Já o vi não voltar umas poucas de vezes.

Cumprimentos a todos.

Rui Tavares disse...

Notas de um leigo a participar pela primeira vez aqui:

- Portugal jogou "melhor" que no primeiro jogo: mais linhas de passe, organização ofensiva mais produtiva, construção mais perigosa.

- Ronaldo foi menos egoísta e mais jogador de equipa. Excepção a umas jogadas antes do penalty em que pela direita desperdiça uma desmarcação.

- Rafael Guerreiro joga bem e está motivado a olhos vistos. É uma cretinice não ser ele a marcar os livres directos na direita, como hoje. Falha do treinador, que mina a confiança da equipa nele. E corrijam-me os menos leigos que eu, mas ia jurar que o RG numa ou noutra jogada ignorou solenemente o CR7.

- A evidência é, um jogo menos bom, um jogo bom, dezenas de oportunidades de golo, um golo. Não vamos ganhar.

Pergunta a quem sabe: o golo anulado porque CR7 não volta para trás a tempo de fugir do fora de jogo, foi por cansaço ou desmazelo? Já o vi não voltar umas poucas de vezes.

Cumprimentos a todos.

Unknown disse...

O problema é que Rafa é no presente momento o melhor ala português.-isto diz tudo da qualidade desta equipa. E assim como é que o engenheiro consegue dizer que o objectivo é chegar à final sen se rir?

Luis Marta disse...

O problema é que Rafa é no presente momento o melhor ala português.-isto diz tudo da qualidade desta equipa. E assim como é que o engenheiro consegue dizer que o objectivo é chegar à final sen se rir?

João Gomes disse...

Para Portugal o “requisito mínimo”, que para mim foi cumprido, foi o domínio do jogo. Jogou bem, teve a bola, criou algumas situações de golo, quase nunca deixou jogar o adversário. A meu ver Portugal, criou poucas situações de superioridade numérica, principalmente nas laterais. Pouco usou o jogo entre linhas, e quando jogou, desequilibrou. Os jogadores mais ofensivos não deram muitas linhas de passe, apenas vinham para junto dos defesas para vir buscar jogo. Faltou um Avançado de raiz, porque houve muitas situações em que não existia ninguém em zonas fundamentais. Tem que existir mais critério nos passes e deixarem-se de joga bonito, com toques calcanhar. Penso que a entrada de Renato seria mais apropriada, visto que estava a tornar-se um jogo mais físico e que precisava de criatividade no centro. William bem melhor. Os centrais tiveram imperiais. Não acredito na expressão “o futebol é mesmo assim”, quando Portugal, domina dois jogos seguidos, com 6 pontos “garantidos”.

Tomás disse...

Um pequeno aparte, que é feito das etiquetas à direita no blog? Ou sou só eu que não as vejo?

kalho disse...

O médio com criatividade podia ter sido o Bernardo Silva mas tal como o Rafa ainda não tem estatuto.

Filipe Rocha disse...

Segundo ouvi dizer, no dia dos jogos o Fernando Santos faz um sorteio no balneário que consiste em ver qual o sistema táctico a utilizar.
E depois destes dois jogos parece ser verdadeiro o rumor.

David B disse...

Pena o Bernardo não estar disponível para representar a seleção devido a lesão...

Rafa e Renato a merecem mais minutos, pois o país agradecia e merecia ter os melhores em campo. 2 jogadores que agitariam e com a motivação que é estarem a ter a sua primeira experiência em europeus, certamente dariam tudo em campo. (esta é a minha opinião, em relação a jogos deste tipo, onde o principal objetivo destas equipas é somente DEFENDER!)

moskow disse...

Terceiro melhor...achar que o Ronaldo é melhor que o Iniesta ou até que o Messi por favor...

moleculasdeamor disse...

Patricio, vieirinha pepe ricardo guerreiro quaresma william moutinho renato nani ronaldo

Cristiano Messi disse...

Quando as coisas não correm bem, por norma, quem não joga é melhor do que quem o faz.

Na prática, nunca saberemos.

O Rafa numa equipa grande, cheia de pressão, terá de confirmar essa categoria toda. Não me parece que o Fernando Santos seja fácil de pressionar.

Mike Portugal disse...

Jogar contra estas equipas fracas com 3......TRÊS......jogadores de meio-campo que não são criativos, é estúpido.

Sim, William é obrigatório pelo que dá à equipa, que Danilo não consegue dar.
Agora, ter André Gomes e Moutinho não faz sentido. São 2 jogadores muito parecidos e que fazem as mesmas coisas em campo, ou seja, equilibram a equipa, pressionam forte e ajudam na 1ª fase de construção. É preciso ter 2 jogadores para isto contra equipas tão fracas? Ainda se fosse contra a Alemanha eu percebia. A propósito, gostei do André Gomes.

