quarta-feira, 8 de junho de 2016

Pep em entrevista. Adaptar ou obrigar ao nosso modelo?

"Quando cheguei a Munique tentei perceber a qualidade dos jogadores e deixei-os jogar para perceber o que podiam dar. E depois tentei perguntar aos jogadores o que conseguem fazer. O maior erro seria fazer: Sou o Pep e eles têm de jogar assim e este tipo tem de fazer este movimento... e ele não é capaz de fazer o movimento... mas se calhar consegue fazer melhor noutra posição... estou convencido que o mais importante é perceber a qualidade dos jogadores e ajudá-los a colocar essa qualidade ao serviço da equipa" Guardiola 

13 comentários:

Honoris disse...

Tantas criticas que se leram ao Guardiola este ano, por não entenderem que aquilo não era o modelo de jogo que ele mais gosta, mas sim o que se adapta melhor aos jogadores que tem. Gente que fruto da profissão que ocupa no futebol acha que sabe de tudo. Acha que o treinador tem um comando da PS, e os jogadores fazem o que ele quer, quando quer, e como quer.Vamos parar para pensar que se calhar ele está é a retirar o melhor de cada jogador? Naaaaaaaa. Vamos é dizer que está a ser uma desilusão porque com não há o jogo interior todo bonito. Ai que crime utilizar o passe longo para um dos extremos para obrigar a linha defensiva adversária a baixar logo. Ai que crime ter superioridade numérica em zonas de finalização e cruzar.

Pedrooo317 disse...

Não é um crime o Vidal ter os minutos que teve? Se são os jogadores que jogam (e são tal como Pep diz) porque raio não deu mais minutos a um jogador que fosse mais do tipo dele?

Bem me podem vir com tretas que o Vidal foi impingido que não acredito que um treinador fosse hipotecar todo um historial de afastar Yaya's e companhia para jogarem Busquets e Thiagos.

josé carlos disse...

Onde está essa entrevista? Obrigado. Abraço.

Blessing disse...

Num canal fechado.

Inteligência disse...

Pedrooo317

O Busquests é o melhor do mundo na posição dele

rochacj85 disse...

Nos livros sobre os grandes inovadores, o Guardiola tem de lá estar. Inspirador!

Honoris, tudo isso é verdade. É possível, contudo, que se tivesse sido outro treinador a substituir Heinkness, poderia ter ganho tudo. Um Bayern derrotado injustamente a penaltis numa final, vencedor e campeões de outra, contra uma grande concorrência.

Será que este era mesmo o melhor tipo de futebol para estes jogadores ganharem tudo, ou era o melhor apenas para ganhar na regularidade?

Quer queiram quer não, as provas mais importantes no futebol não são em regularidade, e os melhores têm de vence-la. Jogadores e também treinadores.

O Guardiola é inegavelmente o melhor, mas não conseguiu. E no nível dele, acho a minha critica justa.

The Beast OnFire disse...

rochacj85

Tens razão a mais importante competição de clubes no mundo é uma competição a eliminar mas repara, este ano o Real Madrid ganhou essa mesma competição(suponho que estejas a falar da Liga dos Campeões) mas não era de forma alguma a melhor nem a mais competente.
E por o futebol ser o desporto que é, ganhar uma competição a eliminar é uma casualidade mas para mim a verdadeira prova para auferir a verdadeira qualidade de uma equipa é sempre o campeonato.

rochacj85 disse...

The Beast, no caso dos clubes referia-me à Champions sim. ganhar a Champions não é com certeza casualidade. Tomates de aço, concentração máxima e habilidade para ganhar ao adversário. Não é por acaso que ninguém a ganha 2 vezes consecutivas à imenso tempo.

Agora, não tenho dúvidas que têm um nível de causalidade superior à regularidade. Mas, por outro lado, não existe nenhuma prova de regularidade com o nível da Champions (em termos de qualidade dos adversários).

Mas, o meu ponto é que o Bayern tinha ganho champions e campeonato (ambos contra a mesma equipa, a 2º equipa mais forte do mundo naquele ano). Isso diz-me que o Bayern estava muito forte, e que era possível que outro treinador pudesse ter ganho tudo. Regularidade e Champions. Por ter sido essa a expectativa, esta crítica ao Guardiola, o melhor do mundo, é justa.

PM disse...

O Guardiola é de longe o melhor de todos. De longe!

Viram ontem o jogo da seleção? A jogada aos 15 min e a jogada aos 45 min são 2 bons exemplos do que é Ronaldo hoje em dia. Os mesmos protagonistas (Ronaldo e João Mário) em posições contrárias, lances parecidissmos...no primeiro Ronaldo fuça com João Mário em optima posição...no 2o João Mário serve Ronaldo para o golo.

Uma pena o Ronaldo não ver nada à frente enquanto não marca...

LMGM disse...

Acredito que o Guardiola esteja carregado de razão quando estamos a falar de Bayerns, pergunto eu, e no Sourense ou nos Unidos da Musgueira? Isto também funciona? Ou reformulando a minha pergunta, quando um treinador se dá de caras com um grupo sem qualidade alguma é também esta a abordagem que deve ter ao treino e ao seu grupo de trabalho?

Acredito que existam mais treinadores com potencial para serem Guardiolas ou Mourinhos, faltam-lhes é mais Bayerns, Barcelonas ou PSGs para provarem a qualidade do seu método e das suas ideias. Será que tenho razão?

Marco Abrantes disse...

Quantos genios nao existirão em Africa sem condições para evoluir os seus talentos?

The Beast OnFire disse...

rochacj85,aí sim concordo contigo ganhar em regularidade e depois Champions é o topo de competência(penso eu) mas referi me á casualidade pois lembrei me do exemplo do Atlético de Madrid, onde está trabalhada e talhada para essas mesmas competições a eliminar.

João Fernandes disse...

LMGM, dá uma espreita de olhos ao Foggia, treinado pelo Zerbi, e facilmente perceberá que essa tua ideia é no mínimo, muito discutível.