Depois, comete-se o mesmo erro do 1º jogo de deixar o Nani no meio dos centrais adversários. Alguém que explique a FS que não é assim que se usa o Nani nem as suas capacidades de desequilibrio. O Ronaldo é que tem que estar lá na frente a servir de apoio frontal ou a tentar receber bolas nas costas da defesa. O Nani e o Quaresma têm que andar pelas alas a fazer movimentos interiores para desequilibrar com a ajuda dos médios (sim, os médios não são criativos mas com certeza ensinaram-lhes a fazer combinações).

E mesmo com estes erros todos de FS ainda nos arriscamos a ganhar o jogo, não fosse a pontaria ao poste. Imagine-se se o selecionador não cometesse estes erros idiotas. Agora resta-nos mesmo vencer a Hungria por mais do que 1 golo para não dependermos de ninguém para ficar em 1º.

Oh Selecionador, é isto que tens que fazer, não é dificil:

--------------- Patricio
Vieirinha Pepe R.Carvalho R.Guerreiro
----------- William A.Gomes
Quaresma --- J.Mário ------------- Nani
-------------- Ronaldo

Pode-se debater entre ser o Quaresma ou o Rafa, entre o A.Gomes ou o Adrien, mas a equipa não pode fugir muito disto.

Barbosa disse...

É verdade, o Ronaldo ontem esteve melhor que no primeiro jogo. Mas apesar de ter disponibilidade para baixar e até soltar a bola mais vezes, quase sempre as acções dele foram inconsequentes. Pode estar a escapar-me um ou outro lance, mas acho que ele não criou um único desequilibro, nem com passes nem individualmente. Na cobrança de livres, vi ontem uma estatística algures, nos últimos 30 e tal não acertou um. Nos últimos dois penaltys pela selecção fez 0 golos. Isto é não estar a bater no ceguinho, mas já que se fala do Rafa, ontem a primeira vez que tocou na bola bateu um austríaco no 1x1 e encontrou logo espaço. CR sempre foi bom nisso.

Que o Ronaldo não defenda e que ignore movimentos dos colegas já sabemos que são as características dele, mas ele sempre foi capaz de desequilibrar na forma como progredia, na velocidade a que se movia com e sem bola, nos lances individuais, etc. Hoje em dia não se vê nada. Ontem, entre ele ou o Slimani tinha sido igual.

A Nike fez agora um anúncio onde ele troca de corpo com um miúdo. Acho mesmo que a história é verídica.

Não foi propriamente um bom jogo, mas Portugal criou o suficiente para ganhar à vontade. Precisa de jogar mais se quer ir longe na competição, mas ontem teve azar.

Reinaldo Gonçalves disse...

Sou só eu que me tenho vindo a lembrar constantemente do Pizzi? Mas há algum jogador português a criar e desequilibrar melhor (com e sem bola) entre linhas que o Zidane Zarolho de Trás-os-Montes?! Não há.

Ricardo disse...

O meu comentario n foi aceite pq? Foi so uma opiniao lol

DM disse...

Van Basten, desculpa lá mas isso é conversa de comentador de televisão. E quando o Renato não resolver os problemas, é por outro Messias qualquer? Enfim. Quando o coletivo não funciona, as individualidades levam sempre com as culpas. Ao ponto de chegarmos a comparar Rafa a... Nani. Há muita coisa errada em Portugal, mas dificilmente é falta de qualidade dos 23.

Marco Van Basten disse...

dm, vai lá para os blogs do teu clube pq este espaço é alérgico aos teus comentários... n dizes uma DASS

João Arem disse...

Van Basten,tenho a certeza que percebo pouco disto,mas para jogar com 2 na frente,neste tipo de jogo em q tens de assumir as despesas,mais valia o Eder e Ronaldo,não?Ver o Ronaldo constantemente de costas para a baliza é um sofrimento,e dá tb idéia q ele deverá estar limitado (é impossível estar com tão pouca flexibilidade/agilidade). Nas alas o Rafa e Nani q garantem equilíbrio.Tenho mais dúvidas em jogos contra equipas individualmente mais fortes,mas este modelo não é o ideal para bater Islândias,Áustrias e outras. Este modelo,com este tipo de intérpretes, não ganharia um campeonato em Portugal (por exemplo).

DM disse...

Vou para os blogs do meu clube dizer que está seleção ia lá era com o Esgaio ;) na volta ainda chegava ao mais futebol ou ao prolongamento, isto se tu não chegares lá primeiro!

Sergio Gonçalves disse...

Essa etiqueta para o Renato Neto é para agradar ao Nuno do Entredez? Brincadeira minha! Abraço